MENU

11 de maio de 2009 - 13:31F1

Segundo

SÃO PAULO – O problema das letras foi resolvido. Foi até simples. Falaram assim: “Victor, tenta fazer o seguinte”. E eu: “Claro, o que eu faço?”. Vai ali no botão iniciar e clica em reiniciar, ah, sim, beleza, mas eu já fiz isso, vamos ver de novo, ok, beleza, vamos ver, e daí acessa o publicador de novo, sim, entendi, e aí deu certo, e vamos que vamos.

Já que é o segundo post, falemos de… Barrichello. Segundo pela colocação dele ontem, antes que bradem por aí qualquer outra coisa. “Ah, você critica muito o Rubinho, ele foi muito bem, você quer audiência”. Audiência é sempre bom, é ótimo ter caros internautas e mais gente para ler, mas longe disso. Barrichello fez, de fato, uma largada primorosa e dois primeiros trechos de corrida espetaculares. Depois não foi bem. Seja lá por pneu, por acomodação, por vento contra, não andou o que tinha de andar. E perdeu a corrida.

Só achei estranha a resposta de que Jenson Button venceu por “coincidência”, segundo Barrichello, que conversou com Ross Brawn, que chamou o “muito lento”. Alguém vence por coincidência?

Coincidência é ver Barrichello perder uma corrida num domingo de Dia das Mães. Na Áustria, em 2002, narração de Cleber Machado, hoje não, hoje não… hoje sim… hoje sim?, a última volta, Barrichello sem conversar a respeito da cadelinha (como chamava, mesmo? Traduziram para Lulu, em português), 12 de maio, e o mundo assistia estarrecido a prova cabal de que o sapo magrelo Jean Todt e a Ferrari mandava e desmandava e fazia Barrichello de marionete. Coincidência é sempre acontecer isso com Barrichello, goste-se dele ou não.

São oito dias até que o primeiro treino em Mônaco, na quinta, aconteça. Barrichello previu polêmica. O que até pode significar que há algo que não sabemos ainda escondido. Rubens soltou o ocorrido, ou o que pôde, à Tatiana Cunha e ao Felipe Motta ontem em Barcelona. O que incomoda é o discurso do brasileirinho contra o mundo, como se houvesse o COFODEBRA, o Complô para Foder Brasileiros, que vai ter de vencer na raça, e etc. e tal. Sem raça, ninguém vence nada. O único que venceu mundial na moleza foi Schumacher. Na época de Barrichello.

Coincidência.

7 comentários

  1. Furrupa disse:

    Eu continuo acreditando no potencial do Rubinho, não como piloto, e sim, como negociador, afinal de contas se ele não fosse um excelente negociador não seria o segundo piloto mais bem pago da F-1, nem o Berger conseguiu essa façanha. Agora como piloto, ele é apenas muito bom, porque até para fazer barbeiragem na F-1 tem que ser bom, caso contrario nao chega lá.

  2. Victor, de onde vc tirou que faltam OITO dias pra Mônaco???
    Vc escreveu o post ontem, dia 11. Então são DEZ dias.

    Acho que o publicador do IG tá contando errado… hahaha

    Espero que vc possa continuar falando tudo o que pensa aqui no novo blog. Apesar de que vc tirou o “nada confidencial” do logo… Será um sinal de “forças estranhas”???

  3. wtf disse:

    ô victor, vc acha o barrichello se acomodou, mesmo com o engenheiro falando o tempo todo q ele tinha q acelerar pq o button tava passando dele ?

    acho improvável heim. O que acho mais plausível e que ninguém comenta é que nesse terceiro trecho (após o segundo pit) barrichello tinha o mesmo peso, ou até mais, que o button.

    Sim pq depois disso eles pararam quase juntos para fazererem seus últimos pitstops.

    Não houve vantagem nenhuma nessa estratégia do barrichello. O único trecho em que houve vantagem foi o segundo, pq o button tinha colocado dois segundos a mais de combustível. Mas esse trecho foi inexplicavelmente encurtado para o barrichello. Ele teria tranquilamente mais 5-6 voltas antes de fazer a segunda parada. E alongando assim, qdo ele estivesse perto do final do terceiro trecho o button estaria saindo cheio do seu segundo pitstop, e aí o barrichello poderia novamente andar mais rápido.

    Mas, não foi isso q fizeram!

  4. Mário Salustiano disse:

    eu não acredito no potencial do Rubinho, potencial é algo que temos em inicio de carreira e que precisa ao longo do tempo se cristalinizar em resultados, nesses anos todos que corre eu credito a ele o rotulo de bom piloto que merece ser lembrado na turma dos bons, mas não dos excepcionais ou campeões, nesses anos todos o Rubinho provou ser um bom piloto mas convenhamos passados 16 anos ainda falar em potencial é algo tolo, me desculpem os que escrevem sobre o tema, caso o Rubinho seja campeão esse ano ele passa a história como passaram os Rosebergs, os Andrettis, ou seja pilotos que conseguiram seus titulos mas não foram os grandes campeões desse esporte

    abs

    Mário

  5. Furrupa disse:

    Eu acredito no potencial do Rubinho, é um grande piloto e grande negociador, seguramento ele deve ter encostado o Ros na parede, deve ter dito: aqui não é Ferrari, não aceito ser colocado em segundo plano, a não ser que você Ros, engorde minha conta bancaria, caso contrario nao aceito mesmo assumir a função de segundo piloto, e, vou ficar falando pra todo mundo na tv.

  6. Wiseguy disse:

    Pois é, Rubens é um bom piloto, os anos que está na F1 o demonstram..mas é péssimo de política! Ô boca grande ele tem!!! Agora mesmo conseguiu deixar o Nick Fry rindo à toa lá dentro…pois não queria que ele fosse contratado, não é isso?
    Bem, que venha Mônaco! E esse “brasileirinho” feche a boca e concentre forças no pé direito! Afinal é para ver isso que acordamos cedo no domingo tá certo? Ver corridas e não fofoquinhas!!
    Um abraço e sucesso ao novo blog Victor!

  7. fill disse:

    Mais um “Flavio Gomes” na parada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>