MENU

21 de junho de 2009 - 10:28F1

Para falar de corrida

SÃO PAULO | Deu a lógica. Porque se Sebastian Vettel tinha o carro mais pesado dentre os dez primeiros e largava na pole na Inglaterra, significava que tinha um equipamento superior em relação aos demais.

Mas um segundo por volta, como aconteceu no começo da prova, é superior demais.

Demais a ponto de pensar que a Red Bull atingiu um estágio, com essa nova configuração aerodinâmica, semelhante ao da Brawn no começo da temporada.

O que deve reacender o campeonato, que parecia fadado ao marasmo e destinado a Jenson Button tal como o toque abrupto que se dá a um embriagado em aclive, o popular empurrão em bêbado em ladeira.

Vettel sobrou, e não vejo melhor palavra para definir sua fácil vitória hoje. Foi só se manter na ponta na largada para despachar o resto. Ainda contou com Rubens Barrichello à frente de Mark Webber para afastar qualquer possibilidade de ver o companheiro em seus retrovisores.

Barrichello fez a corrida que dava para ser feita. Não se pode dizer que suportou a pressão de Webber no primeiro trecho de prova porque não houve pressão do passivo australiano, que preferiu a estratégia nos pits para ganhar o segundo lugar e completar a dobradinha touriana. Curiosamente, Barrichello foi muito melhor que Button no fim de semana na casa do inglês.

E mesmo apagado, Button ainda levou três pontinhos. Viu a diferença para Vettel cair para 25 pontos. Restam oito provas para o final. É muito, ainda, mas, sacumé, corrida é corrida, como diria o outro. E com essa Red Bull destoando, agora, é bem possível que a F1 tenha uma inversão e um cenário trocado para sua segunda metade de Mundial.

O que é ótimo, porque pelo menos a gente pode falar de corrida, finalmente. Ainda que ela não tenha sido um esplendor e um mar de emoções.

6 comentários

  1. JONAS disse:

    ….com os touros vermelhos chegando…a Brawn certamente vai estabelecer o trabalho de equipe, no que está muito certa. Agora, oficialmente (mesmo porque não teve competência pra andar na frente), Rubinhozinho será o escudeiro de Button.

  2. Leonardo Felix disse:

    Ah, e detalhe: a melhor volta do Button, que foi 4 décimos mais alta que a volta melhor do Vettel, ocorreu a passagem 57. Depois, ele ficou preso atrás do Rosberg, o que já me faz deduzir que ele poderia ter baixado ainda mais esse tempo. O que significa que, caso fosse o inglês no lugar de Barrichello, a diferença de tempos não seria estrondosa do jeito que foi, e a vitória da Red Bull não seria tão fácil como foi.

  3. Leonardo Felix disse:

    O ritmo da Red Bull era mais forte, mas nem tanto assim como parecia. O que destacou tanto as diferenças de tempo foi o ritmo de corrida lento do Barrichello, que ficou segurando todo mundo atrás de si. Tanto é que o Rosberg, com pista mais limpa, conseguiu virar um tempo 3 décimos acima da melhor volta do Vettel, com uma Williams.

    E o Button, no fim, com um carro já bem mais desgastado, no único momento em que teve pista livre na prova, virou um tempo 4 décimos mais alto que o que Vettel virou antes do 1º pit. Ou seja: a Red Bull foi superior, mas dava para andar mais próximo deles. O frágil ritmo de prova de Barrichello é que não lhe permite.

  4. Zanfa disse:

    haron passarelli…o rei do off topic no autoracing por aqui?!

    Sobre a corrida…nem perdi meu sagrado sono……eca!!

  5. Sidewinder disse:

    Mais um tedesco queixudo p’ro Barrichello servir de escudeiro.

  6. haron passarelli disse:

    será q teremos uma reação da redbull semelhante a da williams em 1991 na 2.metade da temporada??

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>