MENU

10 de agosto de 2009 - 8:42F-Indy, Stock Car

A base de Salvador para a Indy

SÃO PAULO | Vamos lá.

De tudo que aconteceu neste fim de semana em Salvador, o que realmente me preocupa — além da comprovação do comensalismo dos colegas que acham que passar um pano e lustrar a situação do automobilismo, em particular na Stock, é a melhor forma de fazê-lo bom — são as declarações de Carlo Gancia, que colocam a capital baiana como favorita, agora, a receber a prova da Indy em 2010.

Já não é de hoje que tenho uma relação profissional mais estreita com Gancia; isso começou desde que me preparei para ir a Indianápolis. Nos últimos meses, tenho falado com certa constância com ele em virtude da possibilidade da realização da corrida brasileira da categoria norte-americana. Carlo é um cara dedicado ao automobilismo e de ideias claras. É um cara correto. Que me explicou, semana passada, por telefone e em comentário no blog, basicamente a mesma coisa que disse ao ótimo repórter e colega Felipe Paranhos, ontem, em relação à realização de uma corrida de rua: mostrar as belezas e benesses das cidades.

À distância, pude acompanhar o que aconteceu em Salvador no fim de semana, por fotos, comentários à boca semicerrada e pela televisão. Primeiro de tudo, uma corrida da Stock Car só foi realizada naquela cidade porque a Nextel, principal patrocinadora da categoria, começou suas atividades na capital da Bahia, isto no fim do ano passado. Ninguém pensaria numa uma prova urbana em São Luís ou Aracaju, que não têm cobertura da operadora de telefonia. Que seja. Ao traçado: ruim. Estreito demais. Inventaram a colocação de barreiras na função de chicanes. Vieram os treinos e os inerentes problemas dos toques nos pneus, que levaram a paralisações. No fim das contas, proibição de ultrapassagens e um S de cimento improvisado.

Não houve disputa na prova da Stock. Não houve emoção nenhuma. Foi uma fuzarca regada a vatapá e acarajé. E, principalmente, sem mostrar o vatapá, o acarajé, Salvador em si. Aí está a questão.

Porque se Gancia se apega ao fato de “mostrar a cidade” para que venha a Indy, Salvador, a Bahia e o mundo não estão interessados em divulgar e ver seu Centro Administrativo. O que vimos não é o que o município nordestino tem a mostrar. Seria muita cara de pau, se Salvador ganhar do Rio de Janeiro e de Ribeirão Preto, fazer estardalhaço de marketing em cima das praias, das baianas, do Olodum, do Pelourinho, da Ivete Sangalo e da Cláudia Leitte, por exemplo, e levar turistas de todas as partes do globo para uma corrida às margens de uma assembleia legislativa e uma secretaria de turismo para ver de onde o governador Jaques Wagner despacha.

O fato de terem organizado, meio que às pressas, um circuito de rua, colocando barreiras de concreto, erguendo alambrados, pintando zebras e asfaltando aquele trecho, é relativamente fácil. A questão é fazer algo minimamente bom no aspecto esportivo. E atrativo na área turística. 

A Stock decidiu fazer uma corrida de rua em dois meses — confirmou sua realização em 5 de junho. Sendo Salvador, Gancia e a Indy têm perto de 7 meses para conceber uma corrida. E pelos princípios e exigências da categoria, primeiro de tudo, verificar que o que a Stock criou não serve para a Indy nem a pau. Pra nada.

22 comentários

  1. paulo roberto disse:

    Salvador pode fazer uma corrida de kart, no mresto, sem condição.

  2. Ronald disse:

    Extremamente preconceituosos os comentários!!!
    Sou baiano e estive pessoalmente no cicuito da Stock em SSA. Realmente a prova foi monótona e sem graça, mas posso lhes garantir que foi um evento extremamente bem organizado e com uma presença de participação do público nunca vista antes numa etapa da Stock.
    A pista pode ser perfeitamente ampliada e adaptada não só para as próximas etapas da Stock (para tristeza de vcs…até 2013!!!) como também para uma prova da Indy.
    Há espaço/área para ampliação da pista e um grande interesse dos governos municipal/estadual/federal para que a Indy venha para SSA. E o que é mais importante, seria um sucesso de público.
    Vocês sulistas, precisam lembrar que existe um BRASIL enorme fora do umbigo sul-sudeste, existe um povo apaixonado por automobilismo e que também precisa ser respeitado.
    Para finalizar, posso lhes dizer que para uma PRIMEIRA etapa da Stock em SSA o evento foi um sucesso total, independente dos problemas que aconteceram na pista, os quais eu tenho certeza que serão facilmente resolvidos para os próximos anos da Stock na Bahia.
    Obrigado!

  3. Daniel Mendes Capella disse:

    Onde que eu assino?!

  4. Junior disse:

    Quanto ao pessoal que acha que é sacanagem contra a Bahia, muito pelo contrário. A Bahia tem sim capacidade de fazer uma boa corrida, é só encontrar o local certo.

    Agora comparar este circuito da Bahia com Mônaco é ridículo. Alguem já viu proibirem ultrapassagens em um certo trecho de Mônaco durante toda a corrida? E colocar barreiras de pneus no meio da “semi reta” de chegada? Sem falar da saída dos boxes, que em Mõnaco é ruim, mas a da Stock era ridícula.

    Pela quantidade de público e agitação que tivemos com a etapa da Stock, a Bahia merece ter corridas de automobilismo nacional e internacional, só falta encontrar um traçado decente, que pode sim ser de rua, por que não? Se continuar com este que vimos na Stock, só vai passar vergonha.

  5. Misael disse:

    A corrida da Stock foi horrível!!! Aliás, que corrida? O que eu vi foi todo mundo numa espécie de trenzinho da tristeza. Deprimente!

    Pena que já tem contrato para o ano que vem. Nem deveriam voltar pra lá.

    Espero que pelo menos mudem muita coisa para o ano que vem, e acho que vão mudar com a ajuda $$$ da Globo, que após ter promovido tanto essa prova deve ter frustrado muitos telespectadores e desabado no ibope.

  6. Elson Silva disse:

    Como sempre preconceituosos comentários. Uma pessoa que cobre automobilismo deve saber que em circuitos de rua as ultrapassagens são quase que impossíveis, Mônaco nunca deixou de ser uma corrida boa de se acompanhar por causa das dificuldades em ultrapassar. Dentro das limitações das cidades em criar circuitos a prova de Salvador fez um grande trabalho sim. Mas sulistas preconceituosos como você só enxergam os defeitos e tornam deles grandes empecilhos. Mas em uma coisa você está certo, a corrida da Indy provavelmente será no Rio, mesmo com o exemplo de pouco público nos anos de 99/2000 na Fórmula Mundial.

    VM responde: Assobiou e chupou cana.

  7. Paulo Arnaldo P.A. disse:

    Olá Victor Martins! Concordo em tudo que você disse. Mas gostaria de colocar algumas considerações.

    É correto afirmar que faltou investimento para abrigar a Stock (ou qualquer outra categoria) em um circuito mais adequado. Eu conheço bem Salvador, mas não conheço esse local, o CAB. Mas ali me parece que tem muito espaço e é possível remodelar para se tornar um circuito. Basta boa vontade, muito estudo e um investimento muito sério.

    Em relação à mostrar a cidade Salvador. Como comentei, conheço bem a cidade e é complicado colocar um evento desses, em um dos cartões postais da cidade. O trânsito em Salvador é caótico e levar um evento desses para regiões como Mercado Modelo, Farol ou Pituba, só iria agravar a situação de trânsito. Uma pena, pois um desses locais seria uma bela de uma vitrine e plasticamente muito bonito para corrida de rua.

    Mas enfim, para a Indy desembarcar em Salvador, será necessário muito trabalho. Estou muito receoso ainda a concretização da etapa no Brasil. Parece-me à distância, que Ribeirão Preto seria o lugar mais adequado. E parece que o pessoal que já vem trabalhando há mais tempo. Mas por enquanto não apareceu o projeto da pista (pelo menos eu não vi). No Rio tem o local definido, mas tem toda uma dificuldade para colocar um evento no Aterro do Flamengo. Uma dessas dificuldades. Estava hospedado naquele lugar, quando teve o Red Bull Air Race. O trânsito naquele local ficou caótico e só normalizou às 23:00, naquela região. A cidade simplesmente parou naquele sábado. O evento foi bárbaro, mas o transtorno que causou na cidade foi demais.

    Mas vamos aguardar a decisão. Só espero que a Indy venha ao Brasil de forma organizada.

    Um abraço!

    P.A. – Paulo Arnaldo

  8. Leonardo Felix disse:

    Olha, Victor, se por acaso pensarem em apresentar como proposta essa mesma pista da Stock Car para a Indy, vai ser de chorar de rir… ou de vergonha.

    À propósito, sabes quando ou se vai sair algum outro concurso do GP para estagiários??

    Abços!

  9. Gustavo Flausino disse:

    Tomara que a Indy não repita o que aconteceu em Salvador com a Stock, foi horrível…como uma categoria séria e internacional, creio que os problemas não se repetirão…

    Abraços

    VM responde: Outros, Gustavo. E seu primo Rogério, tá bem?

  10. Filipe Araújo disse:

    “verificar que o que a Stock criou não serve para a Indy nem a pau”

    Não serve nem para kart, que dirá para Indy, apesar de que a corrida de Mid Ohio pareceu a estoque em Salvador.

  11. Marcos Ferreira disse:

    Victor,

    não conheço Ribeirão Preto nem o Aterro do Flamengo. Esses locais não terão os mesmos problemas de Salvador: Pista estreita e dificil de ultrapassar?

    []s

    Marcos

    VM responde: Não são conhecidos os projetos ainda, Marcos. Abraços.

  12. Paulo César disse:

    Filosofia sempre meia-boca na organização. parece canário de novela da globo, muito compensado e papelão, às vezes gesso.

    No Brasil muitos eventos, inclusive algums de “grande porte” , são feitos por amadores, maquiando tudo. Você percebe quando vai ao evento e, fila quilométrica para entrar, calor infernal, banheiro insuficiente, quando tem, sujo e por aí a fora.

    Se escolherem mau, sabe o que vai acontecer ?

    Bye, Bye Brazil !!!!!!

    Porquê nos anos 90 a a Indy não competiu mais no Brasil, falta de autódromo não foi !

  13. Batista Haddad disse:

    Pra que reinventar Rio de Janeiro ou fazer Ribeirão Preto ou Salvador se Interlagos tá prontinho pra fazer a corrida??????????

  14. Andre disse:

    Onde tua vai com tanta pressa meu rei. Ano que vem nos libera as ultrapassagens. Só na Bahia mesmo uma corrida em camara lenta.

  15. Nunes disse:

    “Pra nada” não diria. Talvez com algumas(muitas) adaptações para Kart. Rsrsrs. Super Kart já não daria. A prova, ou melhor aquilo, foi uma piada e de mal gosto e um desrespeito com quem pagou. Uma prova onde não se podia cortar na reta, ou seja a galera pagou para ver um corrida toda em bandeira amarela, já que não havia outros pontos de ultrapassagem. Só mesmo no Brasil, que ponto chegamos, esses caras tem certeza que esta é a principal categoria do nosso automobilismo? Alguem já viu algo semelhante? Faço votos que o retorno do Kart se concretize e que a F. Truck continue atraindo bom publico são muito mais divertidos para assistir.

  16. George disse:

    2 pontos: 1º o circuito é estreito realmente e não tem como ultrpassar, mas existe área suficiente ali mesmo para fazer o que for necessário para comportar a Stock e até mesmo a F-Indy.
    2º Achar que Salvador perde para o Rio na questão “mostrar a cidade,tudo bem.Mas para Ribeirão Preto, jamais.

  17. Juvenal disse:

    Passa gelol no cotovelo, amigão.

    VM responde: Haha, me avise quando é para parar de rir. Muito boa, essa. Ai, ai. Nem a pau, Juvenal.

  18. ASR disse:

    Mesmo morando aqui em SSA, não fui à corrida! Estive na etapa de Curitiba e verifiquei que de fato a categoria é fraca! A Globo é que sustenta. Passei todo período criticando principalmente o valor do ingresso. Quando pude dá algumas voltas no circuito, comecei a perceber que seria difícil muito difícil ultrapassar sem combinar antes. Mas, fazendo justiça, nós baianos fizemos nossa parte. Os responsáveis pela categoria é que falharam em aceitar todas essas restrições técnicas aqui postadas, eles talvez pelos motivos aqui citados “$$$$$” prejudicaram o evento. De qualquer maneira, “todos” já sabíamos disso!

  19. Teixeira disse:

    Ontem a Stock mostrou que essa adaptação de circuíto utilizado tem que ser banida. Proibido ultrapassar na largada? Proibida ultrapassar no único ponto de ultrapassagens?? Ser Gancia me desculpe mas com esse circuíto Salvador ta fora.

  20. Marcus Carvalho disse:

    Em Salvador não acho que não tenha um local histórico que realmente comporte uma corrida, que seja adaptado para um circuito. No centro histórico por razões óbvias é impossível, na Barra ou em algum bairro litorâneo acho difícil também, até porque Salvador é uma cidade com muitas ladeiras e ruas antigas que são estreitas então o jeito seria o CAB mesmo ou a construção de um autódromo que hoje acho inviável financeiramente de ser construído.

    Mas apesar de tudo acho que o resultado final da prova foi ssatisfatório. O Nome da cidade ficou em bastante exposição, pode ter sido criado um novo público para o automobilismo, etc.

  21. Marcus Carvalho disse:

    Eu não acho imprescindível que a corrida seja realizada em locais turisticos das cidades, mostrar as belezas das cidades pode ser feito durante os intervalos, nas bandeiras amarelas, no ínicio e final da transmissão de qualquer sessão de treinos e a corrida, na Copa do Mundo de Futebol se faz assim.

    Eu particularmente preferia que fosse construído um autódromo, com pista mista e oval desde que este autódromo tivesse utilização pelo menos uma vez por mês, aqui no Brasil poderiam trazer a Indy, a Stock, a Fórmula Truck, entre outras categorias que poderiam ser criadas ou trazidas para cá.

    Quanto ao traçado atual, ele realmente é muito ruim, mas isso pode ser resolvido já que área livre pelo Centro Administrativo é o que não falta, alargar as pistas também não deve ser tão complicado, a questão maior ali para mim foi tempo, tendo de seis a oito meses isso é facilmente resolvido, pois teria-se tempo para transformar aquela área num com circuito de rua.

    Em Salvador não acho q

  22. arnold disse:

    concordo com tdo q vc escreveu….deu sono a corrida!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>