MENU

16 de julho de 2010 - 11:37Blog Victal, F1

O campeonato particular

SÃO PAULO | Atendendo aos milhares de pedidos de meia dúzia, eis a colunática deste mês que escrevi para a Revista WARM UP:

Até chegar à Inglaterra, os dois tinham duas vitórias no campeonato. Webber tinha mais poles. Vettel tinha mais pontos. Foram à pista. Webber liderou dois dos cinco treinos em Silverstone — contando Q1 e Q2. Vettel ficou na frente em três. A não é melhor que B. B não é melhor que A. Os números e os resultados têm expressado claramente a temporada equilibrada dos dois. É uma lógica simples.

A Red Bull tinha duas asas dianteiras novas. Webber fez bom uso dela. Vettel quebrou acidente dele. Problema dele, pombas. Mas virou problema para Webber. No ato de tirar a asa do carro de Webber para dar para Vettel, entende-se que a Red Bull não olhou para nenhum dos retrospectos da temporada. Balela, essa desculpa dos pontos. A Red Bull escolheu Vettel e olhou pra frente pensando que Vettel é melhor e mais talentoso que Webber e que, portanto, vai para as cabeças disputar o título com a McLaren. Mas a Red Bull não olhou pra frente e nem pensou no agora como um todo. Até porque, se alegou que não havia diferença entre as asas, acabou dando mais um motivo para mostrar que a troca era inexplicável.

A Red Bull não pensou que, independente de profissão ou de egolatria, todos nós prezamos por nossas coisas quando elas simplesmente são nossas. Antes de pensar em Vettel e no campeonato, a Red Bull deveria ter pensado em Webber e em sua reação ao se ver em algo que era seu. Webber, um lorde, ainda foi lorde em suas ironias, na derrota após o treino classificatório e na desforra após a corrida. E atiçados e postos à prova, todos nós, independente da profissão e com egolatria, tiramos mais do que o máximo de nós.

Não duvido que tenha pensado o tempo inteiro em fazer a melhor largada possível, e que se tivesse de bater para sair da primeira curva na frente, que assim fosse. Se a Red Bull fez sua escolha, Webber já tinha a sua. Webber virou onça naquele GP da Inglaterra por ser tido cutucado com a asa nova e fez uma prova impecável — e, detalhe, com um carro que Vettel recusou. Nada mal para um segundo piloto que passou a ficar à frente do primeiro. Nada mal, mesmo.

Mas eu duvido que a Red Bull tenha o mesmo senso de humor de aparecer com uma foto com Vettel e Christian Horner pedindo desculpas para Webber. A coisa foi mais embaixo. A cizânia que a Red Bull provocou era esperada na McLaren — e pela própria Red Bull. Até agora, não se ouviu uma queixa ou uma desavença de Hamilton com Button. E os dois seguem na frente no campeonato com um carro que não é melhor.

O episódio da asa denota a inexperiência da Red Bull, uma equipe de seis anos de vida, que não sabe lidar com a situação de ser a melhor. A Red Bull deveria entender que às vezes o melhor a fazer é não fazer nada. Por mais que o lorde Webber perdoe, até o fim do ano vai usar esta atitude como impulso. Webber, de fato, não é tão talentoso quanto Vettel — isso não significa que não tenha talento. Mas nos critérios de desempate, sua temporada é melhor.

Temos uma guerra, há de dizer o poeta. Webber vai enfrentar o segundo round da batalha na casa do inimigo, na Alemanha. Horner prometeu que, se o episódio se repetir em Hockenheim, agora será Webber o beneficiado. Conversa para touro dormir. Horner, agora, não vai conseguir domar seus dois pilotos. E Webber, que mostrou arrependimento por ter renovado o contrato, tem de permanecer lá. Até porque não tem lugar melhor para ir. Webber vai ter de se superar ainda mais. E isso já lhe rende palmas. Porque a vida toda foi coadjuvante. Hoje vive um papel único de protagonista.

Agora é assim, e que as armas pelo menos sejam iguais para a luta ser justa. Webber pode não ganhar o campeonato. Mas ganhar o campeonato de Vettel já terá um gosto de título.

10 comentários

  1. Claudio disse:

    O Cristian Horner devia chamar logo todos os envolvidos nesse assunto pra conversar e dizer a eles: cada um fale tudo o que achar que deve falar, sem rodeio, sem papas na lingua, quem estiver descontente que pegue o boné e caia fora e que esse assunto seja encerrado de uma vez para o bem da equipe. Se for para fazerem as pazes, que façam, e se for pra rachar a equipe, que também rache de uma vez . Formula 1 não é coisa pra criança.

  2. Joel_RS disse:

    Buito bom Victor, concordo.

    Um pouco de “piscologia” não faz mal a ninguém.

  3. Anderson disse:

    Coisa típica de F1. É impossível ter o mesmo tratamento para 2 pilotos de uma mesma equipe. Coisa que pode ter sido algo próximo disso foi a dupla Senna / Prost, mas eu era muito novo e não lembro…

  4. Gerrard disse:

    É muito boa essa sensação de vitória do mocinho contra os vilões. O que a equipe fez foi cachorrada e o Webber arrasou. Ele é mais simpático, mais inteligente e mais piloto que o alemãozinho.

  5. gi disse:

    Sempre vemos estas decisoes a favor de um piloto e só olhar para o Alonso tanto na marclaren quanto agora na Ferrari, espero que webber tire liçoes e foque só em deixar pra traz o seu concorrente .

  6. Raphael Mendes disse:

    Excelente Victor. Retrato fiel do que aconteceu.

  7. Old parts disse:

    A partir desta prova torço pelo australiano, deixa o Vettel madurar mais um pouco.

  8. Angela disse:

    Segundo jornalistas que cobriram o treino, o Vettel não quebrou a asa dele, ela foi mal colocada e a simplesmente caiu. Victor você viu o momento em que isso ocorreu?

    • Victor disse:

      VM responde: Sim, Angela. Ela se desprendeu por causa da ondulação do asfalto. O que também não é motivo para irem tirar a do Webber e pôr no lugar.

  9. Felipe disse:

    Acho que nenhum nem outro ganhará, a McLaren hoje é muito mais equipe. Na disputa interna, da Webber.

    Felipe, na revista, qual a fonte e o tamanho que vocês a utilizam?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>