MENU

23 de julho de 2010 - 10:56F1

Pastor alemão, 2

SÃO PAULO | A garoa esporádica pouco atrapalhou, e a pista esteve seca em grande parte do tempo permitiu ver a briga intensa entre Red Bull e Ferrari — mais entre Webber e Alonso, propriamente — durante o segundo treino livre em Hockenheim. No fim das contas, o cavalo rampante vermelho ganhou do touro de mesma cor.

Os últimos 50 minutos de treino viram uma alternância na primeira posição entre Alonso e Webber. Começaram andando na casa de 1min18s3 para terminarem em 1min16s265, no caso do espanhol.  

Massa e Vettel se animaram com o revezamento dos colegas e rivais e participaram da briga. Tanto que o alemão é quem acabou com o segundo lugar, apenas 0s029 pior que Alonso. Massa ficou em terceiro, 0s173 de desvantagem. Webber ficou relegado ao quarto lugar.

Aí vieram as Mercedes, com Rosberg mais uma vez aborrecendo a vida de Schumacher. Na sequência, Renault e Williams apareceram. Primeiro, os primeiros pilotos: Kubica em oitavo e Barrichello em nono. Depois, então, Hülkenberg e Vitaly Petrov.

Lewis Hamilton em sétimo e Jenson Button em 15º: eis o resultado da McLaren, que tem, sim, com que se preocupar. A priori, novamente aquele pacote aerodinâmico com a combinação difusor-escapamento não surtiu efeito. Não será de se estranhar, pois, que a equipe resolva abdicar da peça. 

O treino começou com a pista quase que seca em sua totalidade e com a galera toda partindo para uma avaliação de seus carros com ênfase. É que os institutos de meteorologia e o mapa do tempo viam as nuvens se aproximando com rapidez sobre o circuito. Mas no fim das contas, uns pingos ali e acolá acabaram não atravancando a vida de ninguém.

De início, Pedro de la Rosa fez lá um brilhareco com a Sauber. Adrian Sutil, então, passou à ponta, dando a impressão de que poderia ser a grande zebra do fim de semana. Mas aí as coisas retomaram seu rumo. O negócio é entre Red Bull e Ferrari, mesmo. E cai naquela tese de sempre: quando os taurinos vêm muito bem na sexta é porque o resto do fim de semana tende a ser deles.

Só que a Ferrari parece ter se encontrado. Sua evolução e força, mesmo, ainda não foram vistas porque tanto Fernando Alonso quanto Felipe Massa entraram numa maré de má sorte daquelas que só o sal grosso pode resolver. No piso não encharcado, o brasileiro teve uma atuação sem sobressaltos — diferente do que havia acontecido na primeira sessão.

Rosberg e esse até competitivo Schumacher mostraram que ainda são forças relegadas do G4 da F1. E a McLaren tem muito o que pensar nesta fase do campeonato. Hamilton andou só no fim do treino porque seu carro teve de ser arrumado. Button andou o tempo todo — e mal.

A briga como melhor do resto viu mais um avanço da Williams para cima da Force India. Desta vez, os dois carros ficaram à frente de Adrian Sutil, 14º, e Vitantonio Liuzzi, 16º. E a Virgin tomar só 0s2 da Toro Rosso e à frente da Lotus é algo notável. Méritos de Timo Glock.

2 comentários

  1. O Button fez um programa de stints longos visando o acerto para a corrida no domingo, por causa da pancada do Lewis que fez com que o programa da equipe fosse modificado hoje. Aí focarão no acerto pro qualifying amanhã.

    O britânico aprovou o novo difusor e disse que ele funcionou muito bem.

  2. Raphael F1 disse:

    Eu não descartaria a Mclaren não. O Hamilton passou o 2° treino livre todo arrumando o carro depois da pancada q deu no 1°. E pouco mais de 10 minutos q ficou na pista, testando com pneu duro virou em 1:17 cravado. Esse tempo ninguem virou usando os pneus duros. Acho q o hamilton ainda vai aprontar na classificaçao. Ja o button, esse nao se deu muito bem com o novo pacote.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>