MENU

24 de julho de 2010 - 12:04F1

Pastor alemão, 4

SÃO PAULO | O negócio parecia ser tão favorável a Fernando Alonso na classificação deste sábado (24) que muitos até presumiam um domínio inesperado da Ferrari sobre a Red Bull em Hockenheim. Alonso sobrou nas duas primeiras partes do treino e sobrava no terceiro. Mas até a conquista e a celebração da primeira pole no ano e na equipe italiana havia um cruel, muito cruel Sebastian Vettel no meio do caminho.

A última volta de Vettel foi cercada de expectativa e tensão no autódromo alemão. E os 0s002 registrados na linha de chegada levaram à explosão do grupo taurino nos boxes e dos milhares de torcedores nas arquibancadas, ouvidos a pleno da sala de imprensa.

Assim, Vettel chega à quinta pole no ano e deixa a Ferrari zerada. Felipe Massa larga em terceiro, à frente de Mark Webber.

Com 5 minutos e meio de treino, Liuzzi entrou na reta principal e foi além da zebra. O carro escorregou voltou para a pista e a atravessou, batendo violentamente no muro interno — em um acidente que lembrou o de Timo Glock há dois anos na corrida, quando o alemão corria pela Toyota. A roda dianteira esquerda desprendeu-se e voou na direção contrária, quase atingindo a Virgin de.. Glock!, que teve de desviar para não ser atingido. A bandeira vermelha foi acionada para que o carro e os destroços da Force India fossem recolhidos.

Aí foi aquela coisa que Hockenheim viu nos treinos livres: Red Bull e Ferrari brigando ferozmente pela primeira posição: Webber num primeiro momento, Vettel depois e, então, Alonso, com 1min14s808, liderando o Q1. Massa conseguiu a terceira colocação, pondo-se antes do australiano. Lá na zona do estrangulamento precoce, o de sempre: as três novatas mais o acidentado Liuzzi. O único fato interessante e notável foi Bruno Senna colocar a Hispania pertíssimo da Lotus de Heikki Kovalainen e Glock, coisa de 0s2 e/ou 0s3.

Senna parte na 21ª posição, ao passo que Di Grassi vai se ver com o último colchete de largada do grid. Lucas mal treinou. Problemas de câmbio em sua Virgin.

O Q2 foi quase um bis. Webber foi o primeiro a aparecer na frente, mas logo Alonso tratou de mostrar quem é que está reinando no fim de semana. Massa apelou para os pneus moles e logo desbancou os dois, que passaram a usar do mesmo recurso nas saídas seguintes. O espanhol marcou 1min14s081. Vettel, no fim, se meteu em segundo. Webber e Massa vieram na sequência. E de resto, só o sofrimento para a Mercedes — que sonhava ser a terceira força — passar ao Q2. Rosberg até conseguiu. Já Schumacher…

Schumacher também, vai. Mas na verdade, a última volta do alemão havia lhe dado provisoriamente o nono lugar. Rosberg o jogou para a ‘bolha’. E Hülkenberg acabou sendo o autor da eliminação do multicampeão.

Na parte da superpole, o começo se desenhou igual. Webber, Alonso, 1min13s927, a expectativa, Alonso… 1min13s793, a volta de Vettel, a segunda intermediária, +0s043 acima do tempo do espanhol, a entrada na reta principal, e o 1min13s791. O ‘estádio’ veio abaixo. Vettel gritou como sempre no rádio. A conquista em casa também tem sabor de vingança, até porque seu maior adversário num cômputo geral, Webber, não tem sido páreo no fim de semana.

A McLaren conseguiu quinto e sexto, com Jenson Button à frente de Lewis Hamilton. Mas pelo que tem apresentado, não parece ter equipamento para brigar com as rivais. Robert Kubica e Rubens Barrichello dividem a quarta fila dos melhores pilotos fora do G4 e Rosberg e Hülkenberg fecham a quinta.

O GP da Alemanha promete, como diria o poeta limitado, tipo Felipe Paranhos. Mas tem alguns dados e intuições que apontam que Hockenheim vai ficar em ritmo de festa neste domingo com seu Sebastião.

2 comentários

  1. Raphael disse:

    A Mclaren tem um acerto muito bom para pneu duro. Foi a que andou melhor e boa tarde do treino com esse composto. Não descartaria a Mclaren na corrida, ainda mais o Hamilton q sempre larga bem!!

  2. PH di BH disse:

    Vitonez, olho em Lewis Hamilton.
    1) Ele fez 0 6° tempo com pneus duros. Todos a frente dele estão com supermacios
    2) Com pneus duros, a distância da Mclaren para os demais é bem menor.
    Conclusão: Se ele largar bem e se enfiar entre os 3, leva a corrida ou, no mínimo, um 2° lugar atrás do Vettel.
    Apostemos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>