MENU

22 de outubro de 2010 - 3:47F1

Yin Yang, 3

SÃO PAULO | Guiou o fino, esse Webber. Com os pneus duros e usados, andou na balada dos demais com os mais macios. Quando se igualou aos demais, virou 0s2 melhor, com cara de quem poderia ter enfiado 0s5 goela abaixo, já na casa dos imaginados 1min37s. Atrás da Red Bull vieram a Ferrari de Alonso e a McLaren de Hamilton. Parece que os prateados estão mais próximos, e isso se deve mais às condições primárias da pista — ainda sem a aderência/borracha necessária — do que propriamente pela performance do carro.

Entre os três outros companheiros houve um sempre esplêndido Kubica, que pode até aprontar, sim. Tomou 0s7, mas tem uma Renault bem acertadinha, sobretudo no primeiro setor, com mais retas. Petrov é prova de que o carro está bom, terminando em oitavo — e por muitas vezes autor do ‘stint’ inicial mais rápido. Aliás, o mesmo acontece com McLaren e Ferrari. A Red Bull já vem melhor nos outros dois trechos, sinuosos, provando a essência de sua eficiência.

Segue a tabela de tempos, e aparecem embaralhadas Sauber e Mercedes, depois Williams e Force India — que brigam pela primazia duvidosa da sexta força do campeonato —, as Toro Rosso tentam entrar no bolo, e, então, Lotus, Virgin e Hispania. Uma divisão bem clara de como se encontra a F1 e sua relação de forças. É bem por aí, de fato.

Esta pista xexelenta, com a qual a gente vai se acostumando, tende a propiciar uma classificação e uma corrida das mais interessantes, no fim das contas. Já se viu que uma escapadela qualquer detona os pneus. E vai ser impossível fazer as 55 voltas no domingo sem que ninguém erre nada. É no fio da navalha, como dizem os puristas e amantes de clichê.

Yin Yang. Há males que vem pro bem.

5 comentários

  1. felipe antunis disse:

    Frescura maior que a do Francis Jr. só a da FIA em segurar 18 voltas atrás do Safety Car…

  2. Francis Junior disse:

    Alguém consegue explicar como um circuito novo, começado do zero, pode ter tanto muro próximo à pista e em trechos de altíssima velocidade como na reta oposta e na curva que antecede a entrada dos boxes (aliás perigosíssima). Eu, como arquiteto que sou só chego a uma conclusão: Tilke está tão “gagá” quanto o Mr. Bernie. Ao invés de causar emoção criando pontos de ultrapassagem na pista ou curvas desafiadoras, prefere causar “emoção” arriscando a vida de pilotos colocando aquelas aberrações de concreto à 1 palmo da pista. Não é “zicando” a corrida não mas teremos muita sorte se não formos testemunhas oculares de acidente(s) de seríssimas proporções neste fim de semana. Realmente lamentável Mr Tilke.
    Abraço à todos e boa sorte aos pilotos!

    • alexandre disse:

      No projeto do autodromo está previsto aconstrução de uma cidade dentro e em volta da pista. Era pra ser uma pista de rua, devem ter coloacado os muros nos trechos que servirão pra cidade futura.

    • Gabriel de Amorim disse:

      Sim, Mr. Francis Jr., eu também tive a mesmíssima impressão. E senti o mesmo temor de acidentes graves neste final de semana.
      Infelizmente o automobilismo está assim, sem emoção, sem pistas desafiadoras, cada vez mais insossas e – pasme – mais perigosas.
      Lamentável….

      Boa sorte a eles…

  3. felipe antunis disse:

    as condições podem não ser as melhores, mas gostei do traçado…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>