MENU

12 de abril de 2011 - 19:40Stock Car

Ainda sobre o acidente

SÃO PAULO | Vão aí algumas informações a respeito do acidente de Gustavo Sondermann há nove dias em Interlagos.

_ Dados de telemetria apontam que a batida de Pedro Boesel no carro de Sondermann deu-se a 167 km/h. O piloto estava com cerca de 60% do acelerador na subida da Curva do Café. 

_ No próximo dia 18, Boesel vai tirar os pontos da operação que fez na clavícula direita, em que colocou sete pinos. Pedro também teve fratura no cóccix. Uma das marcas do acidente: um ‘J’ perfeito em seu rosto.

_ Prazo mínimo de recuperação de Boesel é de 45 dias.

A sucata dos carros encontra-se ainda nas dependências do autódromo, como um lixão.

_ A família de pelo menos um piloto o proibiu de correr na Copa Montana.

14 comentários

  1. Murphy disse:

    Olá

    TODOS FALAM QUE NA INDY NINGUEM MORRE, NA NASCAR TBM, CERTO??? Procurem se informar um poquinho antes… procurem no youtube vcs verao que morre tbm gente na NASCAR ( nao só na nascar, como nas categorias de acesso ARCA, K&N, etc…) AUSTRALIAN V8 SUPERCARS (que são omegas monobloco com reforços de santo antonio, que todos que criticam a gaiola da JL acham que por ser monobloco é bem mais seguro…) e em diversas categoria espalhadas pelo mundo… Acontece que aqui TODO mundo no Brasil só lê sobre quem vai ser campeao de F-1 e alguns poucos veem apenas os highlights da Sprint Cup… Morre gente em carros de corrida pelo mundo sempre… É UM ESPORTE DE RISCO!!!

    Concordo que faltam testes de impacto e resistencia, mas não credito ESTA morte ao chassis, tanto que se o problema fosse apenas a gaiola da JL, uma semana teve GT3 com ferraris, audis, e lamborghinis e choveu… O que aconteceu??? Safety Car e acabaram com a corrida…. Um Audi R8 não é seguro??? Logico que é!!! Mas a pista possui um problema cronico naquele ponto…

    Não estou querendo polemizar e acho que a Familia Stock car tem mto ainda pra evoluir inclusive em relação a segurança… O que acho foda é ficarem polemizando e destruindo a UNICA categoria realmente de performance deste país (que não tem Gentleman Drivers pilotando)…

  2. Sherlock Holmes disse:

    Aqui de Londres estou com algumas dúvidas. Pelo que sei, esse chassi antigo da Stock não é um projeto de ZF nem da JL, mas sim, de um garagista argentino chamado Edgardo Fernandéz. Edgardo vendeu o projeto para a ABPE no final dos anos 90, associação de pilotos e equipes da Stock Car, portanto, legítima dona do projeto e do carro. A dúvida é: Como este chassi/projeto foi parar na JL? Compraram da ABPE, construíram sob licença? Pagam royalties para a ABPE ou seria a ABPE a verdadeira culpada culpada? Nas minhas investigações, não consegui achar nenhum compromisso de venda ou arrendamento deste chassi/projeto a favor da ZF ou JL. Portanto, será que eles estão pirateando? Humm, bem, se a CBA vai investigar, certamente vai elucidar a questão, até porque o Paulão Gomes, hoje homem executivo da CBA, era da ABPE, vai ser moleza. Mas eu daria uma sugestão: O cara que realmente sabe tudo sobre esta história chama-se Washington Bezerra, este sim pode responder às questões da Evelyn, pois carregou a Stock e a ABPE nas costas por muito tempo. Não que ele seja um doce de pessoa, mas uma coisa ele é: autêntico. Que tal uma entrevista com ele, seria o máximo!

  3. Rodrigo disse:

    Victor:

    Acho interessante que ninguém fala que o acidente foi ocasionado por um toque de outro concorrente. Toques esses que são frequentes e, na sua maioria, não são punidos. Trata-se de uma questão cultural, que vem com os pilotos desde sua formação. Fossem as autoridades enérgicas em relação aos famosos “totós”, teríamos um número muito menor de acidentes, lesões, mortes e prejuízos materiais. A origem dos acidente é que deve ser discutida, resolvida e punida severamente.
    Ninguém comenta, também, sobre o resgate do Gustavo. Ninguém explicou a forma como foi feito. Estranho…
    Grande abraço

  4. Rogevilson disse:

    Tu fugiu da escola né ? Assumindo que o carro desacelerou de 167km/h para 0 em um décimo de segundo, a desacelração foi de mais de 46 Gs.

    • André disse:

      Obviamente a desaceleração não foi a 0km/h. Joguem limpo com os dados. A morte não foi causada por desaceleração, como dizem os fãs desse carro-gaiola-lixão. Ninguém está morrendo na Indy, na Nascar, nem em lugar nenhum por desacelerar direto no muro.

  5. zezinho disse:

    Depois que o “spray” da chuva começou a baixar a tropa de choque da CBA capitaneada pelo agente secreto Rei Valduga (ninguem notou que ele desapareceu), lançou a culpa na curva do Cafe, que pela propria fragilidade começa a perder força a postura ridicula da CBA.

    Tivemos a exibição de um video mostrando a incompetencia do resgate, ouvimos declarações do fabricante do carro e detentor do monopolio das gaiolas e motores de aluguel no Brasil que o banco “poderia” ser melhor, a visão do piloto pelo seu posicionamento e pelo parabrisa e prejudicada e agora a telemetria confirmando A BAIXA VELOCIDADE DO CARRO, na 5a. feira antes da prova o Victor Martins sutilmente informou que a testeira estava maior do que previa o regulamento, o que diminui o campo visual, logo alguem vai descobrir que o CTDN presidido pelo rei Valduga, funcionario da Vicar, pago pela CBA e faturando por fora aqui na Federação Gaucha foi quem aprovou a participaçã o de pilotos sem experiencia alguma para dominar os 300 cavalos enterrados em uma contestada e velha gaiola, e ainda autorizou que os 300 cavalos poderiam ser auxiliados por um pouco de NITRO para dar mais emoção, afinal os pilotos estão a principio pilotando carros iguais e para cumprir as exigencias da Globo meteram um numero que ocupa 30 % do parabrisa para prejudicar ainda mais a visão do piloto.

    Ninguem parou para fazer um estudo de quantas centenas de milhares de vezes os carros de competição passaram sem problema algum pela curva do Cafe, afinal Interlagos recebe 20 provas por ano com um total de 22 a 25 categorias que passam pela curva do Cafe no minimo 40 vezes cada carro . DEPOIS DE TUDO ISTO TEMOS QUE PENSAR ANTES DE CRUCIFICAR INTERLAGOS, ANTES SERIA IMPORTANTE DESCOBRIR ONDE SE ESCONDEU O REI VALDUGA o dono da caneta e operador das cordas que guiam o fantoche mor.

  6. Everton Rupel disse:

    E a Curva do Café vai ganhar área de escape? E os toques q causaram as mortes de Rafa Sperafico e Sondermann? Esse arrojo na briga pelo espaço na pista, na competencia pra guiar um carro potente como o da Stock ninguem fala.

  7. André disse:

    Quem foi o proibidão pela familia?
    André / Piloto no http://www.f1bc.com

  8. Fernando Passos disse:

    Os pedaços do carro já faziam parte de um lixão, quando este ainda possui 4 rodas, alguns fracos tubos de aço soldados e um motor e era chamado de “carro da montana”

  9. Lubacris disse:

    Quando que 167 km/h é velocidade baixa!? Pra quem está parado na frente do carro é uma aceleração absurda a que foi submetido o corpo do Piloto. Pro Pedro Boesel a desaceleração foi menor, já que o carro continuou se arrastando.

    Esses acidentes em “T” são terríveis!

    • Anderson disse:

      Na Nascar as batidas em T acontecem o tempo todo e ninguem morre. Por que será?

    • Sidney disse:

      Uai , para um carro de 240 km/h de final , não é baixa , mas não é alta tmabém , e acidente em T é menos que pancar no muro , afinal o carro está solto . O carro não é de plastico , mas é bem amis fragil do que o necessario. Acidentes em T , ocorrem em todas as etapas da Nascar ( regional,nacional,liga,truck ) em ovais e os carros suportam . Acho que o conceito de motor de nascar em carro diferente da nascar é o que complica.

  10. Thiago Barbosa disse:

    Ferimentos demais para um acidente em velocidade relativamente baixa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>