MENU

25 de abril de 2011 - 12:31Automobilismo brasileiro, F1

O futuro do Brasil

SÃO PAULO | Foram quatro dias de tentativa de descanso na agradável Passos, lá no sul de Minas, mas o jornalismo dinâmico sempre urge. É nesta semana, meus caros, que a Revista Warm Up vai tratar de um assunto delicado, que requereu um amplo trabalho de investigação e apuração dos fatos e que aponta mais um exemplo de como o automobilismo vem sendo tratado nestas terras. Vale muito a pena.

E falando no ‘nosso’ automobilismo, Felipe Nasr e Lucas Foresti vêm mandando muito bem na F3 Inglesa. Hoje em Oulton Park, Nasr venceu e Foresti completou a dobradinha. No sábado, na primeira das três primeiras provas, foi o inverso. O campeonato ainda é muito bem visto como categoria de base na Europa, então a chance de saltos muito maiores para as próximas temporadas é enorme, GP2 e por aí vai.

Sei à boca pequena que a carreira de Nasr, administrada pela Raikkonen Robertson (Double R), tem um contrato bem amarradinho que faz a empresa de gerenciamento colocar o piloto na F1 até 2014. É uma história que vai constar nas próximas Warm Up, certamente. Foresti galga passos para segui-lo e merece os aplausos por seu esforço. Pietro Fantin também tenta aparecer. E a atuação deles já dá ideia de quem será o futuro do Brasil na categoria máxima do automobilismo.

Porque de resto, pelo jeito…

Adendo: Lito Cavalcanti, comentarista, boêmio e mandante oficial de vírus de computador, me lembrou a tempo: tem também César Ramos, excelente piloto que está na World Series. Será que esqueci de alguém mais?

28 comentários

  1. ELINALDO disse:

    O NASR E DE UMA FAMILIA TRADICIONALISSIMA DO NOSSO AUTOMOBILISMO ALEM DE SER MUITO BEM ORIENTADO PELO TIO AMIR .TEM UM TALENTO NATURAL IMPRECIONANTE . O Foreste e muuuuitooo imaturo , filinho de mamae . Mas esta se preparando muito para tentar fazer oque o tio CONSTANTINO nao conceguiu fazer , embora o tio CONSTA foi mais piloto que elE . O Foreste tem uma quilometragem em termos de Automobilismo que talvez so o NELSINHO tenha tido com sua idade . Vamos torcer para que ELES chegem a F-1 . Boa sorte GAROTOS .

  2. Roberto disse:

    Tem muita gente, jornalistas, comentaristas que não sabem na verdade o que acontece por trás dos resultados e grids… Automobilismo depende muito de dinheiro, e quem tem verba maior como Yann Cunha, Pietro Fantin, Foresti, esses filhos de “papai rico” sobram em termos de material e performance junto com os treinos. Um piloto que confio mas que sempre teve pouco investimento é o Lu Boesel. Com um carro limitado e pelo que sei sem treinos sempre foi rápido! chegou nos Estados Unidos na INDY LIGHTS com equipamento de pónta e foi o mais rápido! mais rápido até que o Josef Newgarden! Quem sabe sabe…

  3. Ron Charles disse:

    De todos da F3 UK, o mais novinho (chegou agora, 1º campeonato) é o Pietro Fantin.
    Vi este guri andar lá no Velopark e deu para ver que leva jeito.
    É esperar para ele se acostumar com o grid cheio lá de fora…

  4. VANDERLAN DINIZ disse:

    Desejo sucesso a todos, mas acho que o mais talentoso de todos e’ o Nicolas. Agora chegar la e’ outra historia tem varios fatores envolvidos. Nao conhecia o Nicolas ate qdo o vi andar pela primeira vez em umas corridas aqui na Florida, oqual me fez lembrar muito seu estilo arrojado do nosso tricampeao Airton Senna. Sucesso a todos.

  5. Carlos Moraes disse:

    Po Victor!
    Estava em Passos tb no feriado! Podiamos ter tomado umas e vc poderiar ter autografado a Edição 1 do “Anuario” WarmUp!
    []´s

  6. Gilles_Senna disse:

    Bruno Senna, Lucas di Grassi, Luiz Razia, Felipe Nasr, Lucas Foresti, César Ramos, Nicolas Costa – todos eles (e eventualmente ainda mais um ou outro) representam o futuro do Brasil no automobilismo. Até Nelsinho Piquet tem uma longa carreira pela frente embora dificilmente possa voltar à F1.

    O que é preciso é ter a oportunidade certa e dinheiro, pois talento é coisa que não falta. Nem talento, nem tradição de grandes pilotos, com 3 campeões mundiais e 6 vencedores de GP.

    Barrichello deve estar no fim. Teve o mérito de manter um bom nível na F1 durante quase duas décadas mas faltou-lhe sempre qualquer coisa, sobrou em talento aquilo que faltou em estofo de campeão. Massa pode não ser tão dotado como o Rubinho (pelo menos demorou mais a mostrar um bom nível) mas conseguiu o que este nunca conseguiu, discutindo campeonatos com pilotos fora de série como Hamilton e Raikkonen. Em 2007 comandou o campeonato até Monza e só começou a perder para Raikkonen depois de um motor partido. Em 2008 só por acaso não foi campeão. É certo que Hamilton teve alguns azares por conta da FIA e até uma vitória limpa lhe tiraram. Mas Massa perdeu talvez ainda mais com azares, sobretudo em Hungaroring e Singapura. Barrichello nunca atingiu este nível e a prova disso foi em 2009 não ter conseguido ganhar nada na altura em que os Brawn foram claramente os melhores. O Button venceu seis (6!) corridas em 7 possíveis e ele nenhuma. Depois aproveitou as dificuldades do inglês com carros menos estavéis e menos dominadores para vencer em Valencia e Monza mas nunca esteve a menos de 14 pontos do inglês.

    Bruno Senna é agora a esperança mais imediata na F1 e é sem dúvida o brasileiro com mais potencial para vir a ser campeão mundial. Mesmo com tudo a seu desfavor (abandono da Honda, falta de testes, entrada com um carro sem os padrões mínimos exigidos a um F1 e perda de titularidade por falta de apoios financeiros) ele não desiste e no teste de Jerez confirmou aquilo que já tinha mostrado com a Honda em 2008, quando foi quase tão rápido como o Button sem qualquer experiência prévia.

    O Bruno não se limitou a andar nos tempos do Heidfeld com o mesmo tipo de pneus, mostrando igualmente uma consistência de tempos digna de registo e nada inferior à do alemão. Este só garantiu a vaga porque a equipa já tinha optado por um piloto bastante experiente para assumir o lugar do Kubica. É preciso que se diga que o alemão tinha também a vantagem de conhecer o KERS (de 2009) e de ter desenvolvido os Pirelli. Além disso no dia em que andou a pista teve melhores condições de aderência, enquanto o Bruno apanhou uma pista com menos temperatura e mais vento, fazendo apenas uma tentativa com pneus macios e nenhuma com os super-macios.

    Com os pneus mais duros:

    HEIDFELD – 1m21s933
    SENNA – 1m21s990

    Com os pneus macios:

    HEIDFELD – 1m21s270
    SENNA – 1m21s400

    (Senna fez apenas uma tentativa com os pneus macios)

    Com os pneus super-macios:

    HEIDFELD – 1m20s361

    (Senna não teve tempo de fazer qualquer tentativa com os pneus super-macios)

    Quanto à média dos stints:

    Nick Heidfeld, 12 de Fevereiro de 2011
    8 stints, tempo médio por volta de 1:23.741

    1° stint – 6 voltas, 1:24.091 (média)
    2° stint – 3 voltas, 1:23.917
    3° stint – 9 voltas, 1:23.747
    4° stint – 9 voltas, 1:22.999
    5° stint – 9 voltas, 1:24.611
    6° stint – 9 voltas, 1:23.991
    7° stint – 9 voltas, 1:22.959
    8° stint – 8 voltas, 1:23.536

    Bruno Senna, 13 de Fevereiro de 2011
    6 stints, tempo médio por volta de 1:23.921

    1° stint – 7 voltas, 1:24.620 (média)
    2° stint – 11 voltas, 1:23.576
    3° stint – 11 voltas, 1:24.047
    4° stint – 8 voltas, 1:24.263
    5° stint – 3 voltas, 1:23.349
    6° stint – 5 voltas, 1:23.056

    Acresce ainda que Bruno Senna fez a melhor média de todos os pilotos presentes em Jerez no dia 13 de Fevereiro, algo que o alemão não conseguira na véspera, apesar de ter obtido o melhor tempo graças à utilização dos super-macios.

    Portanto, sobretudo tendo em conta a enorme margem de progressão do Bruno Senna (seria ainda muito mais rápido com mais treino e a possibilidade de correr como titular), parece-me óbvio que o piloto, além de ter ganho muito espaço na equipa (participando até nas reuniões técnicas como se fosse titular) merece da parte dos seus compatriotas todo o apoio tendo em vista o futuro. Se não for titular na Renault Lotus em 2012 (ao lado de Kubica seria fantástico), acabará por ser titular numa outra equipa mais tarde ou mais cedo.

    Lembrem-se também que o sucesso de Bruno Senna (só dependente de ter a oportunidade que há muito tempo merece) não pode deixar de ser benéfico para outros jovens valores que correm nas categorias de promoção, dando um novo fôlego a todo o automobilismo brasileiro.

  7. André Machado disse:

    E o Luiz Razia? É o único brasileiro na GP2…

  8. Ricardo Arcuri (Paddock Press) disse:

    Victor, gostaria de colocar nessa lista do “provaveis talvez o Adriano Buzaid, que ta vencendo corridas e chamando a atençao na F-3 inglesa. Pode nao parecer muito, mas ta seguindo os passos de um brasileiro tricampeao que conhecemos bem!

  9. Wendell Fiorin disse:

    Eu baixei no RU as corridas de Monza, Meu teve um pega pela primeira posição entre Foresti e Nasr de arrepiar, com direito a toque e tudo.
    Não sei se é impressão minha mais o Nasr parece ter um equipamento um pouco melhor que o Foresti.

  10. Wendell Fiorin disse:

    Por onde anda o Buzaid???

  11. Jimmy JJ disse:

    Desculpem meu ceticismo, mas nenhum deles vai vingar. Todos esses no máximo chegarão onde o outro chamado di Grassi chegou, ou seja lugar nenhum…….

    Lamento, mas essa é a história, basta esperar para ver.

    Sempre tiveram melhores contemporâneos que eles aqui mesmo no Brasil no kart. E todos sabem disso.

    Mas, boa sorte a todos! Vale a pena tentar!

  12. Fábio Konrad disse:

    Nicolas foi campeão da F- Future em 2010 e como prêmio, passou a ingressar na academia de pilotos da Ferrari. Está correndo na Itália de F- Abarth sim e já vem sendo um dos destaques por lá . Tem muito potencial e acredito que vai ser um nome mais forte em breve . Vamos torcer !

  13. MAX disse:

    Nicolas Costa, se nao me engano, já esta frequentando pódios lá na F- Abarth.Em questao de raça, nao perde pra ninguem.

  14. RafinhaDias disse:

    Talvez, assim, quem sabe, e num outro estágio, o Yann Cunha, que se destacou no pequeno grid da F3 Sudamericana. É jovem e corre de monoposto, coisa rara.

  15. Reinaldo disse:

    Felipe Nars estará na F1 com certeza, tem bom contrato, um título na F BMW e deve levar a F3 Inglesa este ano. Agora quanto a Lucas Forest, é um piloto que sempre acompanhei desde o Kart e posso dizer, este ano ele está demonstrando uma evolução assustadora, em se mantendo neste ritmo deve chegar também a F1 já que dinheiro pra ele não parece ser problema. Yan Cunha já demonstrou ser muito bom piloto assim como Pietro Fantin e td vai depender da grana e das escolhas, já Pipo Derani confesso que não conheço. Uma coisa que devemos observar é que Felipe e Lucas estão em seu segundo ano de F3 Inglesa enquanto os outros são debutantes na competição!

    • Zalex disse:

      Essa evolução assustadora do Lucas, se deve a ele próprio é claro, mas também ao acompanhamento de perto, desde o ano passado, de Roberto Pupo Moreno.
      O Moreno vem acompanhando o Lucas, desde a escolha da equipe inclusive quando trouxe a Brasília no final do ano o engenheiro e os pneus (ingleses) para o Lucas treinar.

    • fernando amaral disse:

      Reinaldo, está ok o qvc disse, só espero que o “Nars” seja apenas erro de digitação – mas eu ouvi um dos ensandecidos narradores do Speed Channel afirmando categoricamente que o nome do brasiliense se pronuncia “Nars” e não “Nasser” – que é o que eu sempre escutei dizer do nome da equipe de pai e tio, Samir e Amir Nasr, e que é a lógica da pronúncia em português desse sobrenome sirio-libanês.

    • Luciano Monteiro disse:

      A pronúncia correta e “Nasser”.

  16. Bruno Eizo disse:

    Pipo Derani. Esse ainda é muito novo mas já corre (ou correu) na F3 alemã.

    fica para uma geração depois do Nasr

  17. Sandro Maia disse:

    Pessoal,

    E o Pedro Bianchini? Desde pequeno é patrocinado pela Red Bull. Ele iniciou uma carreira européia não faz muito tempo. É Brazuca de São José dos Pinhais-PR.

    Sds

  18. dinga boys disse:

    cedo, mt cedo para apostar em qq um deles. Dirani, Di Grassi, Senna e Buzaid tb venceram corridas na F3 nos últimos anos. Acho q até o Valério.

    O Nasr tem uma formação mais sólida, desde o kart, mas lembrem-se tb que a F3 UK é o campeonato onde mais se pode treinar no mundo e alguns dos “brazucas” que lá estão podem investir em treinos a vontade (Foresti/Fantin/Cunha, por ex.). Prefiro esperar o que farão/fariam na GP2, com 12 voltas antes do qualifying. E só.

    • fernando amaral disse:

      pois é, buzaid e gabriel dias venceram corridas, se deram bem no ambiente da F3 inglesa, mas não conseguiram o título. talvez isso seja fundamental para seguir em frente nos monopostos, ao menos para pilotos sulamericanos.

  19. Valdner disse:

    É o caso de geração espontânea, pois não existe categoria de base adequada no Brasil faz tempo. Para ter piloto na F1 do Brasil no futuro, só assim mesmo. Só na raça.

  20. Sidney disse:

    Por ser um jornalista extremamente competente e conhecedor do automobilismo, está certo, não faltou ninguém .

Deixe uma resposta para Gilles_Senna Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>