MENU

29 de abril de 2011 - 14:21F-Indy

Anhembindy, 4

ANHEMBI | Boa tarde, Anhembi ao vivo e ‘in loco’, que é sempre o que vale. O sol voltou à capital paulista, temperatura já chegou a 27ºC, assim deve ficar até o fim de semana, seco.

Mas aí vai uma boa história.

A organização da corrida da Indy aqui em São Paulo queria aproveitar a coincidência da data com o aniversário de morte de Ayrton Senna para render algumas homenagens. Desde outubro do ano passado, começou-se a confabular o que poderia ser feito. Duas ideias começaram a vingar: a de trazer o Penske #4 com a qual o brasileiro fez um teste em 1992, no misto de Firebird, e a de os cinco pilotos locais usarem um capacete dividido, com pintura entre as que usam normalmente e a outra parte lembrando as cores de Ayrton.

Evidente que havia uma série de empecilhos. Tirar o veículo lá do museu em Mooresville para trazer a São Paulo, além de uma questão logística, tem todo um envolvimento sentimental. Roger Penske não deixa que se mexa em absolutamente nada, a não ser que se ponha o veículo para um shakedown, acionar o motor, coisa e tal. E tem outra: o carro era patrocinado pela Marlboro.

A propaganda tabagista é proibida por aqui. E é proibido tirar a poeira, que dirá o adesivo.

Aí deixaram de lado um tempo, e depois quando tentaram reativar a proposta, já se fazia tarde. Partiram para a sugestão dos cascos com pintura à la BAR 1999, que seriam posteriormente mandados ao Instituto Ayrton Senna.

Só na etapa de Long Beach, portanto há duas semanas, que foram questionar os pilotos se seria viável. Não, claro, os capacetes para esta prova, com seus respectivos patrocinadores, já estavam com seu layout definido há muito tempo. Chegou-se a um consenso de que deveriam ser pegos, então, cinco capacetes, que seriam pintados pela Artmix com as metades propostas, sem ‘sponsors’, e posteriormente assinados por Castroneves, Kanaan, Meira, Matos e srta. Figueiredo.

Toparam, e a homenagem seria anunciada ontem, com as pompas devidas. Mas acabou cancelada.

A organização alegou que os custos, R$ 25 mil pelos cascos desenhados, eram muito altos.

21 comentários

  1. Elson disse:

    Sem dúvida, teve efeito prático sim. E esta é uma tendência, que tomara que continue, já que o vício do tabagismo não traz benefícios a ninguém !

  2. Maxwell Barbosa Medeiros disse:

    Tipo, sei lá, vai com capacete branco e cola um adesivo. sai mais em conta.

  3. Marcos disse:

    Tenho certeza que nesta brincadeira toda tivesse um patrocínio com certeza a história seria diferente.O dinheiro fala mais alto do que qualquer homenagem.

  4. guido ricardo disse:

    ….. e não daria certo usarem os capacetes nas cores do Senna com os patrocínios atuais e corretos, já que os patrocinadores destes pilotos teem razão e de qualquer forma teriam que fazer o capacete!!???
    Sem contar que seria uma homenagem bem legal.
    grande abraço e boa corrida aos brazukas.

  5. André disse:

    Ideias meio esquisitas. E deveriam esperar por este custo, afinal pintar capacetes é caro mesmo. Queriam que fosse de graça?
    André / Piloto no http://www.f1bc.com

  6. HM disse:

    tem certeza que a a propaganda de tabaco traria problema já que está em algo historicamente relevante?
    não pode divulgar fotos e videos antigos de corrida cheios disso?

    o Fittipaldi não desfilou na TV, na cidade, em Interlagos com “John Player Special” colado no carro?

  7. Sandro disse:

    Outros tempos!
    E pensar que a Copa do Mundo de 1986 teve como um dos patrocinadores o… cigarro Camel! Isso mesmo!
    Num pode mais fazer propaganda de cigarro nas midias! Teve algum efeito pratico o antitabagismo?????
    E a F-1 dava retorno financeiro para a Philips Morris. De cada dolar investido retornava outro dolar (leia-se Marlboro).
    E quando teve um campeonato escolar de handball o nome do time que eu jogava era John Player Special – ou JPS na tabela dos jogos. Olha a influencia da Lotus de Senna, hehehe!

  8. Fabricio disse:

    Q estranho, a Artmix cobra 3000 para pintar um capacete com Layout e tudo….

  9. eduardo furlanetto disse:

    Qto ao fato de ser Marlboro o patrocinador, porque entao, se não me engano em 2005, a Lotus JPS do nosso mito andou??? Uma pena…

  10. Paulo Heidenreich Jr disse:

    Cá pra nós.. Esse capacete amarelo, nesse carro vermelho e branco.. Que combinação.. Seria um sonho ver isso !!

  11. Filipe disse:

    O Roger Penske tem um envolvimento sentimental com este carro porque o Ayrton Senna o dirigiu?
    Ou é assim com todos os carros no museu em Mooresville?

  12. Jose Roberto Roberto disse:

    Bem que ele (Airton Senna ) merece todos as homenagem ….Todos os corredores Brasileiros poderiam correr com os capacetes na cor do que o Ayrton usava.

    • roger v disse:

      -Que idéia…. aliás tudo que é capacete devia ter a mesma pintura…. 8-0….

      Vamos combinar que eu usaria a do Emerson….outros do Velho Chico Landi, ou ainda do Ingo, do Piquet… e toda a orda de pilotos que estivaram na F1.
      E mais temos que aprender a escrever certo, o nome dele era Ayrton Senna !

      (não sou um torcedor dele…muito pelo contrário).

  13. Rod disse:

    Info:
    Confira os campeões da IndyCar Series ou IRL (Indy Racing League até 2007):

    2010 – Dario Franchitti
    2009 – Dario Franchitti
    2008 – Scott Dixon

    2007 – Dario Franchitti
    2006 – Sam Hornish Jr.
    2005 – Dan Wheldon
    2004 – Tony Kanaan
    2003 – Scott Dixon
    2002 – Sam Hornish Jr.
    2001 – Sam Hornish Jr.
    2000 – Buddy Lazier
    1999 – Greg Ray
    1998 – Kenny Bräck
    1997 – Tony Stewart
    1996 – Scott Sharp/Buzz Calkins

    Confira os campeões da antiga Fórmula Indy (até 1995), CART e ChampCar desde 1989:

    2007 – Sébastien Bourdais
    2006 – Sébastien Bourdais
    2005 – Sébastien Bourdais
    2004 – Sébastien Bourdais
    2003 – Paul Tracy
    2002 – Cristiano da Matta
    2001 – Gil de Ferran
    2000 – Gil de Ferran
    1999 – Juan Pablo Montoya
    1998 – Alessandro Zanardi
    1997 – Alessandro Zanardi
    1996 – Jimmy Vasser
    1995 – Jacques Villeneuve
    1994 – Al Unser, Jr.
    1993 – Nigel Mansell
    1992 – Bobby Rahal
    1991 – Michael Andretti
    1990 – Al Unser, Jr.
    1989 – Emerson Fittipaldi

  14. Fernando C disse:

    quem quiser fumar vai na padaria e compra um cigarro, com ou sem propaganda…..esse mundo anda muito chato. Não pode nada se todo mundo não ganhar o seu! O que poderia ser uma publicidade legal vira essa merda toda!
    Abraços

  15. guilherme disse:

    Que pusta fuleiragem, hein? Seria trágico se não fosse típico.

  16. Chicoiab disse:

    Fico agora na dúvida…

    Se uma “simples” homenagem, já dá errado pela falta de organização/tempo…

    Quem dera uma copa do mundo e olimpíadas….

    Este é o Brasil-sil-sil!!!

  17. Di_GT disse:

    bobagem essa coisa de proibicao tabagista. coisas do século mais sem graça da história da humanidade.

  18. Bruno Santos disse:

    Eu na minha humilde opinião concordo! acharia mais sensato homenagens singelas e discretas.

  19. RafinhaDias disse:

    O lance do Penske seria bem interessante. Já Elvis

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>