MENU

25 de setembro de 2011 - 12:06F1

Cidade-estado, 3

SÃO PAULO | A melhor coisa destas duas horas do GP de Cingapura foi ver Tony Fernandes reclamando de Jaime Alguersuari o tempo todo no Twitter por ter acertado seu piloto Jarno Trulli, sem nunca acertar o nome do espanhol. Como diria minha bisavó, não chamando de ‘filho da puta’, está bom, embora o endinheirado malaio tenha pensado nisso. Mas a corrida em si foi aquilo desta temporada: Vettel larga, faz a primeira curva na frente e se vai, e como um satélite desgovernado, ninguém mais vê.

Com cinco voltas, Vettel já tinha aberto uma distância de 7 segundos para Button, segundo facilmente depois que Webber largou mal pela 76ª vez no ano e derrubou Hamilton consigo. Não há Roberto Shinyashiki no mundo que motive um piloto a tentar algo. O negócio era ver se depois da longa corrida, Vettel comemoraria o título. Em nenhum momento, a combinação de resultados apontou para tal porque Button cantou o refrão preferido do colega alemão, o “daqui não saio, daqui ninguém me tira” também.

Aliás, pecado, mesmo, Button estar guiando o fino e não ser campeão. Pena.

Alonso também jantou Webber na largada e só perdeu o terceiro lugar porque os pneus da Ferrari dissolvem tão rápido quanto os da Mercedes. Assim, o espanhol, tal como Massa, foi obrigado a parar antes que os demais. Ainda que depois das paradas volte na frente dos rivais, o ciclo do desgaste impede que a defesa da posição dure. E olha que Webber só retomou o lugar no pódio depois de uma cochilada de Fernandito na relargada pós-safety-car, acionado com a piaba que Schumacher deu em Ligeirinho Pérez. Assim ficou entre os quatro primeiros.

Hamilton e Massa, que deveriam completar o grupo dos seis primeiros, na verdade completaram a manobra de choque que foi ensaiada ontem no Q3. O inglês quis porque quis passar o brasileiro na fase final da classificação, aos que não se recordam, e hoje deu um toque evitável em Felipe ao tentar ultrapassá-lo ainda no começo da prova. O pneu de Felipe e a paciência foram para o espaço. Bastardo!, gritou Massa, no que pôde ir para o ar na transmissão da TV. Os dois foram para os pits, Hamilton para trocar a asa dianteira e, posteriormente para pagar a punição, e acabaram partindo juntos para uma recuperação. Digamos que Hamilton tenha conseguido e foi passando todo mundo para chegar em quinto. Massa penou para superar Pérez e ser nono. E depois da prova, digamos que Massa foi atrás de Hamilton pra tirar satisfação, em cena que quem acompanhou descreveu como patética. Chamaram o Ratinho, e tudo foi resolvido.

Hamilton e Massa não precisam apenas tirar a zica, digamos assim. Também ouvi por aí que o primeiro precisava de um psiquiatra. Mas na verdade, um pouco mais de pilotagem, e cabeça, cairia muitíssimo bem.

Di Resta foi o nome da prova. A Force India, cônscia de que sairia pelo menos com nono e décimo lugares, variou na estratégia e pôs o escocês para um primeiro trecho de corrida mais longo, numa clara tentativa de fazê-lo parar uma vez menos — já que o tempo perdido nos pits de Cingapura é deveras exagerado. Sem Massa e Hamilton, o companheiro e as Mercedes já com uma parada no bolso, lá estava Paul em quinto. Aí veio o safety-car, tal, as coisas realinharam, e ainda assim ele se manteve impassível e só passado por Hamilton, que voava com pneus novos no fim. É um cara ótimo, de fato, e não à toa é o único garantido no time em 2012. Sutil foi oitavo, atrás de Rosberg e seu fixo sétimo lugar.

Barrichello chegou a beliscar a zona de pontos, mas teve de amargurar com o 12º posto. Agora a Lotus Renault foi uma piada. Andou no ritmo da xará verde, tanto que Kovalainen terminou a prova à frente de Petrov. Senna teve problemas, parou uma vez mais para trocar o bico, e ficou à frente de ambos. Essa só entra para a conta de Bruno como a virada sobre o parceiro, num comparativo direto. E que a vida não é tão fácil assim no time em que Petrov paga a conta e ele leva patrocinadores, pelo que andei ouvindo por aí.

Basta a Vettel pontuar no Japão, isso se Button, agora segundo na classificação, vencer. Pura teta de nega, e vai ser em Suzuka a grande decisão. Um palco muito mais valoroso para que Sebastian chegue ao seu pujante título e, certamente, com uma corrida muito mais interessante que a de hoje.

10 comentários

  1. André Miranda disse:

    Patética nada, Hamiltom é folgado e tá precisando levar uns tapas no ombro pra acordar pra vida, eu já não ia ter tanta paciência e daria uma porrada na cara!

  2. Concordo Victor!
    Só uma Ferrari anda…
    A do Massa nem com o Galvão Chatão Bueno empurrando e puxando o saco do Mafffssa anda mais…
    Vamos cair na real, o Massa é mediano e já perdeu a vez! Até o Barrichello andaria maus que ele com essa Ferrari…

  3. Ricardo Arcuri disse:

    É lamentavel ver Button “pilotando o fino” e nao ser campeao? Entao, pq ele nao “pilotou o fino” a temporada inteira e fez frente ao Vettel? Onde ele tava no começo da temporada, que ate esqueci que existia?

    Nao me levem a mal, mas tem de parar com essa mania de elogiar piloto mediano. Button é isso e nada mais!!! Sim, ele tem uma pilotagem fina e tecnica, mas é inegavel que lhe falta explosao, agressividade, que na hora do “vamos ver” é o que conta mesmo. Se acham que to errado, voltem a 2009 e me respondam: quantas corridas ele ganhou na 2a. metade da temporada, qdo o carro dele nao era o melhor da pista?

    Vettel sim que merece. Foi calculista quando era para ser e agressivo quando precisou. Gostem ou nao, ele sim esta pilotando “o fino”.

  4. Edson Framil disse:

    a vida na Renault-Lotus Lada não é fácil? com certeza parece que não é… mas você podia nos esclarecer esses pontos obscuros com as informações que obteve

  5. Carlos Roberto da Silva Junior disse:

    O Felipe Massa além da surra grande que vem levando do Fernando Alonso agora tem essa zica com Hamilton e ainda me parece que ele (Massa) sempre leva á pior e ano que vem adeus Ferrari.

  6. Bruno Valle disse:

    Minha aposta é que em Suzuka, pelas curvas de alta e pela fase inacreditável de Vettel, o moço dará voltas até no 4o colocado, sussa!
    O que me deixou curioso foi a grande diferença (maior do que nas outras pistas) entre as melhores voltas dos pilotos na corrida e o tempo de classificação no Q3 (pelo menos de 4s)….

    Por fim, acredito que as corridas fiquem melhores, agora que o título está decidido. Ninguém terá nada a perder…as estratégias serão mais arriscadas, buscando simplesmente as vitórias!! Poderemos observar como aquela ideia da FIA, de tempos atrás , funcionaria (de o campeonato ser decidido pelo número de vitórias).
    Saudações com tapinha no ombro! rs

  7. men disse:

    “e acabaram partindo juntos para uma recuperação.”, nao foi bem assim, massa fez uma volta lentissima com pneu furado e Hamilton fez uma volta quase normal com apenas um pedaço da asa quebrado. NO MAIS Sutil e Di rESTA FACILITaram DEMAIS pro hamilton Filho. independente disto nem se compara os carros.

    • Victor disse:

      VM responde: Hamilton, depois da punição, voltou ATRÁS de Massa. Chegou em quinto. Massa, em nono.

    • Francis Revers disse:

      sim…5° e 9° ..porém o desempenho da ferrari contra a mclaren não era o mesmo..nem de perto…é só ver os desempenhos de button e de Alonso…a comparação é apenas para polêmica…não determina nada…(antes que caracterizem…acho auq o tempo do massa tb já era)…e quer saber…não vi polêmica nenhuma…apenas um “good job” nada demais…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>