MENU

29 de dezembro de 2011 - 17:59F1

Os top-3

SÃO PAULO | Pode ser que este seja o último post de 2011, e desde já faço aqueles votos de sempre: um grande 2012 a todos vocês leitores, assíduos ou perenes, muita paz, saúde, felicidade, sucesso, força e inteligência.

Estive pensando nestes dias nos melhores e piores momentos do esporte a motor neste ano, e resolvi fazer uma listinha pequena, de três cada, com uns breves comentários. Os senhores, pois, tratem de comentar.

Melhores

1) A Indy 500. Essa eu dei uma sorte daquelas. Viver aquilo foi espetacular. Foi uma espécie de continuação do que aconteceu naquele GP do Brasil de 2008, a curva final, a decisão de um título/uma vitória. Lá pela volta 170, lembro que estava preparando a reportagem da corrida totalmente voltado a mais uma conquista de Dario Franchitti. Parágrafos iniciais já estavam escritos, e a exaltação ao escocês estava ali pelo domínio absoluto da prova. As mudanças começaram a vir como efeito-cascata, a ponto de pensarmos que um não muito conhecido Bertrand Baguette venceria pela equipe de Bobby Rahal e David Letterman, apontando um final não muito aprazível ao público para uma prova de comemoração centenária. Aí pintou JR Hildebrand bem na parada, com um desempenho sólido durante a prova inteira e uma equipe que buscava acabar com o estigma de ter sido segunda nas últimas três edições, duas delas com Dan Wheldon.

Naqueles instantes finais, a sala de imprensa em Indianápolis pôs-se de pé tal como as arquibancadas que empurravam o rapaz americano de uma equipe com sede em Indiana e cores da Guarda Nacional. A volta 199 seria meramente um último desfile. Não fosse a última curva.

Numa análise mais distante agora, o grito do povo é que foi o mais marcante em tudo aquilo e durou o tempo que Wheldon levou para ultrapassar Hildebrand e ganhar a corrida. Nesta análise ainda distante, considerando tudo que aconteceu depois, Hildebrand tinha de bater pra Wheldon vencer sua última corrida. “Baby, I love you so much…”

http://www.youtube.com/watch?v=I1casrwu4mw&feature=fvsr

2) O GP do Canadá. Foi o exemplo perfeito do quanto Jenson Button é bom, um acepipe do que ele fez com Rubens Barrichello em 2009 na Brawn, na disputa particular pelo título que nunca esteve próximo do brasileiro. Em 2010, era para Button também ter disputado o título com Alonso, Hamilton, Vettel e Webber no seu jeito constante e garboso. E neste ano só não o fez porque… bem, porque Vettel está em estado de graça.

Voltando à corrida, aquela que teve 4h, Button saiu de último na prática para uma vitória na última passagem, contando com um erro de Vettel, seu primeiro no ano. Se teve uma conquista merecida na F1 neste ano, certamente Montreal foi o palco ideal.

3) A ultrapassagem de Webber sobre Alonso em Spa-Francorchamps. O nível dos dois pilotos este ano foi de um tom maniqueísta. Mas Webber pelo menos demonstrou vida e garra e ser melhor que Alonso naquela disputa anterior à subida da Eau Rouge.

Creio que não haja muito mais a dizer, a não ser que Webber só teve dois ou três momentos de brilhareco como este em 2011, enquanto Alonso se firmou como monarca absoluto na Ferrari.

Piores

Posso resumir tudo em um texto só: as três mortes, de Gustavo Sondermann, Wheldon e Marco Simoncelli.

A primeira é mais revoltante porque se tratou de uma repetição do que havíamos visto em 2007 com Rafael Sperafico, por essa gente que monopoliza o esporte e o trata como um viés meramente financeiro. Quase nove meses depois, nada foi feito na prática para que a situação não volte a acontecer: a tal chicane em Interlagos é só um paliativo. E como hão de matar a Copa Montana no fim do ano que vem, ninguém vai investir uma pataca (uia!) para que o carro mude tecnicamente.

Wheldon foi a mais absurda das fatalidades. A corrida em Vegas foi uma falha em termos promocionais e se viu obrigada a mudar de tática para que, além da decisão, tivesse um outro atrativo. Fez de Wheldon uma roleta de 5 milhões de dinheiros americanos, e se vencesse davam metade para um torcedor na arquibancada. Poucas voltas, um acidente múltiplo, e Dan me bate a cabeça no alambrado depois de decolar e morre instantaneamente. A vida tem dessas…

E uma semana depois do acidente de Wheldon, acontece com Simoncelli, o piloto mais perto do estrelato que a MotoGP vinha formando.

 

13 comentários

  1. adriano disse:

    Stoner passando Spies nos últimos metros em Valência

  2. @MarceloSCamara disse:

    Faltou apenas a palhaçada do ano na pista, que foi o Kyle Busch tentando assassinar o Ron Hornaday em plena bandeira amarela em prova da Truck Series.

    Victor, um feliz 2012 a você e todos os leitores/comentaristas do seu blog. Que 2012 venha com a corda toda!!

  3. Ao Everaldo. disse:

    O Rubens sempre foi taxado de “muito bom de chuva” pelo Galvão, mas ele só tem essa vitória na ALE em piso molhado, e grande parte dessa corrida foi em pista seca, e Rubens tinha carro de ponta nesse GP, no final da prova a pista nem estava toda molhada, somente 30% da pista(choveu só no miolo), foi uma bela vitória do Rubens partindo do fundão. No final da corrida, Rubens sabia que 70% da pista estava seca, o resto apostou que a chuva ia tomar conta da pista. Hakkinen foi um desses, ele trocou os pneus, mas com 70% da pista seca em poucas voltas seus pneus biscoitos já estavam no “osso”. Rubens só teve que ter cuidado no miolo pois estava de slick, mas alí é setor de baixa velocidade, dava para segurar o carro, o resto da pista Rubens podia acelerar. Mikka era o contrário, no miolo podia acelerar na chuva, mas sequer tinha mais pneus. Rubens apostou que ia só chover no miolo, e se deu bem.

    Rubens comenta o que aconteceu no fim de semana na Alemanha em 2000:

    “Minha primeira vitória acabou sendo marcante pelo fato de no sábado eu ter sido muito abaixo das expectativas. Eu tive de me classificar com o carro reserva, mas ele só tinha ficado pronto a 15 minutos do final da sessão, e a pista estava molhada. Eu me classifiquei em 18º e me lembro bem de ter ficado bem cabisbaixo. Eu queria que o fim de semana já tivesse acabado porque eu sabia que só poderia chegar numa posição até quinto”

    “Aí veio a corrida no dia seguinte e eu já estava com o carro titular, na corrida aconteceram todas aquelas situações, e eu consegui passar mais gente do que eu pensava e fui para terceiro(nessa hora a pista estava seca)… Aí aconteceram aqueles problemas do safety-car, com o invasor alemão na pista, e naquele momento começou a chuva também. E os caras falaram que eu tinha de entrar para os boxes, e eu falei que não porque a pista estava seca.”

    “Falaram que eu era louco(achavam que a chuva ia apertar), e eu respondi que loucos eram os caras que estavam entrando pra colocar pneus biscoitos. Então aquele fim de semana acabou sendo marcado por uma decisão minha de ficar na pista ”

    R.Brawn também observou que a pista estava molhada somente no miolo, e disse ao Rubens que se ele segurasse o carro na parte molhada, venceria a prova, foi o que aconteceu.

    Rubens não é um caso isolado de grande vitória em piso molhado, outros pilotos venceram assim, e foram até melhor que Rubens porque venceram em equipe “mediana”, pilotando carro inferior.

    Button em 2006 venceu de Honda o GP da Hungria largando em 14º, corrida com chuva, e o inglês era companheiro de Rubinho, o brasileiro largou em 3º e chegou apenas em 4º. Depois quando Button teve carro de ponta a partir de 09, venceu pelo menos mais 4 corridas na chuva, todas de forma espetacular, esse sim, pode se dizer que é muito bom de chuva(só pra lembrar, Prost era um fiasco na chuva). Button venceu com carro inferior em 06, e desde 09 com carro de ponta, venceu mais 4 em piso molhado, o inglês esta provando que é um grande piloto.

    Galvão fez muita propaganda(enganosa) do Barrichello, mas ele na verdade sempre foi suposto muito bom de chuva, suposto grande acertador de carro, suposto grande piloto.

    Rubens nunca passou de um bom piloto!

    Rubinho nunca venceu com carro inferior, seja pelo “braço” ou acerto de carro, mas pilotos de sua época como: Fisichella, Frentzen, D.Hill, Panis e Hebert conseguira esse feito.

    Panis venceu na chuva de Ligier em Mônaco largando em 14º, foi até melhor que Senna em 84,esse largou em 13º, porque Panis completou toda a prova sem erros. Em 84 a prova foi interrompida na metade, Senna poderia abandonar por quebra ou acidente, isso não ocorreu com Panis em 96.

    Hebert também era companheiro de Rubens em 99 e venceu de Stewart o caótico GP da Europa(a prova foi no seco, mas teve vários acidentes, Herbert largou em 14º e Rubens 15º, o brasileiro foi 3º na corrida). Detalhe, nesse ano Frentzen venceu 2 corrida na Jordan, Rubens em 4 temporadas na Jordan e 3 na Stewart nunca venceu um GP nessas equipes. E boa parte da temporada de 99 não teve Schumacher, esse estava com a perna quebrada, era a grande chance dos pilotos em equipe mediana vencerem 1 GP, Schumacher era uma fera a menos na pista, e isso motivou muitos pilotos do grid.

    D.Hill na Bélgica em 98 largou em 3º de Jordan, mas superou as poderosas Mclarens e venceu a prova com forte chuva o tempo todo, muitos dizem que teve jogo de equipe nesse GP, Ralf Schumacher companheiro de Hill, estava mais rápido ia passar o inglês e vencer a prova, mas dizem que recebeu ordens da equipe para chegar em segundo, Ralf chegou apenas 0.932 atrás de Hill.

    Fisichella em 2003 venceu o GP Brasil também de Jordan largando em 8º, outra prova com chuva e cheia de acidentes, mas Fisico passou Rakkinen na última volta e venceu a corrida, as duas fortes Mclarens chegaram logo atrás de Fisichella.

    Todos esses pilotos venceram de forma espetacular e na maioria foi GP com chuva, venceram ou por acerto de carro ou no “braço” superando todas as adversidades! Rubens nunca conseguiu essa proeza em equipe mediana. Todas as vitórias de Rubens foi quando a equipe dominava a temporada, na Ferrari muito graças ao Schumacher que “levantou” a equipe desde 1996. Schumacher é outro que venceu várias corridas com carro inferior. Aconteceu na Benetton em 92/93 e nos tempos que a Willimas e Mclarens eram superiores entre 96 e 98, já em 1999 e 2000 a Ferrari brigava de igual para igual. Em 01/02/04 foi massacre alemão…Schumacher fez muito mais, ele “transformou” duas equipes que raramente venciam corridas, Benetton e Ferrari. Em seguida levou elas ao domínio, coisa rara na Formula 1.

    E se hoje Schumacher tivesse uns 35 anos, não tenho duvidas que levaria a Mercedes ao sucesso, depois dos 40 essa tarefa não é fácil. Na Formula 1 pilotos com 38/39 anos só conseguem vencer se tiver carro de ponta. Se for fazer todo trabalho para “levantar” uma equipe, pode esquecer, isso leva tempo,investimento e muita competência de toda equipe.

    Por isso Prost voltou em 93, já sabia que ia se campeão com aquela Williams(Lauda foi diferente, ainda era novo retomou a carreira, ele deu sorte da Mclaren dominar do nada em 84, pois em 83 a equipe foi um fiasco, Lauda foi até pior que Schumacher, foi 10º no mundial). Prost foi campeão em 93, depois desistiu porque não tinha mais “gás” para encarar a nova geração, Piquet foi pelo mesmo caminho. Mansell bem que tentou, mas aos 39 anos sequer andava no mesmo ritmo do companheiro D.Hill em treinos ou corridas, isso com carro de ponta em 94..

    Todo esportista tem sua época, mesmo assim Schumacher ainda consegue fazer grandes corridas com carro limitado, como ocorreu nos GPs: CHN/CAN/BEL/ITA esse ano. Ainda é divertido ver o alemão correndo, ele sempre dá um jeito de aparecer, e se tivesse com um carro melhor, com certeza ia dar trabalho pra “molecada”, aos 43 anos seria um grande feito. Schumacher esta indo contra a lei da natureza da F1, outros campeões no passado não tiveram essa coragem.

    Rubinho foi bom piloto, bom o suficiente para ganhar apenas algumas corridas com carro de ponta, pra ganhar campeonato não serve, isso ficou mais que provado em 2009, até 08 Button só tinha vencido uma corrida na F1. O inglês fez uma bela temporada em 04 chegando em 3º no mundial, em 2006 venceu sua primeira prova com carro inferior, depois quando teve uma única chance de ser campeão, conquistou o título. Três anos depois esta pilotando uma barbaridade, lembrando que o “queridinho” na equipe é o Hamilton…

    Em 2009 quando a Brawn dominava, houve duas corridas na chuva. Onde foi parar o Rubinho muito bom de chuva nessas duas corridas? Os vencedores foram Button na Malásia e o ainda novato Vettel na China…Rubinho com um grande carro, levou banho de chuva…

  4. Marcelo disse:

    o Webber foi macho pra caramba, ainda mais que as rodas de um F1 são exposta, dessa forma que morreu Stefan Bellof no mesmo local.

    Foto do carro de Bellof e Jacky Ickx antes da batida fatal:
    http://1.bp.blogspot.com/-7hVSZmXqW4U/TssF9qSlDsI/AAAAAAAAl-E/ryP6Q2VsapE/s400/Spa%2B85.jpg

    Video do acidente de Stefan Bellof:
    http://www.youtube.com/watch?v=v391hZ_4R_k

    Pra mim as melhores ultrapassagens do ano foram essa de Webber sobre Alonso, as de Schumacher na Lowes em cima de Lewis e Nico em Mônaco, Schumacher em cima de Lewis na Di Lesmo em Monza. Novamente Schumacher com dupla ultrapassagem em cima de Massa e Koba no Canadá. Vettel na Di Lesmo em cima de Alonso, todas essas ultrapassagens foram sem usar a “asa”, Button e outros pilotos também fizeram grandes ultrapassagens e grandes corridas, o problema é lembrar de todas.

    Button esta pilotando uma barbaridade, desde 2009 não jogou nenhuma corrida fora por pixotada, é um piloto que raramente erra! Estou revendo todas as corridas desse ano, no Canadá Button teve que pagar uma punição, depois chegou a estar em último lugar(voltas 38 e 40 por causa de um pneu furado), acabou venceu brilhantemente a prova.

    Volta a volta GP Canadá:
    http://www.statsf1.com/en/2011/canada/tour-par-tour.aspx

    Button também venceu na chuva o difícil GP da Hungria, poucos devem se lembra, a pista estava um “sabão”, vários pilotos cometeram erros na pista. Button teve paciência e venceu uma grande corrida(segunda vez que Button venceu na Hungria na chuva, caso único). Lewis era líder, mas rodou de bobeira, ainda fez uma manobra perigosa ao volta a pista(um carro desviou e foi para a grama), Lewis acabou tomando punição.

    Infelizmente nem tudo é festa, e as mortes ocorreram, a morte do Weldon foi um choque(só fui saber na reprise da Band a noite, pra mim era como se fosse ao vivo, e na hora pensei que pelo menos 3 pilotos haviam morrido). Simoncelli foi outro golpe duro, mas esse tipo de acidente com Simoncelli pode ocorrer em qualquer corrida de moto. No caso de Sondermann, a curva do café já era de conhecimento que era muito perigosa, a Moto GP décadas atrás deu seu alerta e exigiu uma chicane no lugar, e o que fizeram no Brasil? Liberaram as corridas nacionais no local, um “piloto” novato com uma superespotriva acabou morrendo. Esperaram 3 pilotos perderem a vida na curva do café para fazer algo…já to acostumado, afinal de contas, se não for assim não é Brasil.

  5. Alexandre Lourenço -SP disse:

    Brasileiro é o povinho mais “tonto” que existe, não sabe valorizar pilotos que chegam em segundo ou terceiro por mais importante que sejam os pontos, acho que o Brasil não valoriza nem terceiro lugar em qualquer esporte deste mundo e olha que não apoia ninguem e ainda fazem chacota, se o Barrica fosse Italiano, Portugues ou de qualquer outra nacionalidade podem apostar que ele seria respeitado como merece e ídolo mesmo se fosse alemão na terra do Schumi, ACORDA BRASIL!!!!!!

  6. Lincon Sousa disse:

    Falae Victor,

    Concordo em tudo, exceto pela ultrapassagem de Webber em Alonso, substituiria esse item pela pole de Vettel em Interlagos, apesar de mta gente falar sobre a proporção corridas pole de Mansell, 15 em uma temporada é pole pra tedéu…

    mas é isso ae, feliz 2012 pra mim, pra vc e pra todo o pessoal que anda por essas bandas!

    Abraço.

    Lincon

    • Conrado Andrade disse:

      A passada de Alonso por fora em Button, naquela sequencia de curvas pra direita, depois da reta oposta, em Interlagos, pra mim, foi bem mais impressionante que a de Webber na Eau Rouge. Naquela ocasião, se bem me lembro, Alonso tinha ou acabado de sair do pit, com pneus novos, ou tinha dado no máximo uma volta, enquanto Webber vinha quente. Em condições iguais, teria sido ainda mais legal – como a de Alonso em cima de Hamilton, na própria Eau Rouge, qndo ambos corriam de Mclaren. Aquilo sim foi espantoso!
      -
      Por esse motivo, a passada por fora de Alonso, em cima de Button, em Interlagos, na minha humilde opinião, foi ainda mais intensa. Ambos em condições de igualdade… por fora.
      -
      De resto… bom resumo do ano!

  7. luiz lourenço dos santos disse:

    bem,eu gostaria que 2011 acabasse agora,neste exato momento,para nunca mais existir,que venha 2012,vai ser um ano muito promissor e cheio de realizações,eu espero.

  8. everaldo disse:

    Concordo em tudo com vc, apenas acho que a comparação que vc fez da prova do Canadá que foi incrivel, mas se esquece da do Rubinho na Alemanha tbém debaixo de chuva.

  9. Alexandre Lourenço -SP disse:

    Gustavo Sonderman morreu de graça gente e isso é a prova de que a incompetencia, ladroagem e politicagem estão dominando o esporte a motor neste país a muito tempo , até quando vai isso?

  10. Alexandre Lourenço -SP disse:

    Pra mim essa “centésima final” da Indy 500 foi o fato mais marcante de 2011, só mesmo a Indy pra escrever páginas de mais uma história que não se le por ai em qualquer lugar, e por ironia do destino, Deus levou o “centésimo vencedor” dessa prova , Wheldon realizou o ultimo e mais importante ato na sua vida na presença de mihões de pessoas.

  11. Marcão disse:

    Então concordo com vc nas melhores claro, nas piores também…
    Só que prefiro enumerar as coisas mais caseiras, sem menospresar as internacionais que por si só tiveram uma grandede e ruidosa repercusão…
    Diferente das daqui…
    Claramente o acidente do Sondermam ficará gravado na memória pra sempre, principalmente por nos trazer a repetição da fatalidade do Sperafico..
    Mas aquele muro fez outras vítimas, aquele piloto jornalista no começo do ano!! Pra mim foi pura inrresponsabilidade de quem organizou esse passeios, numa quinta feira, sem nenhuma das estruturas nescessárias para o evento.. O piloto caido lá a moto queimando, e os pilotos voltando para os boxes. Só depois é que apareceu uma ambulancvia por lá, foi preciso um helicópero de resgate pra fazer o translado do piloto para o hospital.. Aquele final de semana foi muito triste para os que estiveram por lá, por tudo o que aconteceu…
    Depois outro acidente fatal o do Sr Paulo, lá no muro do Berger…
    Todo o trabalho feito em cima dos acidentes no café, por conta de um muro errado e sem a principal função que é a de absorver o primeiro contato, e fazer com que o carro continue em sua tragetória até perder a velocidade… Depois de um ano é que resolveram asfaltar entre esse bendito muro e a pista, tirando a grama e as inrregularidades entre a pista e o muro….Um muro igual a esse teria que ter esse asfalto em sua construção, não depois, foram parar na FIA em Paris pra resolver a questão e não resolveram nada… Criaram ou recriaram a chincane das motos, acabarm fazendo ao contrário, gastaram um dinheirão naquilo e já caiu em desuso, nem a porsche nem a GT3 fizeram uso dela depois da F-1…
    Antes da F-1 a GT3 chegou a usa-la respeitando o que a CBA falou, no primeiro treino, na primeira volta o Ford GT deu uma sem pulo num jogo de pneus cinematográfica.. O Rodrigo tem a foto do momento da panca… No Brasileiro de marcas da Vicar a vítima foi o Vitti….Deixaram entre a saida da chincane e o muro um grande vazio, nada de absorção de choque, deu no que deu. preju do carro, preju fisico do piloto…
    E as coisas ficando por isso mesmo, empurram tudo com a barriga,,
    Se ve só, o autodromo sofreu uma reforma de 28 milhoes de dinheiros, pra ficar tudo do jeitão que era antes da corrida desse ano.. A drenagem das zebras continua uma porcaria, empoçando a água da chuva só secando com o sol mesmo, aqueles carpetes só foram trocados e continuam com a mesma cola safada.. Tem um desnivel antigo pra caramba lá no final da oposta, onde normalmente os carros passam quando escapam da pista. E tá lá!!
    Só esperando pra mais uma fatalidade….E NÃO FAZEM NADA A RESPEITO!!! Aquilo é estremamente perigoso… Com é o final do muro do Berger.. Uma quina, com uns pneuzinhos e só.. Não mudaram nada!!!
    Nesse último passeoi dos porsches teve uma batida anormal lá no sol, o cara arrebentou o Guard Rail e foi parar quase nos pneus da quina desse tal muro… E tá lá quebrado, amassado e sem a proteção que essa estrutura deveria prover.. Está inclinado favorecendo o voo de outros carros que por lá baterem….Os postos de sinalização estão caindo aos pedaços, enferrujados, alguns amarrados com arame, cuidados feitos por que os usa… As mantas que protegem os pneus receberam só tinta, e continuam com sua fixação precária. Qaulquer esbarrão e lá vão elas pro chão…
    Fora essa bagunça toda que a CBA providenciou durante todo esse ano em todos os campeonatos Brasileiros, o único que ainda não tinha sofrido com as bozadas dessa confederação era aTruck, mas depois do caso do Geraldo X Giafone.. já viu né…
    Esse caso porém teve uma grande repercusão com as atitudes do campeão Nelsão, foi lá falou meteu a boca, se adonou da situação e deu no que deu.. O Reizinho pendurado só por um fio..
    Fora todas as outras coisas, como o tal do jantar regado a putaria paga pelas carteirinhas e taxas….
    Também o que estão fazendo com Jacarrepaguá como o Barão disse “”aquilo é um roubo””
    Se ve. É por todo lado que se escuta ou isso de roubo ou aquilo de protecionismo com as manipulações de resultados e regulamentos…..
    Quando uma pessoa com o Nelson Piquet enfia o dedo na cara do fulano o chamando de ladrão pra todo mundo ouvir a coisa fica mal demais… Esse tal de VAlduga naquele momento deveria ter pego a sua “”troxa” e caido fora, deveria ter ido morar até fora do Brasil, e da America do Sul. Deveria ter ido parar lá pros lados da Siberia ou por lá….

    Mas não prefere ficar por aqui e tentar comer mais um pouco do que resta de carne desse osso que se tornou o automobilismo Brasileiro graças unica e esclusivamente as atitudes da CBA do CTDN e mais alguns capangas organizadores….

    Enfim,, temos mais a lamentar do que a comemorar nesse final de ano.. O Balanço saiu do vermelho do ano passado pra entrar no preto, no negro da vergonha que estamos assistindo nesses últimos dias desse ano….
    As federações continuam com seus velhos vícios de primeiro tomar o dinheiro depois ver como ficam as novas categorias, que tanto precisamos…Em vez de ajudar são as primeiras a querem enfiar a mão no bolso alheio….
    Mas ainda bem que hoje temos esses blogs, que nos falam das verdades verdadeiras das entranhas politicas do esporte a motor….Quanto mais se falar nessas safadesas todas, mais claras serão as imagens que teremos dessas pessoas corrosivas frequentadoras das direções dessas agremeações….
    Mas vamo que vamo, as coisa agora ensaiam mudanças nisso tudo…Alguma coisa de muito séria deve acontecer na CBA nos primeiros dias de 2012.. É nescessário que assim aconteça…
    Afinal as grandes montadoras estão só esperando definições do próprio governo federal com relação a situação caótica hoje da CBA para investirem pesado no nosso automobilismo.. Veja o Ex da WEC que já nos colocou em seu calendário com as 6 horas em setembro…”””””””””””””Apanhamos tanto já que só acreditaremos mesmo quando vierem realmente”””””””””””””””””””..
    No mais
    Para o Blog inteiro um grande 2012, e que contiue assim nos trazendo as verdades…
    E por falar em verdades… Como é que ficou aquela coisa da cartinha?? O carinha lá assinou ???? Já entregou???? Ou deu um tempo pra ver se a gente esquecia do assunto!!! Só que isso não se esquece!! Tamo com a caneta na mão e ficaremos….
    Pro Valduga eu sinceramente desejo uma grande e bela carta de demissão assinada por ele e com firma reconhecida… E um a bela cela com frente para o sol da manhã!!!!
    Afinal esse é o lugar natural dos ladrões!!
    Não é mesmo!!!!
    Que se faça justiça!!!!!

  12. Rafael Prete disse:

    Não há o que tirar nem pôr… Talvez seu prêmio na ACEESP ficaria no lugar da ultrapassagem do Webber hahah ou talvez a vitória do Stoner em Valência. Grande abraço, Vitão! 2012 fulminante – no melhor dos sentidos, como o Vettel neste ano – pra voce e seus queridos. Sorrisos, Eisenbahns, e saúde de sobra!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>