MENU

25 de março de 2012 - 19:21F1

Terra do songkok, 4

SÃO PAULO | Tenho visto a grita que muitas gentes que torcem (e distorcem) para uma F1 mais humana, digna e confiável a respeito da grandiosa marmelada praticada pelas irmãs Ferrari e Sauber na corrida de hoje na Malásia. Um jogo de equipes, na visão deste povo, tão acostumado a crer nas teorias conspiratórias nos últimos anos que acreditam em qualquer coisa que lhes pareça minimamente uma manipulação mascarada.

Pérez voava para conseguir a vitória hoje. Aí o boçal do engenheiro veio no rádio para pedir “cuidado” porque “precisamos desta posição”, o então segundo lugar, pouco antes de ver seu estupendo piloto colar em Alonso e então errar. Parte do populacho viu como uma mensagem cifrada, afinal a Sauber é cliente da Ferrari e, por tal, está impedida de vencer uma corrida caso um piloto que vista vermelho esteja à sua frente.

Imagino quantos rádios clandestinos devam haver entre Ferrari e Sauber para que a comunicação seja feita entre elas. “Afaste este Chespirito daí”, manda Stefano Domenicali para Peter Sauber, que na sua face serena e lívida, apenas responde. “Sim, meu amo e senhor, e prometo disfarçar tudo depois com algumas lágrimas tipicamente helvéticas”.

Vamos a algumas verdades sobre o assunto. A Toro Rosso era cliente da Ferrari em 2008. Aí teve aquela corrida de Monza, Itália, casa da Ferrari, Ferrari disputando o título e tal. Chove, e me vem aquele fedelho, Vettel, faz a pole. Como pode? Que absurdo. E, meudeusdocéu, como teve ele o peito de liderar toda a corrida diante dos tifosi sem ao menos permitir que Raikkonen ou Massa lhe ultrapassassem? Pobre Vettel, punido pelo resto da vida, não é mesmo? Pobre Toro Rosso, nunca mais usou motores Ferrari, né?

McLaren e Mercedes, parceiras antigas. Aí a Mercedes comprou a Brawn e, ainda assim, tinha parte acionária na McLaren. Mais unidas, impossível. Como é que pode a McLaren vencer corridas neste período todo? Como é que Hamilton e Button podem ousar superar Rosberg e Schumacher? É um acinte.

Sobre a mensagem de rádio em si, pensemos o contrário: quando vem o engenheiro para falar o “push, push, push”, pedindo para que o cabra acelere, significa que o piloto não está acelerando forte? Significa, mesmo, que tem algo por trás disso? O malfadado engenheiro sauberiano somente solicitou ao seu impetuoso Pérez que não pusesse tudo a perder. Para uma equipe que nunca foi segunda colocada numa corrida, é melhor prevenir. Pérez queria, e muito, remediar. Não à toa, o cabra errou e foi tentar caçar Alonso em seguida — ou alguém também crê piamente que Pérez ia jogar a corrida fora na brita? Tem realmente quem acredite nisso? Jamais que Pérez, também, pensaria num eventual contrato com a Ferrari, para agora ou o ano que vem, e tirou o pé. Negada, o cara tá lá para vencer. Segunda prova do ano, e querem adivinhar o que o moleque tá pensando — e não é na temporada que acabou de começar, mas, sim, na de 2013, porque a gente mal sabe se vai estar vivo amanhã, quanto mais 2013.

Num português bem claro, o cara devia tá tão de pau duro e louco pra vencer que mal deve ter ouvido direito o que o engenheiro falou — embora possa ter distraído o cara. E para aqueles que sempre veem um outro lado em tudo, é bem capaz que a Ferrari tirasse Pérez já da Sauber para ocupar o lugar do inerte Massa se visse que o Ligeirinho conseguiu vencer o ‘mágico’ Alonso. Era o passaporte da alegria do Playcenter (#RIP).

Compreensível que se pense no passado nebuloso e inescrupuloso do mundo de Maranello. Mas se acalmem. Tomem um remedinho, uma Maracugina, um chá de camomila — e não de cogumelo. Sem loucuras ou insanidades, então, gente. Menos. Menos.

37 comentários

  1. Emerson de Oliveira disse:

    Sou apreciador de seus comentários, Vitor. Mas nessa vou discordar: houve pressão sim senhor. Era notória a diferença de performance entre Alonso e Perez, e o tal “rádio” da equipe Sauber para Sergio diz tudo sim. Acontece que não dá para comparar com as situações que voce deu como exemplo e que de fato não constituíram marmeladas. A Toro Rosso, embora compradora de motores Ferrari, tinha e tem uma estrutura poderosa chancelada por ninguém menos que a Red Bull, e a Mc Laren dispensa comentários com relação à Mercedes-Benz. São situações extremamente diferentes do que vive hoje a Sauber, que é uma equipe média e independente e vive dos créditos gerados pelo patricinador que o próprio Perez levou para lá e pelo contrato que tem para usar o trem de força Ferrari. Até acredito que talvez nem tenha havido uma “conversa” secreta de bastidores durante a corrida, com alguém de vermelho coagindo Peter Sauber, mas que toda essa situação pesou eu não tenho a menor dúvida. Importante salientar que a F-1 não é so marmelada, evidente que não. O que existe é uma pressão dos mais fortes em cima dos menores, motivada por diversas questões, entre elas poder e força econômica. E isso, meu caro Vitor, vimos ao vivo e em cores nesta prova da Malásia, em que no fundo todo mundo saiu bem: a Ferrari aliviou sua crise, a Sauber conseguiu seu melhor resultado em anos e Sergio, que ao que tudo indica carimbou seu passaporte para um time maior (Ferrari?). Abraço a todos, parabéns pelo blog.

  2. Tom disse:

    O Alonso falou o que todo comentarista deveria ter visto,a pista não estava seca se tivesse ,não teria ganhado, só tinha uma faixa de 2m,se o Perez quisesse passar teria que ir para o molhado com pneus lisos,resumindo ia ser dificil para tracionar,a sua chance de passar seria antes da troca de pneus depois um abraço! Não entendi porque ninguém viu isso …

  3. Marcão disse:

    Na Itália quem quer a cabeça do Massa é a imprensa local.
    Aqui que quer é a torcida Brasileira!
    Essa é a diferença…
    Carro, é um assunto secundário pra esse povo.
    Quem tá jogando “merda” no ventilador provavelmente nunca pilotou nada na vida…E nem tem idéia do que é um carro de competição mal projetado e produzido..
    O Alonso pode ser sim mais rápido que o Massa, mas em condições normais essa diferença nunca foi superior a meio segundo…
    Então tá aí, vamos falar, mas com critério, com educação a respeito do cara..
    O Nelsão já falou uma vez na TV que, acidente, casamento e filho, faz sim o cara andar mais lento…Só que depois, as coisa voltam ao normal… Pro Massa ainda não voltou por que o carro só piorou de 2008 pra cá..
    E outra!!
    Na Ferrari esse carro foi idealizado, projetado construido testado e conduzido só pelo Felipe..Ele é o único culpado dessa bomba estar nas pistas???
    É isso???
    Façam o favor, né!!!
    Então tá!!!!!

  4. mauricio disse:

    Acho improvável, mas não impossível.
    Sinceramente, não duvido de nada.
    Se, antes da revelação da maracutaia de Cingapura em 2008, alguém levantasse a hipótese de que o Nelsinho tivesse batido de propósito também iriam dizer que esse alguém tomou chá de cogumelo.

  5. Tiago disse:

    Victor, a Sauber COMPRA motores e tecnologia da Ferrari, ou a Ferrari DOA isso de bom grado?? Eu não sei, gostaria que explicasse. Pois bem, se a Ferrari fizer caridade para a Sauber até teria algum sentido pensar nisso, mas se ela vende (o que não deve ser barato), é uma besteira sem tamanho pensar numa coisa dessas! Imagine só o Domenicalli falando com o Sauber: “vc nos ganhou, agora não vamos mais vender tecnologia para vc, guarde seus milhões de euros, ou então compre um motor mercedes que é mais potente que o nosso!” Mas se for um acordo de cooperação técnica, onde os dois trocam tecnologia (?), poderia existir algo (mas não acredito nisso, até acho meio tolice pensar nisso).

    • victor disse:

      VM responde: Compra. Como compraria da Mercedes. Ou da Renault. Ou da Cosworth. Simplesmente isso. O fato de Sauber e Ferrari terem sido parceiras não faz da primeira capacho da segunda.

  6. ed disse:

    O caso de Vettel em 2008 não tem nada a ver com esse. Não entendo nem como conseguiram traçar um pararelo entre eles.

    Vettel era líder, de Toro Rosso-Ferrari.
    A Ferrari mais próxima era a do Massa, num distante quinto lugar. Atrás de Vettel, tinha Kovalainen, de Mclaren-Mercedes, principal adversária da Ferrari.

    Por que a Ferrari iria influnciar de algum modo no resultado da Toro Rosso?

    Enfim, até acho que Perez queria vencer a corrida sim pois sentiu a oportunidade. Ele era muito mais rápido. Mas a Sauber que historicamente tem rabo preso com a Ferrari preferiu não correr risco, não só de um acidente, mas também de algum estremecimento na relação com os vermelhos, afinal, fizeram um carro muito ruim e perder uma corrida pra uma Sauber faria o mundo cair na cabeça deles.

    Ah, um outro bom exemplo : Spa 2007, Takuma Sato, correndo de Super Aguri, supera a Honda oficial de Button na freada pra Les Combes e vai embora humilhantemente.

    Na temporada seguinte a Honda cortou a verda da Super Aguri e aquipe não passou do GP da Espanha. Enfim, os caras tem ego a zelar.

  7. Renato F1 disse:

    Mais uma maracutaia da Se Ferrari! Vendo El Chorón perdendo um segundo por volta do Pérez, avisaram para Nicolas todt, empresário do piloto e o filho do Jean Todt:
    - Manda o teu piloto ficar quieto no lugar dele que a gente o recompensa no ano que vem!
    O empresário liga para Peter Sauber e manda o mexicano ficar na dele!
    Peter Sauber comunica ao engenheiro e pede, disfarçadamente, para que ele diga a seguinte frase:
    - Pérez, Alonso is the first! Understand??? (Pérez, Alonso é o primeiro! Entendeu???)
    O engenheiro bola alguma coisa e, num discurso quase heróico, diz:
    - Checo, toma cuidado, meu filho. Calma. Essa posição é muito importante para nós!
    Para bom entendedor, isso significa:
    - Checo, se você passar o Alonso, a Se Ferrari vai ferrar a gente! Então se você obtiver 7 pontos a mais do que ele, a gente perde 7 anos de “cooperação” técnica!
    Daí, Pérez foi passear na área de escape!
    Dia 25/03/2012! Põe mais um dia de funeral para o automobilismo!!!

  8. Rafael Duarte disse:

    A verdade eh que eh muito dificil discutir F1 com torcedor brasileiro. Ele torce com paixao, e nao com a razao. Argumentar com quem “nao ve F1 direito desde que o Senna morreu” eh arranjar dor de cabeca.

  9. JONAS disse:

    Victor,
    Estão todos enganados….o “engenheiro” que falou no rádio com o Perez era, na verdade, o Domenicalli, que pediu o rádio emprestado ao Peter Sauber, para implorar que o cucaracha não ultrapassasse o Fernandinho. Quando ele fala “esses pontos são importantes” era o Domenicalli falando dos pontos da Ferrari….
    [ ]s

  10. eduardodragonetti disse:

    queria ver Massa na sauber e Perez na Ferrari. será que Perez é do nível do Alonso ou Koba mito é do nível do Massa?

  11. Weber disse:

    Victor, já deu uma lida no que publicou a autosprint? Dê uma olhada: http://blog.auto.it/autosprint/03/26/vincere-con-la-macchina-inferiore/
    O Massa tá ferrado, mas os caras não conseguem ver a porcaria de carro que a Ferrari fez!

  12. Gustavo disse:

    Acho que esta distorcendo, primeiro que não foi só um aviso à Perez, mas 3 ou 4! Segundo que pode ter sido uma decisão isolada da Sauber. Terceiro que a Toro Rosso não precisa de favor e dinheiro da Ferrari.

  13. Ricardo Arcuri disse:

    Victor, normalmente nao gosto de ler teorias conspiratorias no esporte, preferindo até ignora-las. Mas dessa vez, nao consigo engolir isso. É o tipo de coisa que nao acreditaria vindo de outro time, mas da Ferrari, o passado a condena.

    Ao comentar com amigos a respeito, tudo que ouvi foi: “nao perco mais tempo vendo a F-1″. Pode ate nao ser verdade, mas essa verdade pesa. E em se tratando da Ferrari, tudo pode. Lembre-se que até com o piloto do time eles agiram dessa forma….

  14. Mauricio disse:

    Como tem gente nesse mundo que adora uma teoriazinha da conspiração.
    Isso só é bom pra vender livros!

    The book is on the table, macacada!

  15. Adriano Silva disse:

    Em um esporte que faz muuuito dinheiro e no qual recentemente já rolaram sabotagem entre equipes (que chegou as tribunais), piloto batendo de propósito a mando do chefe, espionagem industrial e outras delicadezas, não é paranóia nenhuma achar que o Pérez foi induzido a não ganhar. Não creio que foi o que aconteceu, mas não dá pra ser irônico com quem pensa assim.

  16. david disse:

    nao aguentei e fui dormir durante a pausa… mas a mijada que o galvao deu no reporter no começo foi algo digno de pena do sujeito. acho que foi a mais constrangedora que o galvao soltou no ar

    ele nao parece curtir muito os reporteres atuais. na mulher era mijada atrás de mijada (digaaa mariana…).

  17. Sandro Marques disse:

    Apesar de não acreditar, como tu bem disseste no final do post é praticamente impossível não (pelo menos) pensar na hipótese. Tiveram vários momentos para o engenheiro dar a orientação a seu piloto. Porque cargas d’água foi exatamente naquele? É o preço que a Ferrari paga por ter tantos deslizes em seu histórico.

    Sobre a comunicação oculta (que na teoria conspiratória necessitaria haver) entre Sauber e Ferrari não sejamos tão ingênuos meu caro Victor. Se (eu disse se) houvesse qualquer acordo entre eles isso já teria sido alinhavado há tempos, mais exatamente na época do acordo de parceria com relação aos motores.

  18. Julio Lima disse:

    Também não acredito que o cara tenha aberto mão da vitória, nem que tenha havido ordem de qualquer tipo.

    O problema é que o histórico da Ferrari (e até do Alonso, por que não?) depõe contra os envolvidos.

    É o peso que a Ferrari vai ter que carregar pelo resto de sua existência por causa de suas atitudes no passado. Mas não creio que ninguém lá vá perder o sono por causa disso…

  19. Nem precisa ir tão longe. 2009, Spa. Fisichella quase ganha com a Force India, e foi pra Ferrari em seguida. Não, não foi contratado porque deixou Raikkonen passar. Foi porque quase ganhou com uma F-India, e pra acalmar os tifosi, que já urgiam seu nome no lugar do pobre Badoer. Assim como bradam, hoje, qualquer nome no lugar do Felipe. Que talvez não chegue à China, e provavelmente não passe do Bahrein (isso se tiver corrida lá…)

  20. Mauricio disse:

    Olá Victor!
    Concordo com você, mas também acho que o assunto dá sim margem a discussão. Lembre-se que em 1997 (claro, faz tempo…), a Ferrari e a Sauber estiveram envolvidas em uma polêmica na famosa decisão de Jerez, onde o Jean Todt foi ao box da Sauber e ordenou que o piloto argentino (não lembro seu nome, mas acho que era o Tuero) que, como retardatário, segurasse o Villeneuve, que fazia voltas rápidas antes de seu último pit stop. Claro, não valia uma vitória, mas o antigo relacionamento entre as duas equipes permite que se ache que houve “marmelada”. Eu não acredito, mas não duvido.
    Abraços!

  21. Eduardo Azeredo disse:

    Eu sei que é velharia mas… o Norberto Fontana admitiu publicamente que recebeu instruções para atrapalhar o Villeneuve quando levasse volta dele na época que o canadense disputava título contra o Schumacher, em 1997. E era uma situação idêntica de Sauber cliente da Ferrari, e essa seria a justificativa para que ele cumprisse tais ordens. É claro que pode ter sido uma idéia mirabolante do Fontana pra ganhar uns minutinhos de fama.

    Eu não acho que devamos tomar teorias de conspiração como verdade absoluta. Mas não podemos refutá-las prontamente com ironias (já incorri neste erro). Quantas caras de tacho não foram feitas por aí por terem refutado o Cingapuragate? Ou será que na hora a idéia de um piloto bater propositadamente para ajudar o companheiro parecia tão óbvia… ou tão absurda?

    • victor disse:

      VM responde: Cara, o argumento que você usa do Fontana não tem validade. A Ferrari pediu que ele atrapalhasse o Villeneuve, sem detrimento da Sauber. Por que a Sauber vai fazer um acordo com a Ferrari pra se prejudicar, para abrir mão de uma vitória? Não tem cabimento. Sério.

      • Eduardo Azeredo disse:

        Eu até entendo o ponto de que “já que tá tomando volta e não vai fazer nada, quebra essa pra gente”. Eu citei isso mais no sentido de que há um precedente nessa relação de clientela da Sauber com a Ferrari.

        Mas do mesmo jeito que não passar a Ferrari implicaria na Sauber abdicar da vitória, o segundo lugar já era um tremendo resultado pra Sauber e um argumento suficiente pra cortar a onda dos caras. Afinal, o segundo lugar pra Sauber e o primeiro da Ferrari deixaria todo mundo feliz, diferente do contrário.

        Sendo sincero, não parece que o Perez tenha errado de propósito, nem eu acho que ele estaria disposto a abrir mão da vitória por uma vaga na Ferrari – na verdade, eu acho que uma postura dessa seria um claro sinal de fraqueza e jogaria contra ele, na verdade.

        O que não me convence é a fala infeliz do engenheiro. Ele não teria como dar uma ordem no rádio pro cara não atacar o Alonso, pegaria mal, sem dúvida. A gente não tem como afirmar nada daqui, se atrapalhou ou não, se foi só uma ordem de cautela.

        Pra mim não convence porque foi uma fala muito contraditória, tem um precedente aí em cima e, sendo um pouco parcial, tem Alonso no meio.

        Mas, eu não posso afirmar nada. Só desconfiar mesmo.

      • Leduard disse:

        É?? Então me explique porque a Sauber segurou Pérez na pista por mais uma volta depois de Alonso parar. Ahh, porque são ruins como estrategistas, de F1 não sabem nada e daí não sabiam que iriam perder todo aquele tempo. Tá bom…

  22. disse:

    Isso. Na hora que o maluco chegou geral, ia brigar para ultrapassar e Alonso não ia aliviar, veio a “ordem”. Imagino a nóia do povo nos boxes da Sauber vendo tudo ir para o espaço. E mais, Peter Sauber aceitou oferta da troca do Perez pelo Massa? Ele chorou é de alívio.

    • Mauricio disse:

      Chorou de felicidade. Afinal luta dentro da categoria ha anos e é a primeira vez que em muito tempo que um carro dele chega tão alto no pódio.
      Este ano promete.
      Não vejo a hora de as corridas voltarem pra um horário decente. Duas da madrugada mata cara!

  23. Luís Morais disse:

    “o cara devia tá tão de pau duro e louco pra vencer que mal deve ter ouvido direito o que o engenheiro falou”

    Acho que isso resumiu tudo já.

    • Eduardo Azeredo disse:

      O Perez falou exatamente isso, e a postura dele foi essa: errou e manteve o ritmo de ataque ao Alonso. Mas isso não quer dizer que a Sauber tenha escutado um “tá bom pra todo mundo, vamo lá…”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>