MENU

7 de julho de 2012 - 14:04F1

Terra do Dunnet Head, 2

SÃO PAULO | De quase eliminado no Q2 bruscamente interrompido pela frescurite e mimimi da direção de prova feita de açúcar a pole. Baita piloto, dos melhores da história, mas esse Alonso tá largo demais. Hão de dizer por aí que os doutos representantes da FIA/F1 viram que a vaca e o carro da Ferrari estavam indo para o brejo de Silverstone e depois das rodadas do próprio Alonso e de Massa resolveram agir. Também não é por aí. Mas creio que tenham sido absolutamente brandos com Alonso naquela volta final do Q2, sem sequer dar uma investigada na melhora do tempo por parte do espanhol quando as bandeiras amarelas se agitavam pelo maniqueísta Grosjean.

Ainda que o treino tenha ficado parado hora e meia e a própria galera da F1 se propôs a entreter o público e o mundo pela TV, naquele ponto está a questão principal do treino. Ah, Alonso não fez o melhor setor e tirou o pé e não sei o quê, mas onde é que um piloto que tira o pé ainda consegue fazer uma volta suficiente para se classificar para o Q3? Webber largou em 19º em Valência também por isso – amarela porque algum bocó fez algo e já era. Button, 18º no grid de hoje, teve de abrir mão de seu giro final no Q1 da mesma forma. Di Resta e Senna, o mesmo. Qual é a regra, afinal? Não fazer o melhor tempo no setor não pode ser tomado como base. A F1 tá ótima, melhor temporada do mundo e tal, mas há certas dubiedades que incomodam – as punições exageradas e o cuidadinho absurdo.

Tipo o de hoje: 90 minutos sem treino é ridículo. Dava muito bem pra treinar antes, a ponto de levar alguns a entrar até com os intermediários direto na volta do Q2, como a Sauber. A aposta foi errada, Mito Jiraya e Mito Ligeirinho, que vinham bem demais, se ferraram – o mexicano era líder –, mas essas gentes que ficam ali na torre de controle acham tudo muito engomadinho. Daqui a pouco, vão pedir que os pilotos usem terno e gravata por dentro dos macacões. Legal, mesmo, foi o pessoal comandando ola. Rosberg, empolgado, chamou Ross Brawn. A McLaren fez o mesmo, com Whitmarsh. Todo mundo todo pimpão e catito. A F1 tem sido um lugar bem menos tenso e desumano.

Voltando à sessão em si, Webber andou bem demais no Q3, perdeu a pole por milésimos. Markola não é um piloto daqueles que entrariam num top-77 da categoria, mas sua carreira também não é o circo de horrores que foi no ano passado. No fim das contas, numa discussão válida com cervejas, chegaríamos a uma conclusão de que a temporada passada foi um asterisco negativo em seu currículo de Minardi, Jaguar e Red Bull. Webber, no papel, é vice-líder do campeonato e ele vai dividir a primeira fila com o líder. Vai ter de ir lá brigar pelas cabeças. Deve ser interessante.

E para lutar por tal, pode, sim, ter um aliado do tempo: numa pista bem molhada, a Ferrari não anda bem, não. Alonso já se deu mal duas vezes entre ontem e hoje, e só a melhora das condições no Q3 fez o espanhol acelerar. Aliás, uma pista bem molhada evidencia Hamilton – que só foi oitavo – e os Mitos. E a previsão do tempo para a corrida não é muito diferente da que vimos horas atrás. Loteria, gritaria o Seu Madruga depois de a Dona Florinda vir com tesouro, carinho, rei e coração.

Ali na segunda fila tem Schumacher, bem durante estes dois dias na Inglaterra, e Vettel, meio apagado. Massa está em quinto. Tirando a rodada, até que Felipe vem tendo bom desempenho por enquanto. Anda com certo azar nas provas, mas tem sido, de fato, um piloto diferente daquele que iniciou 2012. Raikkonen vem ali em sexto e, diante da chuva e da alegria de todos, soltou: “Kiminteressa?”

Sobre Senna, não há muito que dizer além da sua volta prejudicada pela bandeira amarela, mas mais uma vez atrás de Maldonado, que sai em oitavo. E não, essa desculpa da falta de experiência não cola. Até porque, no frigir dos ovos, Senna tem mais corridas no currículo que Pastor. Mal ou bem, ele tem uma temporada de HRT na lomba e outras provas pela Lotus Renault. Ou mostra quem é logo ou não flui.

Chegando à fase do palpite, este tá bem difícil. Vou de Webber. Mas, sério, gostaria muito de ver uma vitória da Sauber, seja com quem for. Eles tão merecendo.

8 comentários

  1. PAULO MOREIRA disse:

    Como sempre, excelente texto, mas o “Loteria, gritaria o Seu Madruga depois de a Dona Florinda vir com tesouro, carinho, rei e coração.” FOI DEMAIS!!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkk

  2. Murilo disse:

    A vitoria deve ficar entre Webber, Hamilton, Vettel ou Schumacher.
    Webber tem mais chance.
    Alonso vai rodar (rodou sexta, rodou sabado e domingo não vai ser diferente) e, se conseguir voltar, deve ficar entre sexto e oitavo.

  3. Sandro Marques disse:

    Concordo por mais exagerado que seja nunca é demais pensar sobre isso. A FIA, quando convém, sempre dá um jeitinho de ajudar a quem lhe interessa.

  4. Crego Painceira disse:

    Se a corrida será uma loteira, o vencedor só pode ser Fernando Alonso.
    Sorte é com ele mesmo.

  5. Rodolfo Borges disse:

    Kiko, tesouro, carinho, rei, coração…

  6. celso disse:

    Que cagada da Sauber! Eles tinham carro para um top 5, tranquilamente. O Mito Koba vinha andando bem em todos os treinos livres, inclusive hj no Q1 e Q2.

    Merda.

    Concordo com vc, muito estranho não terem investigado o Alonso e o Maldonado no Q2, depois da bandeira amarela. Foram eles que tiraram o Mito do Q3.

    Vai Kobayashi!!!

  7. Vinícius Lucas disse:

    Vitonez, concordo totalmente com o seu post.

    E fiquei bem irritado com aquela bandeira amarela com o Grosjean, pelo menos uns 5 pilotos se ferraram alí, pô, o franco-suíço só errou uma freada e foi para fora e querem colocar bandeira amarela? que burrice dos comissários.

  8. Boer disse:

    Victor boa tarde.

    Acho mesmo que a F-1 está numa “baitolagem” monstruosa de uns tempos para cá. Pelo que me lembro e pelos registros que tenho de corridas de F1 gravadas tanto em VHS quanto em DVD, houveram treinos e corridas com muito mais água do que o que ocorreu hoje, como por exemplo em Fuji em 2007, focando um exemplo mais recente. Citando outro exemplo recente, o que choveu em Silverstone hoje não foi 50% do dilúvio que caiu em Kuala Lampur em 2009, quando os carros já possuíam as configurações aerodinâmicas e mecânicas dos carros atuais.

    No entanto, discordo de você quanto a direção de prova não investigar a situação do Alonso na bandeira amarela. Na minha opinião, o simples fato dele ter feito uma parcial mais lenta do que ele já tinha feito anteriormente, mesmo sendo 0s006, já configura que ele foi mais lento do que ele poderia, portanto, por mais preciosismo que haja na minha tese, ele tirou o pé na bandeira amarela. Azar dos outros que reduziram a velocidade bruscamente em situações semelhantes…

    Abraços e sem previsões para amanhã…!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>