MENU

29 de junho de 2013 - 11:31F1

Double deckers

SÃO PAULO | Everything as before in the Abrantes’ HQ, ouviram ali no paddock em Silverstone. A mais que esperada primeira fila da Mercedes só colocava dúvida sobre quem seria o primeiro, e empurrado pela torcida de mais de 80 mil gentes nas arquibancadas, Hamilton pulverizou Rosberg em 4 décimos e outras libras para reconquistar a pole, a 28ª da carreira. Uma diferença até irreal pelo que ambos andaram e pelo desempenho que vêm tendo na temporada, mas uma amostra de que o inglês vai se acertando e habituando ao à operação da estrela de três pontas.

Aliás, como é que seria a F1 com pneus ‘normais’, sem tanto poder de decisão nas corridas? Será que Hamilton e Rosberg estariam na luta pelo título com esse carro rapidíssimo? Para se pensar com carinho e atenção.

Vettel e Webber dividem a segunda fila. Bom, Sebastian vai para o título, lógico, e deve ser aquele que há de se beneficiar com o provável desgaste absurdo dos carros à frente, mas a partir de agora vai ser interessante acompanhar o que Markola vai fazer, sem pressão, solto e provavelmente apertando o botão extra do volante escrito ‘FUCK’. Sem contar que Silverstone é uma das pistas preferidas do nem tão jovem australiano. Aquele que quiser ganhar uma bolada sozinho tem nele uma boa opção de aposta.

A terceira fila vem diferentona. Di Resta e Ricciardo. O escocês, que vai ser tratado como britânico pelos locais se for bem, está de fato indo bem. E o compatriota de Webber quer muito seu lugar – ah, vá? A Toro Rosso vai ganhar ares de grande daqui pra frente, sendo muito mostrada pela TV, principalmente. Qualquer passo em falso ou bem dado será registrado como ponto a favor ou contra na briga contra o fortíssimo Räikkönen, o grande rival dos primos pobres. Na luta franca caseira e até contra Kimi, ponto para Daniel. Sutil e Grosjean também não deixam de fazer uma fila seguinte exótica. Só então que vem o finlandês e Alonso, numa Ferrari irreconhecível, se comparada às etapas iniciais.

Alonso, com seu bigode de presidiário de Alcatraz, já soltou as suas depois do treino. Reclamou que o trabalho da equipe não tem sido bom. Así no se puede, así no lo dá, bradou, cofiando a ponta esquerda. É, verdade, assim não dá. Se não tá fácil tirar a diferença para Vettel, largando em décimo sem perspectiva de tanta melhora, não traz lá grande felicidade, nem mesmo buscando naqueles livros de auto-ajuda que o espanhol lê até dormir.

Massa, em 12º, é um mix de dois fatores: o mau ritmo da Ferrari e o seu mau ritmo – ou pelo menos constante nas últimas provas, o de bater. Pelo terceiro fim de semana consecutivo o brasileiro provocou danos ao carro vermelho e torna a colocar dúvidas sobre si, em atos degenerativos. É bom que encaixe um bom resultado logo antes que se afete psicologicamente e dê motivos para seus chefes começarem a coçar suas respectivas cabeças. Vive má fase.

Com a previsão apontando tempo seco e a sensível melhora da Mercedes depois do teste secreto, puxa, que coincidência, a tendência é ver os dois carros prateados ponteando, caso mantenham suas posições de largada, até a primeira parada. Vai de Vettel saber, junto com seu grupo, quando o bote deve ser dado. E, sim, preocupando-se com o que o cara do lado da garagem e do grid há de fazer. Não há muito com que se importar com os dois principais rivais na luta pelo título, que não parecem ter ritmo algum para perturbá-lo. Ou seja, como diria o outro, a Inglaterra tende a prover um delicioso chá das 5 ao tri-quase-tetra (ousado).

1 comentário

  1. Francisco M disse:

    FYI, qualy no seco até aqui::
    China: Lewis -0.377
    Bahrain: Rosberg: -0.432
    Spain: Rosberg -0.254
    Monaco: Rosberg -0.091
    Canada: Lewis -0.496
    Britain: Lewis -0.452
    Ahh e o Webber tá longe de poder apertar o foda-se, ele continua sendo piloto da RBR na wec…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>