MENU

24 de agosto de 2013 - 11:03F1

Spartacus

Embedded image permalink
SÃO PAULO
| Ah, Spa & Francorchamps, sua linda, só você mesmo pra fazer a gente ter a certeza furada de que Di Resta seguiria Fisichella e cravaria a segunda pole da Force India quatro anos depois. Depois, só você pra nos fazer aplaudir Rosberg por tirar essa pole impossível naquele aguaceiro. Só você, então, pra secar rápido e nos fazer achar que Webber e Vettel limpariam o resto para fazer a primeira fila. E, por fim, só você pra ver Hamilton largar em primeiro amanhã.

E não se pode esquecer que é só você, maravilhosa pista, que é capaz de mostrar Van der Garde em terceiro em uma parte do treino e o jovem, que é um fiasquinho, partindo em 14º, à frente das duas Marussia.

A F1 deveria pensar, seriamente, em ter um minicampeonato em Spa-Francorchamps.

Bom, primeiro que a situação em pista seca vinha apresentando o domínio retumbante de Vettel a ponto de fazer Hamilton jogar a toalha numa sexta-feira. Tudo muito ruim, nada com muito sinal de melhora profunda, que os torcedores ajudem, etc.. Bastou ameaçar dar o sinal verde para liberar os boxes na classificação d’hoje que a reza dos mesmos fosse atendida: certamente uma oração, nem necessariamente com tanta fé, para que a chuva embaralhasse a bagaça. Pessoal já partiu com os intermediários para a pista, e naquela situação, até Gutiérrez e as Williams apareceram na frente. Quando a pista ameaçou melhoar, quem diria, foram as nanicas ousadas que deram o bote: calçaram Van der Garde, Bianchi e Chilton com os slicks. Logo de cara, a ideia deu certo, e já era tarde para as demais fazerem o mesmo. O grid se inverteu de tal forma que o piloto da Sauber e a dupla do time de Frank caíram fora do treino. A Toro Rosso, que vinha muitíssimo bem, foi na leva. Vergne ficou putito: “Simples: erro da equipe. Não dá pra acontecer uma coisa dessa”, bradou.

Daí veio o Q2, com pista seca, o que punha 13 pilotos para brigar por dez vagas – as últimas três já tinham destino. Por muito pouco, Hamilton e Massa se salvaram da degola, coisa de milésimos, enquanto Rosberg e Räikkönen passavam com facilidade junto com as Red Bull. Pérez não seguiu Button e caiu fragilmente. Sutil, a mesma coisa em relação a Di Resta. Hülkenberg foi quem ameaçou a rapa da frente, mas ficou pelo caminho.

E então, como no Q1, o Q3 viu a chuva nos segundos iniciais. Enquanto o pessoal se apressou para tentar uma miserável volta de slicks, os forceindianos já puseram Di Resta com os intermediários, e com uma volta na casa de 2min02s de cara e a água vindo com intensidade, ali estava claro que a cara feia do escocês teria novos contornos. Quando os rivais retornaram, apareceram com tempos quase 3 segundos acima. Mas o ultrasecador que deve ter sido acionado sem ninguém ter visto abriu um trilho seco quando a Force India contou com o ovo na cloaca galinácea – feito seguido pela Ferrari, principalmente com Massa, que indicava ser o segundo beneficiário daquele cenário. Em vez de manter seu piloto na pista, a equipe chamou Paul de volta aos pits.

Rosberg, ainda quando a pista vinha bem molhada, foi espetacular ao tirar o primeiro tempo de Di Resta. E aí o coitado do alemão, bravo, viu seu nome cair na sequência.

Hamilton ria como criança ao saber que havia sido P1. “Eu mal posso acreditar”. Chegou a tirar um sarrinho, galhofeiro que é, como se nota na foto. De fato, e a Mercedes vai mantendo sua incrível sequência desde o GP da China. Só que, diferente da Hungria, Lewis não tem notoriamente o melhor dos carros para ir brigar pela vitória. Vai ter, sim, que pedir chuva e condições iguais às de hoje – algo que a previsão aponta. Nas CNTP, são as Red Bull quem estão dominando o coreto.

Sendo assim, é quase impossível cravar um favorito. Hamilton é ótimo em chuva, Vettel também vai bem e Rosberg guiou o fino. Webber não é dos piores. Räikkönen vai acompanhar tudo ali de trás junto com Grosjean e Button. Di Resta tá ali no meio, pronto para se aproveitar. E tem as Ferrari largando em nono e décimo – e no caso de Felipe, é até bom na sua pretensão de mostrar ao time o que pode fazer, naquele trabalho que tem se mostrado costumeiro, o de andar bem para garantir um ano mais. A expectativa para esta corrida é a maior possível.

Mas para não ficar em cima da mureta, um palpite: dá Nico amanhã em Spa, essa linda.

2 comentários

  1. Clayton Duarte disse:

    Spa é tão linda que só o treino de classificação já é melhor que muito GP tilkeniano.

  2. Sanzio disse:

    Não se pode esquecer da maestria mineira de Button e Hulkemberg no asfalto sabão….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>