MENU

30 de janeiro de 2014 - 18:27F1

O Kevin da nova geração

SÃO PAULO | Parece que o povo em Copenhague e adjacências esqueceu as temperaturas glaciais e foi às ruas depois do resultado Magnífico do Mag. Nussinho, como chamamos, já chegou chegando e foi primeiro na sua estreia pela McLaren. “Jura que você crê nisso, em resultado de testes?” Ora, me deixa viver. Kevin é bom, rapaz. Não é de hoje. É só não ser retardado como o pai Jan em seus tempos de F1, isso o pessoal sabe.

Mas é um pensamento além aqui. A McLaren passa por uma reformulação ferrada em seu comando, e Ron Dennis voltou para abalar e enxotar Martin Whitmarsh, que não parecia mesmo entender do negócio. Esta nova F1 aponta que quem tem Mercedes, tá feito, e o MP4-29, com aquela traseira esquisita, uma suspensão ‘bloqueada’, em formato de travesseiro fofo, parece ser a grande sacada do ano, muito mais que aqueles bicos horrendos. Magnussen, com um carro decente, vai para as cabeças – claro, disputando com este Button que ou vem para matar ou para morrer depois da perda do pai. A grande adversária parece ser a Mercedes, por enquanto, que anda, anda, anda e não quebra.

Magnussen é o novato desta história toda, e já faz tempo que a F1 não tem um campeão inédito ou um novato brilhando de primeira. “Peraí, cê já tá falando que ele pode ganhar o título, retardado?” Calma. É só pra falar também de uma matéria que o pessoal está preparando para a Revista Warm Up. Kevin, diante do cenário, cai como uma luva nos prognósticos. Pode ser, por exemplo, o que Villeneuve foi em 1996 pela Williams – apesar de que Jacques teve uma vida toda para se adaptar aos carros diferentes dos que manejava na Indy: chegar na Austrália e fazer a pole, o brilhareco, ser a nova atração de um negócio que perdeu atenção com o domínio Vettel/Red Bull.

Kevin pode ser um Marc Márquez das quatro rodas e ser o ponto da virada de uma categoria que já começa a mudar radicalmente. O danês, ao que tudo indica, sabe se portar como um rookie atrevido e carismático, ótimo para um mercado que também se debruça ao marketing. Já declarou que sentiu um embrulho no estômago, “butterflies”, mal dormiu esta noite pensando no que ia fazer horas depois, aquela coisa do pau duro para sentar logo a bota. E o moleque fala, fala bastante, e ele que recentemente chegou ao Twitter resgata o passado, o #20 dos grandes pilotos que usaram seu número, seu país e tudo mais.

Os psicólogos têm dito por aí que as gerações estão tão avançadas que vêm mudando a cada cinco anos. Taí aquele que se apresenta como o representante da nova na F1.

13 comentários

  1. renato disse:

    Villeneuve na William???? Ele não morreu em 82 :-)

  2. Daniel Faria Batista disse:

    Calma Victor Martins, falta muito para ele mostrar alguma coisa, não fez nada ainda. Se a McLaren estiver bem esse ano, acredito muito mais no Button.

  3. RenatoS. disse:

    E pensar que Nasr o superou com folga na F3 Inglesa usando o mesmo equipamento.
    Motivo: falta de constância do veloz dinamarquês.

  4. Ivo disse:

    Fala a verdade Victor, só pensa assim por que ele é dinamarquês. Se isso não é “pachequismo”, não sei o que é. :D

  5. Anderson Pereira disse:

    É, aparentemente Mercedes e Mclaren estão na frente nessa corrida ao titulo de 2014. Não só pelo motor Mercedes mas por apresentarem carros confiaveis e, no caso da Mclaren, soluções aerodinamicas melhores.
    Falta saber se o Mercedes alia potencia com economia.
    De nada adiantará ter um carro veloz e confiavel mas que fique na pista por falta de combustivel.
    Então eu acho que só lá em Barcelona é que saberemos quem realmente irá dominar este campeonato.

  6. Diego disse:

    “Trocadalho do carilho” esse do título, hein?! Funk das antigas?!! O quê se passou na tua juventude? hahaha

  7. Tiago Oliveira disse:

    Ate agora ele só é filho de um cara que bateu um monte de recordes na Formula 3 nos anos 90, ganhou o campeonato de uns 3 pilotos bons na WSBR, e andou um dia numa McLaren que nao quebrou. Só.

  8. celso disse:

    Victor, esquece.
    Na verdade, o presidente atual da Toyota falou que, enquanto for presidente, a Toyota não retorna à F1. Só volta qdo ele sair de lá.
    Existia uma especulação no Japão de que a Toyota retornaria à F1 devido ao retorno da Honda.
    Mas ele acabou fazendo este pronunciamento hj…

    Abraço!

  9. celso disse:

    Victor,

    “Furo” do Taki Inoue em primeira mão, aqui (ele só colocou em japonês, no Twitter).
    Já há algum tempo ele vem levantando esta hipótese: a Toyota vai voltar à F1.
    E o Koba-mito vai ser o piloto deles, e não da Honda, como muitos estão pensando.

    Abraço!

    Celso

  10. Márcio Vilarinho Amaral disse:

    “e ele que recentemente chegou ao Twitter resgata o passado, o #20 dos grandes pilotos que usaram seu número, seu país e tudo mais.”

    Tom Belso (não sei como se faz o “o” nórdico) esteve inscrito com o n.º 20 em uma corrida (Suécia 1976), mas não correu. Ele está incluso nesses “grandes pilotos”?

  11. Francisco M disse:

    Realmente o Kevin é muito rápido, espere pra ver o Vandoorne, que vai correr de gp2 esse ano pela ArtGP. Dizem ser um alien, rapidíssimo! Outro detalhe, Alonso e Kimi são contemporâneos do Schumacher, passaram pela chegada da geração do Hamilton, pela era RBR/Vettel, e agora acompanham a chegada de Magnussen, Kvyat e cia. São sem dúvidas dois dos maiores pilotos de f1 de todos os tempos, imho.

  12. Daniel Ramos disse:

    O guri pode surpreender, e pode levar a Mclaren pro o topo, juntamente do Button, e tudo demostra que o MP4-29 tá indo pelo o rumo certo, e que a Mercedes fez um motor bem confiável, pois até agora não teve quebras, já a Renault, alguma coisa me diz que o pessoal da Toro Rosso tá se arrependendo de ter trocado por ela e a Williams está dando pulos de felicidade por ter largado a francesa e ido pro os lado dos alemães, apesar que até o início da temporada tudo possa ser arrumado, a Ferrari, sabe fazer motor de F1, então acho que os problemas não são tão sérios assim.
    Ao menos no início da temporada pode ser que os que têm motores Mercedes-Benz iniciem dominando, mas a Red Bull pode se recuperar, trabalhar 24 horas sem dormir nos 4 motores que possuí, e resolver tudo a tempo, e surpreender já no próximo teste.

    Uma coisa é certa: O bicho vai pegar, prevejo muitos motores quebrando em corridas (hehe).
    Os Japa da Honda, mais uma vez tendo sorte, eta japas inteligentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>