MENU

25 de maio de 2014 - 19:44F-Indy

Polis de Indiana, 22

Chegada em Indy

INDIANÁPOLIS | Eu sempre digo: Indianápolis é isso. Quem nunca teve oportunidade de conhecer, tanto a cidade quanto o Speedway, tem de se programar para vir, passar uma semana, visitar o museu, comprar, etc. E, claro, assistir à corrida, sentir o clima da arquibancada, o que o infield oferece, as atrações musicais e tudo mais. Ontem mesmo, de manhã, me peguei pensando que vou sentir falta desse local assim que estiver a caminho do aeroporto. Isso se não resolverem nos prender retroativamente pelo Abacartão.

A corrida foi totalmente atípica em seus 3/4 iniciais. Ninguém esperava nem em seus sonhos mais lisérgicos que passariam 150 voltas sem bandeira amarela e tendo de mudar a tática da corrida. Porque muita gente preferiu poupar o equipamento no começo crendo que só daria o melhor de si nas voltas finais. Em um primeiro momento, o pelotão andou todo junto, mas com os pits mais lentos das equipes fora do eixo, os retardatários começaram a vir.

O quarto final de prova, então, foi o que se espera das 500 Milhas; as voltas finais, então, pôs todo mundo de pé aqui, boquiaberto. A briga entre Hunter-Reay e Castroneves vai figurar para sempre como um dos momentos mais impressionantes: cinco voltas finais intensas, usando linhas que jamais passaram nos treinos, a defensiva, o ataque. E reparem: Andretti e Muñoz não tiraram proveito da situação. Ryan foi preciso e ousado ao colocar por dentro, espremido, na reta oposta na volta 197. Ali ganhou a Indy 500.

Castroneves só tem do que se aborrecer. O cara tinha um carro perfeito e, mesmo quando tentaram fazer alguma modificação, voltaram atrás porque o #3 estava vencedor. Alguém teria de engolir a derrota, e a de Helio foi a maior de sua vida — já antecipo o que o brasileiro disse com exclusividade à TV GP, do Grande Prêmio, que vai ao ar amanhã.

A Ganassi demonstrou mesmo que não vive boa fase. Por mais respeito que se tenha à equipe, ao camarote VIP, os quatro carros passaram por contratempos hoje. Briscoe tocou carro com Davidson com meia volta e passou a corrida toda tentando recuperar a volta, que conseguiu só com as bandeiras amarelas; Kimball e Dixon bateram; e Kanaan… bem, ficar sem gasolina é um erro que se espera da Dale Coyne, não da Ganassi. Colocar errado o ‘starter’ para fazer o motor funcionar de novo já é demais. Negada vai se reunir nos próximos dias para pôr os pratos a limpo — e inteiros.

Busch e Karam foram mais do que agradáveis surpresas, terminando em sexto e nono, respectivamente. Villeneuve chegou a tomar volta, recuperou, andou sempre acima do 20º, de repente terminou em 14º. Seria legal se aparecesse para correr nos outros superovais. Ou, quem sabe, disputasse o campeonato pra valer. Jacques movimentou bem isso aqui.

E aí, gostaram?

7 comentários

  1. eduardo disse:

    O Montoya foi punido e ainda terminou no broco da frente,o colombiano vem se readapitando mais rapido que eu esperava,ja e tao rapido quanto o Helinho e ate o fim do ano bota tempo no Power o que mostra que pilotos habeis como Montoya e Nelsinho so perdem tempo na Nascar que pelo formato da categoria nao permite que eles mostrem seu braco

  2. André Arruda disse:

    Que corrida, povo brasileiro! Ainda bem que era o Helio que estava na ponta. Do contrário a Band faria aquela besteira de interromper a corrida. Já estavam com imagens da porcaria do futebol, em PIP.

  3. Mauro Andres disse:

    Uma Indy 500 digna da tradição! As últimas 50 voltas sensacionais! Que venha a próxima edição!!

  4. Vinícius disse:

    Boa. As voltas finais foram empolgantes. Podem falar o que for, mas eu gosto de ovais. Sobre Indianápolis, eu já falei pra minha mulher que não posso morrer sem antes ir até lá pelo menos uma vez.

  5. AGS disse:

    VM, Bom dia..
    Quer ver o oposto de Indianópolis, é visitar o circuito no inverno..É triste, estranho, o o vento bate do noroeste sem dó.
    Mas tem uma magia no ar, a velocidade corre no sangue, tudo é bonito, até o inverno…

  6. Douglas Vieira disse:

    Passei as ultimas 5 voltas agarrado ao sofá. Sensacional! Uma pena para o Castroneves mas Hunter-Reay mandou bem demais. Vitória muito merecida. Abraço!

  7. Marcio disse:

    Corridaça, só não foi perfeita porque não foi o Hélio que foi para o winner’s circle, mas é uma indy 500 que vou me lembrar por muito tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>