MENU

8 de junho de 2014 - 22:32F1

Mont Real, 2

Acidente de Massa

SÃO PAULO | Tem um companhêro de trabalho lá na TV que vira e mexe começa as suas opiniões meio rabugentas e com a língua meio presa com um “confesso a você”. Pois eu confesso a você que vi e revi pelo menos umas 18 vezes a cena do acidente.

Aos detalhes: tanto Massa quanto Pérez não tinham o melhor dos freios, mas o mexicano vinha em situação pior. Bem como também eram seus pneus, mais gastos, e seu carro como um todo – Checo não conseguiu atacar Rosberg em nenhum momento porque não tinha o DRS funcionando. Aproximou-se rapidamente de Nico, mas foi comboiando. Até que Ricciardo tomou a decisão na vida: vencer. Mas a ele, mais tarde.

Ricciardo passou, Vettel fez o mesmo, faltava Massa. Se a vida era severina para todos, Felipe tinha as menos ruins condições dentre todos no fim da corrida. Quando viu Vettel passando na chicane, fez direitinho a tangência para sair lançado e aproveitar que Pérez não vinha com tanta velocidade. Embutiu e fez a manobra de ultrapassagem e, então, houve o toque.

Há as duas câmeras on-board e outras duas – a da transmissão e uma no nível da pista – para sanar as dúvidas. Aquela que poderia ajudar melhor, a de Massa, gera um picote justamente na colisão. Nas 14 primeiras vezes que vi, apontei erro de Felipe. O toque aconteceu nem no meio daquela faixa de pista estreita. O que significa dizer, primeiramente, que Massa não abriu para passar o suficiente para efetuar a ultrapassagem e usar o espaço que poderia. A manobra em si foi muito rente a Pérez independente de seu movimento, como se tivesse fazendo o contorno da tangência daquela curva à direita. Nada de lei de trânsito ou balela de quem vem atrás tem culpa, mas Felipe poderia ter evitado o choque.

Então surgiu a imagem aérea. De cara, nota-se um movimento de Pérez à esquerda. Não foi brusco ou proposital, além de representar uma tentativa de defesa à qual os pilotos têm direito. Mas, claro, foi provocador do acidente.

O que pesa contra Pérez é que esses movimentos seus têm sido comuns e observados. Renan do Couto relembrou há pouco que o mexicano, no ano passado, fechou Räikkönen na China e Grosjean na Bélgica em atos similares – e no caso com o francês em Spa, houve punição. E a FIA e seus comissários têm uma necessidade latente e professoral de buscar culpa em qualquer coisa que provoque o encosto, leve ou espetacular, entre os carros – notem que até mesmo investigou o erro de Chilton que tirou o próprio companheiro, Bianchi, do começo da corrida, e ainda aplicaram uma punição ao cara; a entidade não dá o direito ao piloto de cometer um erro mais.

Posto tudo, uma ligeira mudança de opinião: o erro de Massa não foi, numa linguagem popular, uma barbeiragem. Como dito acima, vejo que não existiu uma prudência em fazer a ultrapassagem de forma mais limpa. Puro achismo neste momento: talvez Felipe já estivesse contando, na adrenalina do instante, que Pérez era fava contada e pensando em como atacar Vettel para tentar o pódio na volta final. Tem-se de considerar isso: o calor do momento. E se estava empolgante para todos que assistiam, aos pilotos isso é elevado a n potência. Quanto a Pérez, bem, esse histórico e a guinada leve à esquerda foram as responsáveis pelo choque.

Tem a necessidade de puxar a orelha, apontar um culpado como se houvesse um crime, e não tratar como um incidente de corrida normal? Não. Ainda mais com um caso que suscita opiniões dicotômicas e até viscerais pró e contra os lados envolvidos, ambos com suas influências para o fato.

29 comentários

  1. brasileiro José disse:

    Victor,
    Você pode ter visto 18 vezes, e não achado nada, mas, a 300km/h uma leve guinada (perez), faz toda a diferença na trajetória…e se realmente não fosse nada, o Maria do Bairro, não tinha tomado penalty, como aconteceu, coisa que não é a primeira vez que o Chaves faz.
    Sobre a Williams, concordo contigo, está fazendo M#$%&da toda corrida, complicado isso para o Massa e agora está acontecendo também com o Bottas, eita lelê.

  2. André Araujo disse:

    Victor,

    Sou um fã do seu trabalho, mas discordo quando fala em apenas incidente ou acidente de corrida. Deixando a “Brasilidade” de lado devemos lembrar que essa brincadeira é a mais de 300Km por hora. Acho até que pode ter sido um descuido do Sergio Perez, talvez ele não tenha visto o Felipe, mas ele não pode balançar o carro daquele jeito. obrigado!

  3. marcelo alexandre f. da silva disse:

    F1 cheia de mimimi !!! Batida normal de corrida !!

  4. eduardo disse:

    Dois pilotos agressivos num fim de corrida medirem mal sua manobra e se encontrarem na pista faz parte do esporte e só a F1 e o automobilismo brasileiro punem alguém,mesma coisa é um piloto derrapar nas primeiras curvas e encontrar outro carro,um piloto jogar o carro para cima do rival de propósito é uma coisa,dois pilotos lutando numa freada ou um piloto errando e atingindo sem querer um rival é outra

  5. luciano disse:

    Nossa!!!! Não concordo nenhum pouco com o seu comentário… Acho que o Massa tinha carro e motor para ultrapassar e sumir das RBr’s, da Force India e do Rosberg. Era o melhor carro na pista. O problema é o Massa, que não consegue ultrapassar. Prestei muita atenção na sua condução ontem, sobretudo quando estava atrás do vettel. Ele é muito medroso, escolhe mal os pontos de ultrapassagem, faz mai a aproximação do carro da frente e tem meia culpa no acidente, pois tinha pista de sobra pela esquerda e tentou passar coladinho no perez para não prejudicar seu tangenciamento. Não é de hoje que o massa não consegue passar ninguém. Quando o vettel errou no granpo, o massa freou, e todas as vezes que o vettel freava, por estar limitado pelo Perez (que estava mais lento), o massa freava também, não aproveitando para ultrapassar. O motor mercedes fala muito mais alto que o renaut, por isso não é desculpa. A willians tem um otimo carro, faltam pilotos. O DERROTADO SE ESCORA NAS DESCULPAS EM RAZÃO DOS INCIDENTES QUE LHE OCORREM, ENQUANTO O VITORIOSO IGNORA OS INCIDENTES POIS SABE QUE VITÓRIAS VIRÃO PELA SUA SUPERIORIDADE.

    O massa queria um carro competitivo, A willians tem um bom carro, poderia ter vencido ontem na pista, com ultrapassagens, se tivesse um piloto a altura do carro.

    O massa é um piloto aposentado em atividade. É fraco e arrogante. E vocês da mídia são muito politicamente corretos. Virou uma promiscuidade essa relação esportista-imprensa. Começou com o Galvão e se alastrou….

    • Victor disse:

      VM responde: Me parece que você é meio bobo.

    • Carlos disse:

      Discordo de você Victor, o Luciano falou somente a verdade, se fosse um Alonso ou Hamilton com esse carro, teria ultrapassado todos e ganho a corrida.

      • Victor disse:

        VM responde: Não é por isso que ele é bobo, Carlos.

        • Fabio Forlin disse:

          O Victor está certo. O problema não é o fato de um discordar do outro quanto ao culpado. O problema é que muitos de nós, brasileiros, querem torcer para alguém que não existe.
          Se fosse um Alonso, um Senna, um mito desses, ganharia a corrida? Talvez. Mas Massa não o é, e falta que os brasileiros aceitem isso. Massa precisa que as coisas funcionem um pouco melhor que os pilotos top, que tenha um carro mais acertado que um Alonso, que largue mais na frente que um Hamilton pra ganhar. Daí, por elevar-se o piloto a um patamar ao qual ele não pertence, a impressão que fica é de que o mesmo é fraco.
          Torcedor brasileiro não sabe o que quer. Se o cara termina a corrida na dele, sem cometer riscos, dizem que é uma “franguinha”. Se ataca, comete mais riscos e erra, é “burro, idiota”. E o que mais me impressiona é que sei de inúmeras corridas que Senna jogou no lixo por ser agressivo demais e ninguém fala uma palavra sobre isso. “Ah, mas o Senna era fodão, Massa nunca ganhou nada”. Dane-se. Vai apoiar só quando o cara ganha? Então não torça pelo brasileiro, você não merece.
          Sinceramente, eu já começo a ter pena do Nasr, que está abrindo as portas para seu caminho na F1. Sofrerá o mesmo que Felipe está sofrendo e o que Barrichello sofreu. Sofrerá por causa de um povo que não sabe o que é a essência de torcer. Que não sabe reconhecer a grande corrida que seu piloto fez, julgando-o apenas pela falha e o resultado final. Estes importam? Claro, mas é nas horas difíceis que o piloto precisa de um “Caramba, Felipe, bela corrida rapaz! Uma pena o acidente, mas que esteja tudo bem! Com certeza virão novas oportunidades como esta!”
          Talvez eu esteja sendo utópico demais, mas para mim “torcer” por alguém significa “apoiar”, não “desmoralizar”. Talvez sejamos um povo passional demais, sei lá, mas acho que não justifica essa agressividade que corre por aí pra cima do piloto.

        • Rafael disse:

          O acerto do carro do Massa, me parece, privilegiava ao máximo a velocidade em retas. Vide ele ter uma das maiores velocidades finais de reta. Para isso um pouco da aderência nas curvas fica comprometida. Por essa razão ele não conseguia sair embutido no carro frente e dá essa impressão de estar freando mais cedo. Achei o incidente da colisão, o erro maior foi do Perez, pois quando ele abriu o brasileiro mergulhou. Mas me pergunto se o Massa não poderia ter passado menos rente do Perez.

      • Carlos Henrique disse:

        Ricciardo e Vettel só passaram o Perez porque ele tinha problema de freios, do contrário não teriam passado, o Massa o passaria tb e o Checo errou, foi um erro bobo, mas errou.

  6. Christian Feltrin disse:

    Perez dá uma repentina e leve quinada para a esquerda, Massa, inexplicavelmente faz o inverso e dá uma quinada para a direita, conclusão simples e objetiva; Massa, culpado.

  7. celso disse:

    Victor,

    Vendo a imagem aérea, fica claro: acidente de corrida.

    No calor do momento, com todos babando pra conseguir o pódio, é normal, acontece.
    Neste caso, ambos tem sua parcela de culpa, óbvio. Acidentes de corrida são assim, simples assim.

    Massa viu a brecha e foi bastante (muito) otimista – e inocente. Afinal era o Perez à sua frente (Maldonado faria o mesmo), Mas, repito, no calor do momento, a mais de 250km/h, vc tem que arriscar algo.
    Perez tentou se defender, saindo da trajetória ideal, mas ainda deixando bastante espaço para o Massa, Mas foi, no mínimo, imprudente, Merecia a punição? Pela reincidência, acredito que sim.
    Todo mundo quer botar a culpa em alguém: FIA, FOM, imprensa, torcedores, espectadores, palpiteiros – é humano.

    Mas, neste caso, foi apenas um acidente.

    Azar dos dois, sorte do Vettel, que não morreu e ainda foi ao pódio.

    Ps.: de onde surgiu o Button em quarto?

    Abraço!
    Celso

  8. Sil C San disse:

    Felipe viu uma oportunidade, tentou, não deu. E isso numa fração de segundos. Senna sempre dizia que se houvesse uma oportunidade, enfiava o carro. Felipe fez o mesmo. E como não existe o ” e se”…

  9. Danilo disse:

    Esse é o dilema de Massa. Se faz o feijao com arroz na estratégia não dá nenhum resultado excepcional. Se ele pessoalmente assume um risco de uma ousadia ontem, por exemplo, e da merda, aí nao aguenta a pressao psicologica que impoe sobre si mesmo e o rendimento cai mais ainda.
    Dificil.

  10. AGS disse:

    VM, Bons dias..
    Na imagem em câmara lenta se percebe que o carro da frente do Perez não tinha espaço para fazer a linha de defesa que por sua vez quase no limite da curva, seria ultrapassado pelo Perez e que sabe a melhor parte da prova, Ao se ameaçado pelo piloto a Williams. No exato segundo de raciocino e claro que o Massa de tapioca não é bom em raciocínio e nem mais o campo de visão perturbada já faz anos e ninguém fala porra nenhuma, deixa claramente a falta de noção, pois ele queria fazer duas ultrapassagem ao mesmo tempo, e o que deu foi um pancão e fim para os dois.
    O fato de ser penalizado, é uma tremenda de uma sacanagem ao Perez, se alguém tinha que ser chamado na XINCHA..era o tupiniquim da Cantareira, esse sim tinha que levar uma mandioca no rabo, tá cada vez mais chorão, faz merda e ninguém pode falar nada, se não ele chora pra meio mundo…Cansa viu, o cara virou o palhaço do circo da F1…Eterno, carequinha do picadeiro…

  11. Billy disse:

    Não é proibido mudar o traçado para defender uma posição, mas a partir do momento em que o piloto o faz, não pode mudá-lo. Quando Ricciardo passou Pérez, o mexicano ocupava o meio da pista, e o australiano foi por fora. Quando com Massa, ele não tomou nenhuma trajetória defensiva, e aparentemente faria o mesmo traçado que Vettel fez à sua frente. Mas de repente ele guinou para a esquerda, justamente no momento da freada. Não há dúvidas de que a culpa foi total do mexicano. Não é o caso do texto do Victor, mas muita gente, inclusive alguns da imprensa, apressadamente jogou a culpa nas costas do brasileiro, o que não foi o caso. Típico comportamento brasileiro de culpar os esportistas quando não correspondem às suas expectativas.

  12. Pedro Jungbluth disse:

    Tenho falado ali o dia inteiro. O erro foi do Perez, manobrou muito tarde, em cima do ponto de freada, e Massa queria o pressionar para a direita e considerava que Perez já tinha tomado sua decisão.
    Mesmo assim não cabe punição, não pode ser considerada uma manobra em frenagem, que é proibida, mas sim uma mudança defensiva de traçado. Exagerou e bateu, se tivesse feito direito não batia, mas não cometeu nenhuma infração.

    Não é de hoje que a F1 pune a disputa.

  13. Fábio disse:

    Aquela reta não é bem uma reta, tem uma pequena e suave curva a direita pouco antes da chicane… Todos pilotos trazem o carro levemente para a direita para contornar essa curinga antes da chicane. E Pérez fez o que ninguém faz, trouxe o carro para a esquerda, colidindo em Massa. É só comparar sua trajetória com a de Vettel, Pérez veio sim muito e abruptamente para esquerda, foi culpado pelo acidente.

    • Victor disse:

      VM responde: E Massa foi para a direita…

      • Pedro Jungbluth disse:

        Não existe nada proibindo mudar o traçado. Perez tem o direito de se defender. O Vettel seguiu a linha ideal porque não disputava com ninguém, Perez quis pressionar Massa pra esquerda, Massa quis pressionar Perez pra direita. Os dois ao mesmo tempo, colidiram, manobra absolutamente normal.

        O caminho que a F1 segue ao tentar estimular ultrapassagem por meios não esportivos e proibir a disputa esportiva é absurda, vão acabar matando o esporte.

  14. Ricardo disse:

    Comentário mais sensato até agora. Tem aqueles que, por relações bem proximas a pilotos, defenderam viceralmente o piloto brasileiro, outros, nas redes sociais, detonaram o brasileiro. Pra mim foi acidente de corrida, alias acho que Perez trouxe, por instinto, o carro pro lado pra não bater no Vettel, assim como Massa tamb’em trouxe o carro pra direita….super normal isso..acidente comum de corrida….com culpa dos dois envolvidos.

  15. Eduardo Cid Rodrigues disse:

    Perez também deu uma guinada pra esquerda quando o Ricciardo passou ele no mesmo ponto, Só que o Ricciardo veio por fora. Já tinha achado isso meio “estranho” antes do entrevero entre Perez e Felipe

  16. Zezinho disse:

    Victor, a impressão que tive no momento, no que tange ao Massa, é que ele não esperava que o carro se aproximasse tão rápido do carro do Pérez. Te lembra quando Webber decolou por cima do Kovalainen, em Valência? Me pareceu algo parecido: ao entrar no ‘vácuo’ do Pérez, o Massa se aproximou de forma que ele não esperava e não conseguiu tirar o carro a tempo de evitar a colisão – daí, a mudança de trajetória do Pérez ajudou a que tivéssemos o acidente.

    Uma coisa que não ouvi na TV: a asa-móvel do Pérez estava funcionando? A impressão que tive é que não estava, o que ajuda a explicar ele não ter colado no Rosberg

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>