MENU

9 de junho de 2014 - 16:11F1

Mont Real, 4


SÃO PAULO
| Por fim, o vencedor. Esse moleque era meio que dúvida até mesmo na Red Bull quando foi pinçado para ocupar o lugar de Webber. A negada lá deixou Vergne para trás porque via em Ricciardo mais velocidade, embora os resultados nas corridas e no campeonato apontassem para uma maior pontuação do francês. E com um Vettel tetracampeão e um carro prestes a sofrer alterações sensíveis, o cadafalso estava cheio de crocodilos famintos esperando pela janta.

Pois Ricciardo tem duas importantes marcas na temporada: ser o único homem a tirar a Mercedes da primeira fila — em casa, na Austrália — e a acabar com a invencibilidade em corridas, como aconteceu em Montreal.

Natural que precisasse de um defeito dos carros prateados, que veio em dobro e concomitante. Foi como se um hacker tivesse invadido o sistema da Mercedes e enviasse um comando para dar CTRL + ALT + DEL e dar um tilt. No caso de Hamilton, a placa foi danificada terrivelmente; com Rosberg, o sistema reiniciou, mas capenga. Sorte e competência de Nico ter levado esse carro até o fim e quase vencido — a sorte só não foi maior porque Pérez começou a ter problemas e permitiu a ultrapassagem de Ricciardo, que então partiu para a vitória.

O moleque do sorriso fácil merecia há tempos a glória maior pelo que lhe foi arrancado no GP da Austrália. O pódio na Espanha não foi o bastante. Arrojado, carismático, perspicaz, perigoso para Vettel, e era o que Vettel precisava, de um companheiro para empurrá-lo em um momento em que a Red Bull aparece como segunda força. Deu para ver em Vettel uma alegria em ver o parça ganhando, o abraço forte, o erguer no colo, o banho com a champanhe. O sorriso aberto.

Agora humana, no posto de abocanhar o que sobra do carro fora deste planeta, a Red Bull enfim tem dois pilotos do mesmo calibre. É evidente que falta a Ricciardo a experiência e a bagagem que os quatro títulos deram aos montes a Vettel, mas já se nota, além dos traços da criação de um ídolo e de um piloto absolutamente de ponta, que a equipe acertou em cheio em sua escolha.

8 comentários

  1. Carol Barros disse:

    Quanto exagero! Riccardo só está se destacando porque Vettel tem problemas, problemas e mais problemas com o carro. Quanto ele acertar, Riccardo vai tomar mais pau que o Webber jamais pensou em levar.

  2. voulembrar disse:

    O sorriso dele dá um ótimo marketing: “RedBull te dá dentes para sorrir!”.

  3. Claudio Mourão disse:

    O Ricciardo, pelos resultados deste ano, parece que vai ser um baita piloto mesmo. Como o Vergne andou perto também deve ser bom. Assim como o Kvyat. Depois das bolas fora com Buemi e Alguersuari a Red Bull só acerta.

  4. Sil C San disse:

    Como vc disse Victor, moleque do sorriso fácil, a F1 tá precisando disso, de mais alegria. Tudo bem que as Mercedes deram pau, mas ele tava lá fazendo a parte dele e muito bem. Sou fã desse moleque, assim como do Hulk.

  5. Walter Borges disse:

    Impressão minha ou falta alguém nesta foto?

  6. Eltontoptec disse:

    Amém Reverendo.

  7. Vinicius disse:

    E eu que achava que o Ricciardo seria domesticado pelo Marko…

    Mas ainda assim,acreditava que o moleque andaria bem em 2014,estando mais próximo do Vettel do que o Webber esteve,mas não imaginava que Ricciardo andaria tão bem,a ponto de superar Vettel.

  8. Julio Lima disse:

    Só uma correção, camarada: Vettel largou em segundo no GP da Malásia. E Ricciardo largou em segundo de novo no GP da China.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>