MENU

11 de março de 2015 - 15:32F1

Por trás das cenas

SÃO PAULO | Tava muito estranha, mesmo, a defesa patética da Sauber em alegar que Van der Garde corria risco de morte se pilotasse o carro neste fim de semana. Não à toa que o juiz deu risada, daquelas por dentro, e sentenciou em causa do holandês. A Sauber tá perdida, e a razão está nos bastidores: Van der Garde e o sogro, Marcel Boekhoorn, querem a equipe. Tá lá no Grande Prêmio.

O que tende a significar isso? Que de fato a Sauber não vai colocar Van der Garde para correr e repassar parte da equipe — e a medida para isso podem ser os R$ 24 milhões que o piloto/patrocinador deu — a Boekhoorn, dono da McGregor. Senão, rapaz, o caldo suíço entorna.

7 comentários

  1. sandro disse:

    Vitor, qual o e-mail do grande premio, o warmup@warmup.com.br não funciona.

  2. Emerson disse:

    É… a “grobo” de novo tá dizendo que você inventa…
    https://twitter.com/voandobaixo/status/575739382369533953
    Sendo que usam o Grande Prêmio como fonte para as “notícias” deles…
    E aí Victor, o que me dizes??

  3. Paulo disse:

    Cara…tá parecendo coisa de garoto mimado, criado pela avò (no caso, pelo sogro)…que a Sauber fez merda, é fato que fez. Mas os 24 milhões de dilmas ainda são menos que os 60 de Nasr e Ericson. Ou 40, como tá no GP, sei lá, essas cifras são sempre misteriosas. Enfim…para a Sauber, é melhor perder 24, 40, 60, ou parte (ou toda) a equipe?
    De um jeito ou de outro, não me parece que VDG vai ter vida longa na F1, não. Depois dessa confusão toda, se conseguir correr este ano, só corre nos próximos se o sogrão bancar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>