MENU

13 de janeiro de 2016 - 18:02F1

Quem quer saber da F1?

CALDAS NOVAS | Devidamente acomodado na cidade que, já nos primeiros minutos, parece muito mais bonita e organizada que Goiânia. O Golden Dolphin já está em seu terceiro hotel e ergueu uma construção suprema com aquelas piscinas de águas quentes desejáveis. Ao longo da semana, vou falando um bocadinho dos dias aqui.

Papo aqui é uma breve continuação do assunto abordado ontem no Paddock GP sobre o marasmo do noticiário da F1 e na tecla que se bate sobre o interesse na categoria — apesar de o Grande Prêmio, por exemplo, ter registrado um aumento significativo na audiência em 2015, comparado a 2014.

Lembro que 2013 estava acabando e o papo na redação era de que a tranquilidade pairava estranhamente no ar. Foi aí que, naquele domingo do dia 29, Schumacher caiu nos Alpes franceses e deixou de viver decentemente. O alemão foi notícia e nos fez passar a virada de ano com o celular na mão, temendo que a notícia do pior acontecesse. Os meses seguintes mesclaram as notícias de seu estado com as dos lançamentos dos carros.

Pois o ano passado foi uma tristeza só em termos de notícias. Poucos estavam inclinados a saber o que se passava naquele mundo. Janeiro seguiu nesta toada, também porque a F1 deixou de ser um poço de informações. Nesta época do mês, em outros tempos, as escuderias já tinham definido as datas de apresentação de seus modelos, discutia-se que nome se daria a eles, pensava-se se mudariam cores. No máximo, o que se tem hoje é uma curiosidade em como vai vir a Haas.

Além disso, a pobreza financeira e de espírito tem impedido que os times façam eventos minimamente decentes e atrativos, limitando-se a transmiti-los pela internet. Não há ideias para que os patrocinadores desembolsem um pouco mais, mas tenham um retorno interessante se ousarem a sair da caixinha/casinha.

É claro que é preocupante. E é ainda mais preocupante quando se entende que a F1 não vai ser tão diferente em 2016, com a Mercedes sublime e a torcida para que a Ferrari possa prover a Vettel um carro capaz de brigar com Hamilton e, quiçá, Rosberg. Massa já disse que a Williams não vai incomodar na frente; esqueçam a Red Bull; a Force India ainda não tem ‘punch’ para brigar na frente; a McLaren vai se contentar em ir ao Q3; a Toro Rosso vai dar um belo salto e vai ser atração como a Haas, mas é ali no meio do pelotão.

Enquanto isso, a MotoGP achou seu caminho e a F-E sabe bem onde está pisando.

Ecclestone não renovou suas ideias, e é compreensível pelos 85 anos na lomba pouco afeitos à modernidade e só focados nas cifras. Mal começar a temporada e verificar que o público não está nem aí é mais um daqueles sinais de alerta. Tô nessa já tem 13 anos e alguns contos de réis. Sinceramente, me preocupa ver a F1 neste estado, quase que de coma. Até que se torne irreversível.

7 comentários

  1. Leandro Giannetti disse:

    Pois é, tem algum tempo que não acompanho a tv aberta, mas tenho a impressão que nem a Globo tem passado aqueles vídeo curtos sobre as equipes da temporada, lembro que na década de 2000 passavam à tarde e reprisavam antes ou depois do Jornal da Globo, na época ficava ansioso pra ver os lançamentos, mas agora todos são lançados às vésperas de entrar na pista, tudo decidido até o final da temporada anterior, pouca possibilidade de alguma inovação aerodinâmica… falta de interesse mesmo, mas alguns loucos (eu incluído) passam por aqui pelo menos duas vezes por dia atrás de alguma coisa rsrsrs

  2. EduardoRS disse:

    Eu acho que o caixão do Bernie vai ter um monte de gavetinhas pra ele guardar o dinheiro. É a única explicação que vejo para um senhor de 85 anos querer acumular tanta grana em tão pouco tempo e segurar o osso com unhas e dentes.

    A F1 só vai mudar quando o Tio B embarcar. Até lá, pode ser tarde demais, pois o público-alvo dele já pode ter morrido também.

    • luigi disse:

      Minha avó dizia que Mussulini havia feito da Itália um jardim e depois a destruiu ,acho que Bernie esta fazendo o mesmo com a F 1 ,levou a categoria a principal do automobilismo mundial ( não o era até os meados dos anos 70 ,quem conhece automobilismo sabe que as principais provas da Europa eram as de endurance – 24 H Le Mans , targa Flório , Mille Miglia , e várias corridas de 1000 Km ou de 12 horas ,como também no Brasil as eram) e atualmente a esta enterrando com os últimos e estúpidos regulamentos e Tilkhdromos . Eu acredito que também muito em função destes traçados chatíssimos que o Tilke desenha sem alma e história só baseado em luxo e ostentação e deste comissários idiotas que punem um piloto por qualquer ato ,como uma escorregada que vá mais alem de uma delimitação de pista ou por uma manobra mais ousada ,outra coisa é o fato da manipulação de ultrapassagem ,pois dar uma vantagem de 15 a 20 Km p/H para o que vem imediatamente atras é uma manipulação desavergonhada que foi uma “GAMBIARRA” criada depois de visto que as merdas dos traçados dos seguros Tikhdromos com suas retas longas e curvas fechadas ,muitas dela “tornantes” (algumas parecem inspiradas nas de um abridor de latas e alguns de garrafas ) não permitiam ultrapassagens ainda mais com estes carros com muito Downforce e assim ,engenheiros mecânicos/mecatrônicos tentam consertar o que o arquiteto Tilke com suas “brilhantes idéias” fez de mal para o automobilismo e que só aqueles eventuais “assistidores de corrida ” devem achar “Umaaaaaa Beleeeeeza ” como costuma falar um delirante e deslumbrado narrador ,as ultrapassagens via D S R ,pois o ,conhecedor do esporte sabe que foi um engodo e não gosta de ser enganado descaradamente ,quem sabe Sheiks que só andem de limusine ,jatos executivos e luxuosos yacht (ou seja ,nem dirigem) gostem !

  3. ARC disse:

    É verdade Victor, a F1 infelizmente gera menos interesse a cada dia. Feliz por vc prestigiar a minha cidade, é uma honra tê-lo por aqui. Escolheu um ótimo hotel. E dá-lhe Verdão na Libertas! Abraço!

  4. Zé Maria disse:

    A foto que ilustra o post é a maior demonstração da draga em que se encontra a categoria.
    Falaséééério!
    Esteban “Gutierros”, insignificante mexicano que só está na Haas por interesses comerciais ($lim), literalmente roubando a vaga de quem verdadeiramente merecia estar lá.
    (Não é o único, ok!).
    Não pode dar certo mesmo, é daqui para pior e pronto!

  5. rogerV disse:

    Pues…. é isto….Pintura da Renault, da Hass…e a eterna vontade de muitos com a Mclaren fazendo uma surpresa Laranja….

    • Anchor disse:

      Bem assim mesmo, se a Mclaren laranja ou nas cores Marlboro sair vão dizer que prata era melhor… 2016 vai ser o repeteco do ano passado. Hamilton dominando, Rosberg sem aguentar a pressão, só depois do título perdido começa a ganhar… o resto td igual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>