MENU

16 de setembro de 2017 - 11:33F1

S17E14_SIN1

Vettel



SÃO PAULO | Quando cêis tiverem algum clichê de automobilismo guardado no bolso porque é imposto domingo sim, domingo não, pensem em jogá-lo fora. O de hoje é o ‘só ganha/faz pole quem tem o melhor carro’. Primeiro porque Singapura tem uma característica tão única que permitiu a Red Bull dominar tudo que podia de treinos até o Q3 e até mesmo a McLaren andar ali no rebolo. Segundo porque Vettel não tinha um equipamento para tirar a pole de Verstappen. A pole veio no braço. No puro braço.

Sempre é válido destacar o quanto é bom estarmos vivendo essa fase da F1 em que há quatro pilotos excepcionais – Alonso, Hamilton, Ricciardo e Vettel – e com o prospecto de Verstappen se juntar a eles assim que fizer alguns ajustes. Isso também vale para acabar com o clichezão maroto de que só eram pilotos dos anos 70/80/90, como se fossem fodões de outro mundo e superiores aos que estão hoje porque guiavam carros sem ajudas eletrônicas. Todos são exímios dentro de suas épocas.

Mas dizia eu que Vettel foi buscar na sua qualidade impar a pole 49 da carreira. Chegou até a raspar o muro com relativa violência num trecho final da voltaça. Impediu que Verstappen se tornasse o pole mais jovem da história. Fato é que Seb, rei na cidade-estado, tem uma grande oportunidade não só de retomar a liderança do campeonato, mas ter a ajuda da dupla de sua ex-equipe. Porque Hamilton não parece capaz de ir além de um quarto lugar.

Lewis teve de se conformar com uma terceira fila e só pode torcer por problemas de quem vem à frente. Por mais braço que tenha, não parece ter um equipamento forte o suficiente para brigar com o trio Vettel-Verstappen-Ricciardo. Com Räikkönen, quarto no grid, sempre dá para contar. Porque Kimi não vai. É aquilo. E a Ferrari vai ter de pedir encarecidamente para que ele, volta à volta, faça o máximo possível para se manter firme diante do assédio do inglês.

Assim, em condições normais e plenas, Vettel deixa o -3 que tem hoje no campeonato para ficar +12 à frente de Hamilton.

O que pode favorecer a Mercedes é a perspectiva de um safety-car entrar num momento oportuno. Em todas as provas anteriores em Singapura houve a presença do SC. E pelo que a pista estava escorregadia hoje, a chance é muito alta de que a turma do PEK (Palmer, Ericsson e Kvyat) atue neste sentido.

Mais à frente, admito que ri bem quando vi o resultado do TL3 com Alonso em quarto e Vandoorne em quinto. É claro que a pista tem um fator preponderante, mas seria engraçado demais ver a Honda acertar a mão no motor agora que está de saída da McLaren. É claramente o fator zica que ronda Fernando há anos. No fim, ele tem o que comemorar largando em oitavo e tendo o companheiro logo atrás. Os dois estão atrás de um Hülkenberg sublime e que lidera essa Renault que vai perder Palmer – aleluia, irmão! – muito provavelmente depois deste fim de semana. Sainz já deve assumir o posto na Malásia.

Massa foi um dos tantos que perdeu o controle do carro ali na curva 20. Foi o que se deu pior pelo acidente no fim do Q1. Ainda teve chance de voltar à pista e tentar escapar da degola. Errou na curva final. Um desempenho ruim para um carro que é ruim e instável. Chegar aos pontos é tarefa praticamente impossível.

E falando nisso, é possível pedir os caos como no Azerbaijão? Sim. Os caras vão se desgastar muito nas duas horas, e as equipes vão ter de estar afiadas nas táticas. A Red Bull, enquanto time, é mestra nisso, então a mínima oportunidade que Christian Horner e seus asseclas virem para dar o bote, vai acontecer. A Ferrari que fique esperta. O palpite para a corrida é o mais difícil do ano. Vou de Vettel meramente pelo retrospecto. Mas creio que Ricciardo vai atrapalhar demais os planos do alemão.

10 comentários

  1. Daniel disse:

    Concordo… mas parcialmente. Quase meio grid andaria melhor nessa segunda Ferrari, então pode ser que a Ferrari tinha o melhor carro sim.

    Mas tirar 3 décimos no braço é possível… Tinha um certo piloto que enfiava até 1 segundo no Alain Prost com o mesmo carro – e o Vettel sabe tirar coelho de cartola… já fez pole até de Toro Rosso.

  2. Amadeu Calisto disse:

    Qual a fonte que Sais já vai pra Renault na Malásia? Palmer bate o pé que fica

  3. Alex disse:

    Excelente análise. Vettel provou hoje, novamente, que é um dos melhores, senão o melhor, do atual grid, ao lado de Alonso e Hamilton.
    Assim como este último soube aproveitar-se da vantagem da Mercedes em Spa e Monza, também Vettel tratou de desbancar não só Hamilton como as RB, que estão mais rápidas que as Mercedes.

  4. G disse:

    É o tetracampeão mais desvalorizado da história. Para a maioria dos comentaristas e especialistas, ele foi só, sortudo.

  5. Lucas André Cenovicz disse:

    Tenho medo de apostar no Ricciardo e zikar ele, então aposto no Verstappen que vai fazer uma largada monstra novamente

  6. RM disse:

    Não se tira 323 décimos no braço, não contra os melhores, a Ferrari era o melhor carro hoje e isso só mostra o que todo mundo já sabe, Kimi é um ex-piloto em atividade.

Deixe uma resposta para Victor Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>