MENU

5 de setembro de 2018 - 11:36F1

A força da criança que há em nós

vettel_child

SÃO PAULO | Tempo atrás, eu disse num GP às 10 e escrevi por aqui em algumas linhas que Hamilton não estava totalmente focado em seu trabalho no início da temporada — tanto que ganhou uma prova de bandeja, reconhecidamente sem merecer, no Azerbaijão, e Bottas vinha tendo desempenhos em que até se lamentava pelo fato de não ter vencido as corridas —, além de se preocupar com mazelas e infantilidades — como a de proibir a presença de Rosberg no pódio ou escrever recadinhos para as inimigas no Stories. Mas as coisas foram mudando consideravelmente a partir do momento em que ficou bem claro uma coisa na F1: que a Mercedes já não era mais a melhor.

A discussão da temporada foi sendo alimentada por um bom tempo em um tripé de variação de temperatura — a Mercedes não funciona em condições extremas —, pneus — a mesma equipe odeia os compostos mais macios, tanto que para Singapura vai fugir dos hipers como o diabo, da cruz; a Ferrari já não se adapta bem aos duros — e estratégias — Toto Wolff e seus engenheiros se perdiam lindamente quando entrava um safety-car e Maurizio Arrivabene e seus incaricatos  seguiam um padrão excelência da Red Bull.

Essa dubiedade se estendeu até o GP da Áustria. Até lá, Vettel tinha aplicado uma sonora sova no Canadá e Hamilton tinha despachado a concorrência na França, por exemplo. Na Inglaterra, o piloto local conseguiu a pole no braço e foi acertado nas primeiras curvas por Räikkönen. Com tudo que aconteceu depois na corrida, o braço não foi capaz de tirar a vitória do alemão. Mas em um circuito teoricamente pró-Mercedes, a Ferrari ali demonstrava que tinha mais a dar.

Por outro lado, Hamilton saiu exageradamente mexido achando que os adversários haviam tripudiado em seu quintal. E um Hamilton desafiado é um Hamilton forte. Ainda mais sabedor de que seu carro já não passeia como antes.

Tudo começou a virar na Alemanha com a ajuda de três pancadas de chuva. Vettel é um bom piloto nestas condições, mas Hamilton é espetacular. O alemão perdeu a vitória em casa estatelado na brita, se viu sem ganhar na favorita Hungria porque o inglês largou na pole disputada sob aguaceiro e só triunfou na Bélgica porque foi a mais óbvia das corridas mesmo largando atrás de Hamilton primeiro no gridem uma classificação molhada.

Então veio o GP da Itália, com um favoritismo óbvio para Vettel e uma esperança ferrarista de desconto de 10 pontos para Hamilton com um animado Räikkönen em segundo. Sem chover na classificação, era claro que Seb pensaria que seria pole. Engolir a derrota para o companheiro na classificação é algo que, nota-se, não aconteceu até agora. O erro na primeira volta da corrida, então, é consequente de quem não está nada feliz. Pior ainda é ver que seu rival, mordido desde a derrota em Silverstone, faz o que talvez ele não seria capaz de fazer. Aí Vettel exala os instintos mais primitivos da 5ª série possíveis.

Surge isso hoje: “Não estou particularmente feliz com a forma como a Ferrari lidou com as coisas no sábado. Deveria ter sido eu a largar da pole-position. Para mim, está claro: tenho que correr contra três carros, incluindo meu companheiro de equipe”.

Em miúdos, Hamilton passou a ter a postura que dele se espera: do cara combativo e supremo que domina finais de semana ou que tira o máximo da situação. Vettel passou a ter a postura que dele não se espera: do cara birrento e mimado de achar que tudo está sendo feito contra ele.

Talvez, na cabeça de Vettel em algum momento, é agindo desta forma que ele vai reverter a diferença: sendo um pouco do Hamilton que emanou após a corrida na Inglaterra e que nem de perto parece ter surgido depois da derrota na Alemanha.

É bom que aconteça isso, no fim das contas, porque cai o pano do cara que se debruça demais no jogo da equipe e depende muito dos outros; um Vettel puto e vingativo é capaz de fazer coisas como a do Multi 21. É ótimo que pense que seu companheiro é seu adversário porque Räikkönen — pode não parecer — não está contratado para lhe ser subserviente no frigir das linhas. É excelente pro campeonato porque, do jeito que está, nunca que ele vai descontar 30 pontos sobre este Hamilton raiz.

Fazendo eclodir uma infantilidade em nível hard, Vettel caiu em si: ou com um melhor carro finalmente se engrandece e parte para uma virada histórica em sete provas usando tudo que tem de melhor, na base do contra tudo e contra todos, ou vai sempre se curvar diante de um Hamilton que já vem mordido e, sobretudo, suscitar mais a dúvida que já paira sobre muita gente: a de que só foi quatro vezes campeão porque tinha um carro de outro mundo na sua mão.

34 comentários

  1. TYRRELL disse:

    Interessante que o Vettel disse tempos atrás ser fã do Nelsão Piquet, e como todos sabem o Hamilton é fã declarado de Senna, mas vejo as atitudes deles contrárias, Hamilton está sendo cerebral como o Piquet e Vettel está meio que se vitimando, como o Senna.

  2. Segafredo disse:

    Vettel assim como Schumacher, não é nada demais! Piloto Medíocre que apresentou resultados na RBR, apenas, por causa do foguete do Newey………

    Quantas vezes mais, seus torcedores aqui no Brasil, precisarão ver corridas como a de Monza??

  3. Henrique disse:

    Em um passado não muito distante, Vettel se encontrou na mesma posição quando tinha Mark Webber como companheiro na Red Bull. O experiente piloto não jogou confere para o alemão, que tinha a equipe ao seu dispor, e jogou duro contra Sebastian. Resultado: Vettel tetracampeão. Se ele conseguir ser o mesmo Vettel quando guiava o touro vermelho, acho sim que ele consiga tirar a vantagem sobre Hamilton. Se vai conseguir o título? Não sei, mas pode ser que vá para um dos dois no choro, como todos gostam de assistir uma boa disputa de campeonato. A Ferrari, desejo sorte e maturidade pra não cair em blefes estratégicos, pois tem uma Mercedes esperta e um Hamilton faminto por quebras de recorde.

  4. Tesser disse:

    Eu quase concordo com tudo.

    Hamilton não teira vencido na Alemanha, Hungria e Italia sem o papel de escudeiro de Bottas. Na Itália, ficou claro a tática 2 contra 1 para fazer o inglês se aproximar e acabar com os pneus do Homem de gelo.

    Sem o jogo de equipe, Hamilton não teria toda essa vantagem.

    Pra mim, essa temporada tá parecendo muito a de 2000.

  5. Jorge Miranda disse:

    Vettel só é tetra pq teve melhor carro…
    Hamilton detonou o Alonso com carro igual…
    E vai ser penta com méritos de ser campeão msm com carro inferior…

  6. Anderson disse:

    Baita análise, respeito o tetra do Vettel (sem dúvidas), mas, braço por braço, Lewis “guia” muito mais (na minha opinião – vamos concordar em discordar). Sobre o grid de Monza, Vettel errou na última volta rápida, erro esse que talvez possa ter custado a sua tão sonhada pole. O Kimi não aparenta ser amigo de ninguém, mas, ao meu ver não fez nada ao menos que se prove o contrário para prejudicar o alemão. Tão logo, que Vettel reclamou da postura de Kimi na largada, ele queria o quê? Que Kimi “parasse” o carro para ele passar? E ele errou ao ser afoito e “jogar” o carro em cima do Hamilton. Custou caro e doeu na alma do alemão! Sobre o erro na Alemanha (desculpa aí), mas, foi um erro deveras infantil, salvo engano só ele saiu da prova por conta da chuva. Não, o campeonato não está decidido, mas, pende obviamente para Lewis, e assim caso saia derrotado no campeonato, o alemão terá já seu discurso de derrotado preparado devido aos inúmeros chiliques de aluno de 5ª série que vem dando ultimamente! Abraço!

  7. Cristiano disse:

    Não vamos nos enganar. Permanecendo o Kimi em primeiro e Vettel em segundo após a largada, na sequência da corrida, possivelmente no pit stop, a equipe inverteria as posições. Ficando Hamilton em segundo Kimi faria algo semelhante ao que o Bottas fez. Mas o erro de Vettel que comprometeu a corrida da Ferrari.

  8. Rogerv disse:

    Muito bem escrito! Porém para minha decepção, Vettel tem errado muito e se utilizando se subterfúgios de terceiros…. parece que desandou a maionese…. se não virar homenzinho …. o LH passará por cima! E ainda, o Leclerc vai chegar com vontade…. tempos contados de primadonna….

  9. joao calango disse:

    Eu não acho que a declaração do Vettel seja de um moleque birrento, mas concordo que uma declaração desastrosa e desesperada, por entender que tem toda atenção da Ferrari, mas que não precisa, pelo talento que se espera dele.

    Raikkonen fez o que tinha que fazer, não luta por vitórias, mas luta pela Ferrari, afinal não se sabe se continuará na equipe.

    Até nisso o Vettel copiou do Schumacher, querer ferrar com o segundo piloto, só falta ele tá envolvido com uma possível ida do Leclerc para a Ferrari.

  10. Mauro disse:

    Parabéns Victor pela análise. Todos os pilotos campeões tiveram altos e baixos. Se não fosse isso, ganhariam todas as corridas e fariam todas as poles. O que Vettel tem que fazer é se concentrar ao máximo, falar menos e responder na pista. Se conseguir reverter a situação e demonstrar que foi contra tudo e contra todos ficará na história. O problema é que nesse atual momento não dá para vêr isso nele.

  11. Charles Câmara disse:

    Sei não Victor, se a versão Nutela do Vettel já não foi páreo para o Hamilton, uma versão “verstapiana” do Vettel (atabalhoada, agressiva em excesso, perigosa e suicida) vai conseguir menos ainda.

  12. Alfredo disse:

    O kimi briga pelo quê mesmo? Troféu consolação? Está 60 pontos atrás de Vettel. Se está entre difícil e impossível pro Vettel descontar 30 pontos do Hamilton, imagina um piloto mediano como Kimi descontar quase 100.
    O que Vettel tem que fazer é realmente isso. Saber que vai ser ele contra os 3, 4 se contarmos com os estrategistas da Ferrari.
    Mas que ninguém se engane. O próprio Helmut Marko, que poderia estar mordido com Vettel, já declarou que o motivo de a Ferrari ter voltado a ser combativa é Vettel e ele deve saber do que está falando.
    Interessante é que no começo do campeonato. Quando a briga deveria ser livre. A Ferrari fez as estratégias mais estapafúrdias possíveis com o Finlandês, que diga se de passagem sempre corre como quem está doido pra que a corrida acabe pra ele poder ir chupar picolé. Agora que precisam de pontos desesperadamente, a equipe se cala e deixa o pau fechar na pista.
    Tomara Victor que Vettel entre mais serio e mais concentrado e sem aquela aparente tranquilidade de “temos o melhor pacote”. Porque pacote é o time inteiro, ou então é embrulho.

  13. GARRET disse:

    Então a Ferrari é melhor que Mercedes tá bom………………Esse toque do Hamilton na largada foi muito bem calculado, estava com o meio do carro na roda do Vettel. Tem que ser bem ingÊnuo para achar que foi toque normal de corrida. Mas tá valendo. O que gostei é que finalmente revelou-se Raikonen, e seja justo, nunca realmente correu para o Vettel. FAz tempo que a Ferrari não faz jogo de equipe, ao contrário da Mercedes. O que acontece nesse papo de “FErrari melhor”, é que se HAmilton não tem o melhor carro com folga, tem dificuldades em vencer. MAs a Mercedes ainda está na frente. Quem tem folga corre com calam, quem tem folga não se arrisca, quem tem folga espera o momento certo, é o que tem feito Hamilton.

  14. Plinio disse:

    Kimi voltou pra Ferrari e tomou uma sova atrás da outra. Primeiro do Alonso (era uma diferença monstro) e depois do Vettel (menor a diferença). Ele é inferior aos dois mesmo mas, de repente, ele resolve fechar o Vettel na largada. Fazia tempo que ele não fazia isso. Seria o efeito Leclerc? Ordens de equipe acontecem o tempo todo e piloto de equipe grande tem que se virar nos trinta pra não entrar no modo escudeiro. Mas é interessante quando alguém resolve dar uma sacudida no status quo, meio que ligar o foda-se. Infelizmente, Kimi deve votar logo para o modo whatever.

  15. Amaral disse:

    Vettel já tá enchendo o saco com esse mimimi.
    Ganha um caminhão de dinheiro, tem um canhão nas mãos, provavelmente o melhor carro do momento, é o primeiro piloto com as bênçãos da equipe, quer mais o quê? Que sequestrem o Hamilton e coloquem um motor de GP2 no carro do Raikkonen? Aí tá arriscado a pegar o Bottas num lampejo de genialidade e perder pra ele. Aí vai botar a culpa em quem? Nos deuses da velocidade, na FIA, no governo?
    Que não ganhe o título. Mas que não ganhe depois de uma briga em que ele fez o melhor dele. Não desse jeito, em que comete erros, e, pior que cometer erros, comete erros evitáveis e se coloca de vítima por eles, em vez de assumir, ver onde pode melhorar, e seguir em frente. Nem os alemães mais “vettelianos” devem estar satisfeitos com isso.

  16. Paulo Lopes disse:

    A análise do momento é essa. Mas eles já viveram vários momentos de altos e baixos na temporada e pode voltar a acontecer. Vettel ainda é o favorito, porque simplesmente a Ferrari anda muito em todos os tipos de pista…é o conjunto chassi-unidade motriz perfeito. Ele tem chances de brigar pela vitória em todas as 7 corridas daqui pra frente. Hamilton deverá ter chances no Japão e Austin…talvez no Brasil. Vai depender muito do prejuízo minimizado em Singapura (o que se espera lá é um P5 na corrida). O resto, vai ter que contar com os imprevistos e alterações de humor do alemão.

  17. Mefistófeles disse:

    Hamilton sempre teve carro de ponta, todos com motor Mercedes-Benz, não precisou correr de Minardi como Alonso e como Vettel, treinando de BMW no TL1 substituindo o Ralf Schumacher em Indianápolis e vencendo de Toro Rosso debaixo de chuva em Monza com todos os carros de ponta na pista, superando a Red-Bull e fazendo o segundo time vencer pela primeira vez antes do primeiro. Vettel não frequenta as redes sociais, não é dublê de piloto e pop star e como Schumacher fez está levantando a Ferrari, com certeza é uma pessoa muito mais significativa do que Hamilton, que depois de Alonso em 1997 só teve de enfrentar e perder em 2016 para Rosberg, no mais sempre tem segundo piloto trabalhando pára ele vencer. Seus títulos valem menos que o bi de Alonso!

    • Victor (não o Martins) disse:

      Alonso teve o melhor carro nos dois campeonatos que ganhou. Quer prova melhor que o espanhol só ganha com o melhor carro do que a seca de titulos e ter peidado na farofa ao correr pra Indy? Alonso é limitado, aceita, fã boy.

    • Yuri disse:

      Ganhou embaixo de chuva porque os carros de “ponta” largaram do fim do grid, e a Toro Rosso era superior a Red Bull naquele ano.

      E sobre o Alonso, falar o que de um cara que manda o companheiro de equipe romper o lacre do câmbio do carro do Massa, pro fodão largar na parte limpa da pista…Um cara que perdeu um título pro Petrov…

    • Fabio Lopes disse:

      Acredito que esteja sendo sarcástico, correto?
      Meu querido, Hamilton desembarcou na F1 de McLaren por que um tal de Ron Dennis viu um talento incrível num jovenzinho inglês negro e teve a coragem de botar ele como companheiro de equipe do tal bi campeão Fernando Alonso no ano de estréia. O que ele fez? Terminou na frente do Alonso (que é um dos maiores da historia). O que ele fez no ano seguinte? Foi campeão mundial. Você quer que um cara que entrou na McLaren e um ano depois foi campeão iria mais correr de quê? Force Índia? Quantos pilotos você conhece que foram campeões no segundo ano de F1 e quase no de estreia? O carro da Ferrari em 2008 era inclusive superior a McLaren indiscutivelmente.
      O que você disse mesmo? Ele não teve fortes companheiros de equipe? Alonso, Button, Rosberg todos campeões mundiais correndo sem ordens de equipe contra ele.
      Sobre Vettel de STR na chuva: parabéns, foi uma excelente corrida STR tinha um carro muito bom naquele ano. Mas só pra te lembrar, Maldonado também ganhou de Williams na chuva na ESPANHA com vi campeão Alonso de Ferrari bem na cola dele. Pense nisso.
      Sobre levar uma equipe nas costas: Schumacher tinha uma estrutura incrível junto dele com uns carinhas Ross Brown, Todt, Rory Byrne e Aldo Costa fazendo sim um mega levante em Maranello. Schumacher por usa vez entregava os resultados coisa que Vettel não tem feito.

      Falamos sobre corridas, mas sobre o papo que você disse aí de redes sociais, dublê, e pop star, nem eu nem você tem nada a ver com a vida pessoal dele. Acho na verdade inteligente da parte dele vender uma imagem, já que ele deve ganhar muito dinheiro com isso.

  18. Kleber Acquesta disse:

    Por isso prefiro o Verstappen, mesmo com os mimimis coloca a faca entre os dentes e vai pra cima. ue nem fez na Itália: poderia deixar o Chinellos, digo Bottas, passar, mas não deixou pra mostrar que ele quem deveria subir ao pódio. Essa F-1 é que é para crianças, o cara tem DSR e não passa e o da frente quando se defende ainda é punido. Engraçado que o Bottas fez maior lambanças uns GPs atrás com o Riccardo e não sofreu punição nenhuma.

    • Renato F1 disse:

      Sofreu sim. Teve 20 segundos adicionado ao tempo de corrida do Bottas pela defesa impetuosa contra o Riccardo (o acréscimo foi mais que merecido). Só que, depois do Bottas, quinto colocado estava uns dez minutos à frente do sexto colocado. Mesmo com o tempo adicionado, a posição não foi alterada.

  19. Junior xavier disse:

    Perfeita análise Victor, parabéns.
    Sou fã do Vettel mas não há como negar o desastre que ele está sendo esse ano.
    Perder um campeonato com o melhor carro é o fim da picada mesmo.
    E ele não vai reverter’pois do outro lado não está Mark Webber e sim Hamilton , que apesar de eu detestar seu jogo midiático, é um puta piloto.

  20. Nilson disse:

    Pode dizer o que for, mas se fosse o Alonso com essa Ferrari já tinha matado o campeonato.
    O Hamilton é muio muito melhor que Vetel.

  21. Fernando disse:

    Silverstone. Foi lá que Hamilton perdeu a corrida, e foi por causa do que aconteceu lá que vai ganhar o campeonato. Não se faz o que a Ferrari e seus pilotos fizeram em Silverstone. Também tem os torcedores italianos em Monza… e os espanhois também já fizeram, enfim, sabemos o que é mas ninguém fala… Vettel? Vettel é assim mesmo, um ótimo piloto quando é dono da bola, do campo, do juíz e da arquibancada. Já repararam que a carreira dos dois acabou por se inverter? Vettel era maduro, seguro e consistente quando jovem. Hamilton era um desastre, imaturo, trapalhão, irresponsável total. Pois esta tudo ao contrário…

    • Paulo disse:

      Exatamente isto, que bom que não sou único à perceber essas coisas e acontecimentos, Silverstone foi no mínimo deselegante, extremo contrário do Lorde que foi Hamilton em Monza (e sofrendo vaias desmerecidas, mesmo elogiando a disputa com a equipe rival e dando um show de pilotagem). Mas sempre foi possível ver indícios dessa falha de caráter de Vettel (alguns consideram personalidade, enfim), ao Hamilton, que na época não gostava dele, mas já via o talento iminente dele, era apenas imaturidade de juventude, hoje o cara esta mais maduro em vários aspectos, sem perder parte de sua personalidade.

  22. Wesley Andrade disse:

    Agora as coisas ficam mais interessantes.

  23. Zé Maria disse:

    O rádio de sábado após ser P2 já é revelador.
    Agora ele vai se vitimizar, “estou correndo contra 3”.
    Acho até que ele está é correndo contra 4, sendo o 4º ele mesmo, é impressionante como ele se auto-sabota seguidamente.
    Em resumo, muito mimimi, tudo colaborando para confirmar que o tetra é consequência apenas de um carro muito superior.
    Hamilton agradece, e olhe que não sou tão admirador dele assim, mas não posso deixar de reconhecer a realidade atual.

  24. Markonikov disse:

    Perfeita análise, ele acusou o golpe.

Deixe uma resposta para Kleber Acquesta Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>