Sem a velhinha de Taubaté

S

SÃO PAULO | O site VNews informou que a prefeitura de Taubaté quebrou hoje o contrato de concessão da área da Fazenda Guassahy para a CBA, que estava reservada para a construção de um autódromo. O motivo: a CBA não apresentou projeto algum. E a prefeitura não ia gastar R$ 8 milhões à toa.

Eram 500 mil². Que terão qualquer finalidade, menos automobilística.

É bem verdade que o acordo foi assinado com o velho comando da entidade, que nada fez para cuidar da área. E a nova deu sequência à inoperância. Esta é a grande CBA, do seu grande presidente, que pretendia grandes mudanças e um grande apoio ao esporte. Mas suas grandes funções, em pouco mais de um ano de “cargo”, são tentar provar que tem um cargo no Conselho Mundial da FIA e fugir da reportagem do Grande Prêmio.

Sobre o Autor

4 Comentários

  • Há anos venho sugerindo pautas investigativas sobre os bastidores do automobilismo. Uns poucos ganhando muito, as custas de um bando de pilotos e aficionados.O automobilismo domestico só sobrevive as custa de uns poucos que gastam suas economias, porque quem vai patrocinar um evento fantasma?A fasp, com minusculas, como entidade, não tem nenhum depto de marketing eficiente para promover as provas e conseguir uma premiação que compense o esforço das equipes.O autodromo é um grande cemiterio de publico, não só nas corridas regionais.Como fala aquele locutor do gari, É UMA VERGONHA.

  • Como eu já falei no blog do FG. É preciso mais paixão e mais comprometimento com o automobilismo e menos estrelismo e politicagem, vamos “copiar” nuestros hermanos eles tem a receita certa a prova tá na qtidade de categorias que eles tem federadas; passam de duzentas!!!!!

  • Ô Victor, aproveita que vocês tem “voz” pra esculachar esses caras. A gente que gosta de automobilismo, fica aqui recebendo essas notícias, putos da vida sem poder fazer nada.
    O automobilismo acabou, a única corrida que dá gosto ir é a Classic, pq vc consegue entrar nos boxes, ficar perto da pista, claro que respeitando os limites seguros. O resto é inacessível, F1 vc ve o carro passando com 16 alambrados na frente, nem foto dá pra tirar. Na Stock, o único lugar digno pra assistir é a arquibancada da reta dos boxes, que não dá pra ver nada da corrida, só pseudo-carros passando. É preciso mais campeonatos regionais, com menos oba-oba a mais gasolina e borracha.

  • Já era de se esperar , sai um entra outro e tudo fica como antes , ai vem a Globo toma conta da Stock Car e o automobilismo se resume a Globo com a Stock car e R$ 1.500.000,00 por carro e a Montana Cup por R$ 800.000 por carro , a TRUCK é a mais bem montada e a melhor estrutura comercial , mas pergunto e os Campeonatos Regionais ? e a Federação Paulista com seus mais de R$ 800,00 de inscrição ? ai dizem que tudo vai mudar …. Tô com a Candidatura de VICTAL para Federação Paulista e do Flavio Gomes para a CBA !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Por

O dono da bola


É jornalista, palmeirense, dinamarquês por opção e sempre pensou que ia ter de cobrir futebol antes de chegar ao automobilismo, que acompanha desde os 7 anos. E desde que se formou, está na Agência Warm Up e no Grande Prêmio, isso há mais de 13 anos. Neste tempo, foi colunista do iG, escreveu para 'Folha de S.Paulo', 'Lance!' , 'Quatro Rodas' e 'Revista Audi', foi repórter da edição brasileira da 'F1 Racing', cobriu F1, Stock Car, DTM, a Indy e quatro edições das 500 Milhas de Indianápolis, e outras categorias ‘in loco’. Agora também é comentarista dos canais ESPN. Conheceu cidades como Magdeburgo, São Luís, São Bento do Sul e Nova Santa Rita, traduziu um livro da Ferrari e já plantou um monte de árvores. Tem quem fale que seria um grande ator, mas ter ganhado o Troféu ACEESP 2011 como 'Melhor repórter' da imprensa escrita mostrou a escolha menos errada. Adora comida japonesa, música eletrônica e odeia ovo, ervilha e esperar. “Necessariamente nessa ordem", diz.
ASSINE O RSS

Arquivos

Categorias

Tags

Twitter

Publicidade

Facebook

Publicidade