MENU

7 de novembro de 2010 - 17:27F1

Brasilerinhas, 19

INTERLAGOS | A primeira curva da corrida em Interlagos definiu a favor de Sebastian Vettel a vitória no atipicamente chocho GP do Brasil. O único trabalho que teve o alemão nas 71 voltas foi o de passar o compatriota e zebra Nico Hülkenberg o mais rápido que pudesse para não ter um eventual enfrentamento com Mark Webber. Como conseguiu a meta na primeira curva, o negócio, então, foi manter uma distância sempre cômoda para o colega de Red Bull que o conduzisse ao quarto triunfo na temporada e, por conseqüência, garantisse sua passagem para a decisão do campeonato, em Abu Dhabi.

Pois o ‘fator Hulk’ não durou mais do que 10 segundos. Largando mal, nem conseguiu espremer Vettel no muro interno e permitiu a ultrapassagem já no S do Senna. Lá entre o fim da reta oposta e a Descida do Lago, foi a vez de Webber superar o alemão. Mais atrás, Alonso pressionou Hamilton, e logo na volta 2 o espanhol ganhava o quarto posto num pequeno erro de Hamilton, também no Lago.

Hülk atrapalhou Alonso até a volta 6. Notoriamente com o carro mais rápido, o líder do campeonato encostava na reta principal e não executava a manobra de superação porque o alemão optava pela trajetória interna. Só na Descida do Lago — sempre ela —, com melhor tangência e tração na curva é que Alonso pulou para terceiro, mas já relativamente longe das Red Bull.

O pole passou a segurar uma fila que tinha Hamilton, Kubica, Barrichello, Massa, Schumacher e Button. Algo que durou até a volta 14, quando Hülkenberg foi aos pits. Neste ínterim, Massa havia já parado duas vezes — a segunda por um problema de fixação da roda dianteira direita. Barrichello também não saiu ileso dos pits: a Williams se atrapalhou.

Dos ponteiros, Hamilton foi quem foi aos boxes antes, na volta 20. Com pneus novos e sem tráfego, começou a andar quase 1s mais rápido que os três rivais da frente. A Ferrari só chamou Alonso na 24. A Red Bull optou por trazer Vettel antes de Webber, giros 25 e 26, respectivamente. Como estava, ficou, com Vettel mantendo uma frente de aproximadamente 3s para o companheiro e neo-desafeto.

No pelotão secundário, as paradas ajudaram Button a escalar o pelotão. 11º no grid, o lorde chegou ao quinto lugar na volta 30, quando se livrou de Kobayashi — que ainda não havia parado; aliás, só o fez na 49. No outro extremo, Massa e Barrichello buscavam uma recuperação impossível. Enquanto Felipe sofria atrás de Vitantonio Liuzzi e Sébastien Buemi, Rubens revia os problemas ao ter um leve toque ao tentar superar Jaime Alguersuari. A 13ª posição virou 18ª, com nova parada nos boxes para troca do bico avariado e do pneu furado.

A prova passou a focar a batalha de Webber à caça de Vettel. Até que Mark chegou a 1s5. Só que veio uma fila de retardatários, de nível — Massa, Heidfeld, Kubica e, vejam, o pole Hülkenberg — para minar sua tarefa. Quem atrapalhou mais foi Buemi, e a diferença voltava a 2s5. De repente, Liuzzi — em sua provável penúltima prova na F1 — encheu a barreira de pneus da Curva do Sol e provocou a entrada do safety-car na 52ª passagem.

O que parecia ajudar Webber acabou sendo pior. Porque naquele instante, Kubica e Hülkenberg estavam entre seu alvo. Assim, quando foi dada a relargada, o alemão encaixou a então melhor volta da prova, 1min14s909. Combalido, o australiano teve de se livrar do tráfego e ver os números voltarem àqueles 3s de praxe. Estava dado o nocaute. 3s3 na volta seguinte. Depois 3s6. Depois 4s4. Depois 5s. E ficou nisso, com certa margem de erro.

A prova ainda veria um ou outro momento de êxtase, tipo o toque de Massa com Buemi no fim da reta oposta, outro toque, desta vez com Petrov no S do Senna, e a disputa entre Hamilton e Alonso para ver quem seria o autor da melhor volta — o inglês da McLaren ganhou.

Sem a Red Bull se resolver se apoia V ou W, Alonso manteve importante vantagem na tabela de classificação, com oito pontos de vantagem para Webber — 246 a 238. Isto é, um segundo lugar dá o título ao espanhol. Vettel foi a 231. E Hamilton chegou a 222. Os quatro na disputa. Abu Dhabi queria. E vai ver a decisão do Mundial 2010.

3 comentários

  1. Frank Mueller disse:

    Em todas as provas disputadas em Interlagos o POLE larga evidentemente, na P2, pois a 1a curva é por dentro
    Na F1, puseram, o Hulk na P1, ou seja por fora.
    Até ele largar, e puxar para o lado…………..já era……….o Vettel e qq outro passa……………Até os turismos N em SP quando fazem a Pole largam na P2, o que convenhamos é ÓBVIO, pois a 1a curva é para a esquerda………………
    F 1 é maravilhosa.

  2. Bolífris disse:

    Dá Alesi, sem dúvida alguma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>