MENU

4 de abril de 2011 - 11:40Stock Car

A hora da mudança

SÃO PAULO | Vou começar as atividades de hoje com o desabafo, na íntegra, de Cássio Homem de Mello, que neste ano não corre a Copa Montana, mas que tem experiência longa nestes carros de turismo e a mesma faixa de idade de Rafael Sperafico e Gustavo Sondermann:

“Vamos aos fatos: carro nenhum segura uma porrada em T como essa. Nem o DTM que, diferente de criar taxas e regras para enfiarem mais dinheiro no bolso e não reverterem nada para segurança, por exemplo, principal item de necessidade do automobilismo. Quando digo organizadores, excluo TOTALMENTE o Gue e o Gerson, da Pick Up, pois são pessoas incríveis, que SEMPRE nos ouvem e tentam nos ajudar de verdade. Tô falando do resto que não vale nada.

Pela primeira vez na vida, senti medo de voltar a correr, não sei por quê. Será que vale a pena fazer meus pais correrem o risco de ficar como eu vi a família dos dois amigos que perdi?? Sei lá…só sei que “alguém” me tirou dessa corrida, por algum motivo. Por mais que eu tenha pensado MUITO nisso, ainda não cheguei à conclusão nenhuma. Só sei que pela primeira vez deu medo. O que não sai da minha cabeça é o mesmo silêncio ensurdecedor que presenciei, depois de três anos, em Interlagos. Isso eu nunca mais vou esquecer e espero nunca mais presenciar.

Já que a CBA não faz nada, peço que os pilotos ajudem. Boa parte do grid da Montana não tem condições de guiar um carro com 350 cv. Se você quer correr, tem a grana, não sente num carro desses com menos de 3 anos de experiência, pense melhor. Alguns nunca terão na vida a capacidade de andar num carro desses, mesmo tendo o patrocínio e o budget necessário, mas a consciência disso é difícil ter. Ganhe uns anos correndo em carros mais fracos pra depois subir pra categoria de carros potentes, por favor. Afinal, se depender da CBA, você tira carta hoje (em poucas horas) e amanhã já larga com 30 carros com mais de 300 cv cada. Pelos menos 25% da categoria Montana, não tem ainda experiência pra tocar um carro daqueles, isso é um fato.

E entendam que NINGUÉM é culpado pelo acidente. A porradaria come solta o tempo inteiro, foi um toque normal.

O relato de Cássio, piloto inteligente e consciente, é impecável. Já tem algum tempo que ele vem reclamando abertamente do que vem acontecendo neste automobilismo de cultura financeira. Cássio pode ter tal atitude por não estar por ora no meio. Os pilotos que estão sob o guarda-chuva da Vicar são proibidos de abrir a boca, em regulamento — não é novidade para ninguém que há uma lei da mordaça. Sofrerão retaliações se opinarem negativamente contra a categoria e a bandalheira que acontece. Todos os pilotos e dirigentes com quem eu e Evelyn Guimarães conversamos ao longo do fim de semana em Interlagos e em outros autódromos metem a boca na organização, mas sempre temerosos para que não tenham seus nomes divulgados. Esta gente que comanda — é impossível, repito, dissociar a CBA da Stock Car — se vinga com punições em pista e outras tantas fora dela.

A isso, agrego uma informação: os pilotos são também impedidos de reclamar e pontuar problemas nas reuniões que fazem nas corridas. Um piloto da Montana comentou comigo há pouco: “Eu estava pra falar para termos cuidado com o ‘push’ (-to-pass) em Interlagos, mas cadê o espaço?”.

Vai um relato pessoal: na última sexta, por volta de 18h, estava nos pits de Interlagos e logo vi os pilotos da categoria reunidos na sala de briefing. Perto da porta, estavam Pedro Boesel, Galid Osman e Douglas Soares, os três que, por coincidência, participam do bolão que organizo, o BRV. Falamos a respeito, tiramos sarro, e logo se aproximaram Thiago Riberi e Sondermann. Ainda falamos sobre previsões para a corrida, até que chegaram os comissários da mesma, e três deles — Sondermann, não — disseram para que eu assistisse ao encontro. “Aí você tem ideia de como é”. Declinei do convite. Não declinarei mais, quando puder. E hoje sei, por outros tantos, que “não se pode falar de assuntos que não estejam pertinentes à folha, ou seja, abre box em tal horário, safety-car, etc. Só”.

E quando a CBA, como declarou Felipe Maluhy, julga que não é necessário fazer algo na Curva do Café porque acha “chato”, a gente conclui que esta entidade está morta e ainda não enterrada porque não deram entrada na papelada para fechar a conta bancária na qual mamam — a CBAmerindus. Aliás, já são 22 horas depois do acidente e seu presidente mal se manifestou. Evidente que virá (se vier) com a verborragia da lamentação e de um provável luto oficial, mas o que ele vai fazer de prático realmente para que casos como os vistos ontem acabem? Conseguirá Cleyton Pinteiro fazer alguma coisa relevante e ativa depois de dois anos de mandato?, é o que pergunto em caráter oficial.

A morte de Rafael Sperafico não serviu de exemplo para as otoridades responsáveis. A de Sondermann, obrigatoriamente, tem de ter uma valia suprema. A começar para tirar esta casca de medo e repressão de todos os 55 pilotos que participam dos campeonatos da Stock Car e da Copa Montana. “Cadê a união e a coragem?”, é o que me perguntou um deles. Pois que alguém tenha uma iniciativa, marque uma reunião e todos juntos as busquem e cobrem, principalmente, da CBA o tanto quanto as carteirinhas que a entidade tunga deles.

Está mais do que claro que os pilotos são feitos de marionetes ricas, que pagam o pato e preços bem altos para sustentar a farra. A partir de agora, que passem a se valorizar porque são eles que promovem aquele espetáculo, pseudo ou não, e que honrem suas bolas, machos que são a quase 250 km/h, e que, se acharem o caso, não corram enquanto tudo não estiver de acordo. Para que eles mesmos, como Cássio, não tenham medo de voltar à pista. Para que domingos em Interlagos ou em qualquer autódromo, enfim, nunca mais se transformem em outro replay de ontem.

Siga-me no Twitter.

34 comentários

  1. Francieli Campos disse:

    Concordo com tudo.
    Por que os pilotos que criaram a tal comissão não entram na justiça para que a CBA seja obrigada a efetuar todas as medidas de segurança necessárias?
    Ora, pq os pilotos tb não cumprem as regras… É só olhar a validade dos capacetes, dos macacões.. Alguns pilotos andam com camiseta de time de futebol embaixo do macacão.. Não usam meias, camisetas anti-chamas. Nos campeonatos regionais, então nem se fala. Se estão tão revoltados assim, pq nao entram com uma medida judicial? Falar na frente das câmeras é fácil, agir de verdade é bem mais difícil.

  2. Clenio Azevedo disse:

    Boa noite Vitor.
    Já fiz esta pergunta e não obtive resposta de nenhum dos colegas. Como ou quem coloca o presidente da CBA? Pô cara, só leio falando merda destes caras que dirigem o automobilismo brasileiro. No momento os mesmos querem matar a curva do Café! Objetivo? Tirar o foco da responsabilidade dos Pinteiros da vida! Pilotos: façam uma associação séria e peitem estes energumenos. Só a ultima coisa: não mexam na curva do Café! P.Q.P.! Acelerem!

  3. Franco disse:

    Já passou da hora das equipes e, principalmente, pilotos pegarem o automobilismo de volta. Eles são os que efetivamente fazem o espetáculo. Também os pilotos da F1 deveriam dar o grito, pois tem prestígio para querer mudar as coisas. Não adianta nada ficarem enchendo o burro de dinheiro e morando em Mônaco para não pagar impostos. Tem que agir. Quem é do meio e não se rebela com o que acontece hoje é cúmplice de tudo.

    Aliás, Felipe Massa é pilto da Ferrari e empresariado por Nicolas Todt, filho do presidente da FIA. Poderia agir de forma mais incisiva para que a FIA – pelo Jean Todt – saiba realmente o que vem acontecendo no Brasil. Apenas criar categorias e coloca-las nesse bagunçado automobilismo brasileiro é o mesmo que semear no deserto.

  4. NelsonX disse:

    É mais fácil colocar a “culpa exclusiva” na Curva do Café! Mas seria bom pensar : a pista encharcada e sem visibilidade oferecia condições para a realizaçao da corrida? Os carros das Stocks são mininamente seguros ou não dão visibilidade e se desmancham como se fossem feitos de papel? Os pilotos tem habilidade para guiarem os carros que se propõem a pilotaeou estão no cockpit porque seus patrocinadores compram o lugar? E quanto aos mecânicos e chefes de equipe, sabem mesmo como um pneu deve ser montado?

    Lembremos que dos três pilotos mortos na Curva do Café dois eram da stock ligth/montana e outro motociclista amador pilotando em “track day” e que Interlagos é vistoriado ano após ano pela FIA para acolher uma corrida da categoria máxima do automobilismo.

    Que se construa uma área de escape no Café, melhorará em muito a segurança de todos! Mas o restante também tem de ser “reconstruído”. A começar pelo ufanismo que eleva a Stock ao segundo lugar entre as categorais turismo no mundo. Menos, muito menos. Ou quem sabe a DTM e a turismo australiana , por exemplo, são categorais de outro mundo?

  5. João Vasconcelos disse:

    Infelizmente o nosso automobilismo e também em diversos países é única e exclusivamente política. Ontem assisti o documentário Senna, e ele falou exatamente isso “que o automobilismo competição acabou exatamente depois que deixou o kart” e isso ainda no final dos anos 70 (78/ 79) depois foi só política, basta ver seus entreveros com o Jean Marie Balestre.
    Os pilotos não se unem porque cada um tem um interesse diferente, ou tem medo de desagradar seus patrocinadores e ficar à pé. Nós jornalistas acabamos presos por não poder dizer abertamente oque pensamos, ou se dizemos somos tachados de reacionários, covardes, tendenciosos. Não adianta dizer que jornalista não fala porque não quer, porque já houveram casos de truculência com camera arrancada da mão de jornalista, somente porque ele estava registrando uma discussão entre pais de pilotos que descambava para violência física.
    No final nada se fez contra os truculentos “agentes da lei”.
    Os “pseudos” organizadores só dizem que tudo que está ao alcance foi feito, que os carros estão de acordo com o regulamento etc… e depois somam as poupudas arrecadações de pilotos e equipes.
    Lamentavelmente acabei de perder mais um amigo.
    Estou cansado de perder ídolos e amigos, é muito doloroso. Faz realmente pensar se vale a pena tudo isso. Me sinto como um gladiador dentro do coliseu, mas desarmado e com leões famintos já comemorando a próxima vítima.

  6. Valente disse:

    Filho de peixe, peixinho é.
    Impressionante a maturidade do depoimento do Cassio, que eu vi crescer, filho do grande Edú Homem de Mello.

    Eu também presenciei o mesmo “silencio ensurdecedor” em 1999 em Fontana, na Califórnia, na etapa final da Formula Indy quando o Greg Moore faleceu após um acidente durante a corrida.
    Eu também nunca mais vou esquecer aqueles momentos.

    Sobre o pneu que está montado invertido, não acredito que tenha sido um fato gerador, pois se fosse tão crítico o carro já teria saído de traseira na descida do lago, curva de média velocidade também para a esquerda.

  7. Diego VB Teixeira disse:

    Sabem pq ñ há essa dita “União” de Pilotos? Pq cada um apenas olha o seu umbigo é isso!Sabem que se chamuscarem a imagem da “Sua” categoria, automaticamente irá também queimar a sua mesmo, infelizmente essa é uma verdade, infelizmente…

  8. André disse:

    Discordo um pouco quanto a eximir a culpa de quem faz os carros. É óbvio que há carros neste mundo que sim senhor, aguentam a pancada lateral. NASCAR está aí para provar. Alguns pilotos, mesmo que não estejam sob a lei da mordaça na Stock Car, ainda usam seus discursos para tentar tirar a culpa de seus amigos, chegados, etc. Chega disso né? Tá na hora de mudar a estrutura do carro e ponto final.
    André / Piloto no http://www.f1bc.com

  9. Alexandre Lopes disse:

    Matéria ótima!! Perfeito!! Só não concordo no ponto de que carros de outras categorias não aguentariam um impacto daqueles!! Duvido que um DTM não aguentaria naquela velocidade que estavavm e sem falar na Nascar, lá eles batem no muro a toda hora, capotam e os pilotos ainda saem do carro de boné e andando normalmente! Que os carros d Stock não são seguros, já é fato!! E a Vícar ainda se pronuncia dizendo que segue padrões internacionais!! Brincadeira isso!!!

  10. Daniela Karasawa (@PrincessF1) disse:

    Excelente texto, Victor. No entanto, a postura dos pilotos brasileiros e da CBA é apenas uma repetição da própria sociedade brasileira. A CBA se comporta como Brasília e os pilotos endinheirados de plantão se comportam como meros brasileiros médios e medríocres.

  11. marcelo chamma disse:

    Sou um veterano do automobilismo e corro na Classic com um motor pequeno, 180 CV em um carro de plastico, um Puma
    Passo no Café com o pé embaixo e o fazendo o sinal da cruz
    porque?

    Porque como disse o Cassio, lá, se escapar e levar em T, é sem chance
    Um carro de 800 kg e a 160 a 180 km/hora tem uma quantidade de energia que ao ser transferida no impacto ao carro atravessado, destroi os orgão internos do piloto acidentado.
    mesmo com Hans, o tranco lateral pode (acho que foi o que ocorreu com Gustavo) quebrar a cervical.
    Mas tem solução, uma variante é possivel, para ser usada em carros de baixa pressão aerodinamica, para carros que fazem a rotina do autodromo

    Uma variante simples, que mude todo ataque , desde a junção até a reta.
    Uma simples variante e acabamos com o Café.
    Deixamos como está para a F1

  12. junio messias disse:

    Com nível técnico equivalente às principais categorias do mundo, a disputa hoje supera até mesmo a Nascar norte-americana, com um carro moderno e adequado às necessidades internacionais especialmente no que diz respeito à segurança”, informa.

    hahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahaha que essas barcassas tem mais segurança q os carros da nascar la os pilotos ficam praticamente imoveis aq pelo q vejo nas images nao

  13. Fernando Monteiro disse:

    Olá a todos.

    Bom pessoal, infelizmente para quem pratica esse esporte corre esses riscos. Acho que o deve ser dito é que poucos carros de corridas suportam esse tipo de batida em T. O que me espanta é que esses carros possuem mais de 300 Hp e ainda ultilizam chassis de tubos em trelissa, coisa que foi abandonada há mais de 40 anos. Mesmo que coloquem um S na curva do café, ainda assim seria uma solução relativa. imaginem na segunda volta em plena reta dos boxes acontece uma escapada de uns dos ponteiros, ele vai parar lá no muro e vai ricochetear e poderá acontecer a mesma coisa. No antigo traçado que era muito mais velos, não tinhamos esses problemas pelo simples fato de ter areas de escape. Eu me lembro bem de quando Gilles Villeneuve cortava a reta de Interlagos e caía naquele curvão ( não tinha o s do senna) em alta velocidade para pegar a reta oposta, ali tinha uma area de escape imensa. Acho que a solução na curva do café seria uma grande area de escape, acho que deveriam acabar com esse negocio de bolha, que acho ridículo. Mas infelizmente tudo é movido a dinheiro. O Sr. Alexandre Perin disse tudo, CBF, CBA, CBB, CBJ, etc… é tudo igual, tem o mesmo objetivo, lucro, é um descaso muito grande. Infelizmente essa é cultura do nosso país, maracutaia, interesses duvidosos, licitações fajutas, corrupção, tudo, tudo.
    Abraço a todos.

  14. marcão disse:

    Olha tá na hora de se falar a verdade, nua e crua!!!!
    Chega, chega MESMO DE NHENHENHE… Algum imbecil esta querendo dizer que a culpa é do pneu? do piloto? ou da equipe? Da chuva? O que mais? Daqui a pouco vai sobrar até pro Sérgio diretor de provas…..

    Puta merda que coisa, tão querendo de novo tapar o sol com a peneira? Aquilo tá matando gente…. Então temos que rever o que está feito, tem um erro ali, vamos corrigir!
    É assim que se faz a coisa certa, com atitude, com coragem, mesmo que se tenha que dar a cara a tapa.. Mas resolvendo os problemas as coisas tendem a voltar ao normal. É assim a vida, tem que ter coragem e encarar as situações…
    Hoje li em algum lugar que o Sr. Cleiton Pinteiro se manifestou e propos algum tipo de solução mesmo que paliativa já para a GT Brasil.. Não sei ~ainda qual foi a solução apresentada por ele, mas pelo menos depois de dois anos ele se manifestou… É assim que tem que ser.. Também ele deu o nome do responsável por aquele muro idiota. A FIA.. Hora se a FIA manda mais no autodromo do que qualquer um ela é quem deveria cuidar da manutenção do dia a dia do templo.. Tem coisa errada ai. Mas pelo menos agora sabemos de alguma coisa a respeito desse muro do cacete
    Minha sugestão para a GT Brasil e a CBA é que esse muro seja retirado de lá ainda hoje, é extremamente fácil a sua retirada, nada prende ele só tiras de lona…. Voltem com os pneus e a manta, que ela sim proteje melhor os carros de turismo.. Colocar as barreiras de pneus também é facil, os pneus estão ainda lá.. Ou estavam até o administrador atual do autodromo dispençar o Zézinho sua equipe e o máquinário todo para a manutenção periódica do templo….. Vai saber…. o que foi feito daquele monte de material que era do templo…Só o Sr. Admnispone pode responder….
    Mas é facil resolver o que está errado.. “”””””É SÓ QUERER QUE RESOLVE””””””

  15. Fernando Passos disse:

    Você, piloto de alguma categoria organizada pela CBA, em especial da Stock e da Montana, deixe a covardia de lado e faça alguma coisa!
    .
    Pelo andar da carruagem, você tem enormes chances de ser o próximo morto na pista… e pagando muito caro pela sua própria morte!
    .
    Deixe de ser fraco e sem auto-confiança, achando que se abrir a boca sua carreira estará acabada. Se você é bom mesmo, abra a boca, meta o pau nestes vermes que roubam seu dinheiro e te dão um passaporte para a morte… Não tenha medo, meta o pau e, mesmo que sofra retaliações, foda-se, vá pra cima, meta o dedo na caras destes imbecis.
    .
    Não mudem o medo do lugar real onde ele se encontra. Vocês tem medo de reivindicar melhoras e criticar os organizadores, mas não tem medo de morrer em um acidente estúpido que poderia ter sido prevenido?
    .
    Pensem, seus covardes, e façam a gente queimar a lingua!

  16. Andre disse:

    Sinceramente, como se deixa uma corrida naquelas condicoes de visibilidade quase zero se prosseguir? nao seria mais facil fazer como na F1 parar a corrida e esperar o tempo melhorar? porque tanta ganancia desses filhos da mae que so pensam em grana? porquer morrer mais gente para que se mude essa curva? BANDO DE IDIOTA esses organizadodes, no video é facil ver que a nao se tinha a menor possibilidade de visao, vejam quantas carros atingidos, eu creio que o fator tempo e visibilidade foram cruciais para aquele acidente fatal..É UMA VERGONHA …acham que correr debaixo de tanta agua vaiu trazer mais emocao e vejam as emocoes quetivemos.

  17. EduardoRS disse:

    Acho engraçado que muitos pilotos reclamam, mas estão sempre pagando religiosamente suas carteirinhas da CBA, e se calando pra não sofrerem retaliações dos chefes. Eles se deixam controlar pelos cartolas. No quesito atitude, boa parte deles é igual aos dirigentes do automobilismo brasileiro, pois é conivente com o desleixo, mesmo sabendo o que se passa nos bastidores. Tá na hora de se unirem e botar a boca no trombone, sem medo, ou se recusar a correr, sei lá. Alguém precisa botar fogo no circo.

  18. hendrix disse:

    não to falando q vão por a culpa no morto e no pneu!?

    “verme sai da reta…a lágrima de um homem vai cair…
    esse é o seu B.O. pra eternidade…diz que homem não chora…ta bom, falou…não vai pra grupo irmão ai …. JESUSCHOROU ! ! !”

  19. Alexandre Perin disse:

    Não tenho o mesmo conhecimento de quem vive o dia-à-dia do automobilismo, mas deixei minhas opiniões no meu blog: http://www.clicrbs.com.br/almanaque

    O que se vê na CBA é o mesmo que vemos na bilionária CBF e ainda nas ‘irmãs’, em caos, CBT (Tênis), CBB (basquete) e na antiga CBJ (Judô). Muito dinheiro, nenhum para o esporte.

  20. hendrix disse:

    darei 1 exemplo tosco, a covardia não é exclusividade dos mauricinhos tupiniquins.
    lauda grande defensor de uma F1 segura desde 1974 sempre foi desdenhado pelo mundo, o próprio emerson quando jogado contra a parede peidava e ia correr (japão 1976)
    a f1 só se preocupou com segurança efetivamente quando senna fez aquela M de mandar diminuir a barra de direção, dai tivemos uma década de f1 sem ultrapassarem, pneus com ranhuras, chiqueine no meio das retas, etc e tal
    infelizmente o poderio econômio e o poder dos organizadoras fazem com q os pilotos peidem, macho q é macho só os jogadores de basebal e nfl q fizeram greves por seus direitos/objetivos coletivos
    aqui no brasil esses meninos palyboy filhinhos de papai e maconheiros vão peidar também
    tudo será como antes

  21. Alberto Allatere disse:

    Digo mais uma vez, não adianta sairmos todos em uma verdadeira “caça as bruxas” neste momento tão triste. Todos os envolvidos tem uma parcela de culpa, do construtor do carro, passando pelo construtor do autódromo, até chegarmos no dirigente omisso.
    E passando também pelos pilotos.
    É notório que quando um garoto, ainda no kart, e que não tenha os agora 15 anos regulamentares para pilotar um carro de corridas (sim, diminuiram a idade mínima que antes era de 16 anos, por pressões da fórmula future) ele simplesmente vai treinar em autódromos como Campo Grande, Brasilia, Londrina, e outros buracos entrevados pelo Brasil afora.
    Sim, porque em interlagos há uma fiscalização, ainda que precária, mas tem, e nos outros buracos até um menino de 8 anos de idade pode pegar um carro com 300 CV e acelerar… e o mais incrível de tudo: com o pai todo orgulhoso ao lado!
    Vocês querem maior absurdo do que este? E, pasmem, geralmente durante esses treinos “clandestinos” não há sequer um médico ou uma ambulância a disposição.
    Eu cansei de ver isso, todos sabem, inclusive a própria CBA, mas preferem fechar os olhos e fingir que não sabem de nada.
    Eu pessoalmente acho, que um garoto ou garota só deveriam ter aval para andar em um carro de corridas com 18 anos, não se trata de moralismo e sim de condições físicas e emocionais para se pilotar um carro de corridas.
    Nos Estados Unidos eles deixam um piloto com 13 anos de idade participar de treinos com um aval especial da federação local, só podem participar de corridas com 14, mas apesar de eu achar um absurdo, a coisa é feita de maneira legal e em qualquer lugar que você for andar nos Estados Unidos, não importando se somente você estiver na pista, existe uma equipe médica e uma ambulância UTI a disposição.
    Eu sei que tudo isso não tem nada a ver com o acidente do Sondermann, mas tem a ver com a mentalidade irresponsável das pessoas que conduzem a carreira de alguns pilotos.
    Acordem todos porra!! Não adianta sair atirando para todos os lados sem antes fazermos o nosso dever de casa.

  22. Eduardo disse:

    Alguém pode me falar uma coisa? Quem votou no atual presidente da CBA? A situação do atleta é semelhante a do elefante no circo. quando nasce, colocam uma algema nas patas e ele não consegue fugir, ou se movimentar. Pois bem, quando cresce, a força do elefante adulto é capaz de destruir, algemas , circo, tudo o que ele quiser. A situação dos pilotos não é diferente, pois colocam em contrato algumas cláusulas para literalmente, “colocar as algemas”.
    A diferença , assim eu espero e leio a situação, é que o elefante age por instinto , o homem, nem sempre, não seria uma boa oportunidade? O poder que o atleta tem na mão é maior que CBA, e os dirigentes juntos. Seria o momento de quebrar o estigma e mostrar para os dirigentes, que automobilismo não é só feito de gente que tem dinheiro e é mimadinho, é feito por pais de familias, filhos, irmãos, gente… Sr, presidente da CBA e seus dirigentes, se coloquem no lugar dos pais do Sondermann, só na imaginação, pois na realidade, nunca serão capazes de gerar pessoas tão boas quanto o Gustavo. Que Deus receba o Gustavo de braços abertos.

  23. Tazio Nuvolari disse:

    Kra, vcs devem realizar uma entrevista com o alemão Ingo! Entrevista séria sobre a seguança dos tubos da stock, sobre a capacidade dos kras andarem nos carros, sobre este papo de mordaça. N]ão só com o Ingo, mas com o Paulão, com os grandes e experientes pilotos ou ex-pilotos. Paulo de Tarso. agora este pao de pneu montado ao contrário é de cravar! Postei coméntario no blog do Flávio Gomes sobre a responsabilidade da montagem do pneu na roda. Até onde sei, esta responsabilidade é do fornecedor ou não?

    Abração e até.

  24. leo os disse:

    Só completando meu 1º comentário.A F-Truck é bem organizada, com categorias de fora se associando, diversas marcas automobilisticas e outros patrocinadores estampados tanto nos caminhões como nas placas dos autódromos, o Itaipava GT Brasil é outro evento que cresce a cada ano, tanto que vai correr junto com a Indy no Anhembi e o Fia GT1 em curitiba e San Luis na argentina, o porshe cup brasil abril sua temporada em portugal com muitos pilotos e o racing festival da familia Massa mostrou ter potencial para crescer e substituir os campeonatos que a renault fazia por aqui, mas a estoque continua estagnada, parada no tempo, entrão o porblema não é só a CBA. São exemplos como esses que eu dei que me fazem acreditar que não será necessário compraruma corda e um banquinho e que algo irá mudar.

  25. Fabio disse:

    Eles deveria fazer uma greve até que a direção de prova fosse trocada..eles são culpados quem vive lá dentro sabe que quem está no comando não tem competência…a CBA ficará inerte certeza…

  26. leo os disse:

    O Cassio tem razão, ninguém tem culpa do acidente de maneira direta, foi toque de corrida, ainda mais com a chuva que caia mal dava pra ver algo, inclusive aqueles que fizeram pequenas alterações naquele trecho após o acidente do Sperafico, já que a pista continuou recebendo o padrão maximo de segurança da FIA. Mas de maneira indireta existem muitos culpados e alguns motivos foram apontados pelo próprio Cássio.
    Por que que a idéia de fazer uma área de escape maior foi vetada? Era muito caro…mas eles não tem dinheiro que recolhem de carteirinhas “masters” que dão vantagens (sei!) aos pilotos?
    Os pilotos precisam se mexer logo, mas as vazes parece que eles não sabem que eles mesmos estão sendo prejudicados por alguns que se sentem o dono do mundo. Espero que (infelizmente, já que poderia ser de outra forma) essa morte marque o inicio de um novo pensamento dos dirigentes e pilotos, caso contrário, é melhor eu ir comprar uma corda e um banquinho.

  27. EX.TECNICO disse:

    VALDUGA E CARLOS COL, ESSES SAO OS NOMES DO PROBLEMA NO AUTOMOBILISMO BRASILEIRO HJ!!! 100% POLITICA.. SAI DESSE ANTRO, POR NAO ACEITAR MAIS CERTAS COISAS…. PERCEBA QUE QUANDO TRABALHE NA STOCK NOS ANOS DE 2002 A 2004 OS `GRANDES` PARARAM DE GANHAR, DE UMA HR PRA OUTRA,, LOGO EM SEGUIDA FOI SOLICITADA MINHA RETIRADA PELOS GRANDES.. POR QUE SERÁ? EU TRABALHAVA SEM MEDO!!! …SEM () PRESO COM NIGUEM!

  28. Junior disse:

    O que me assusta é a falta de união dos pilotos. Os caras tem coragem de entar num carro desses, mas não tem coragem para se unir e peitar os absurdos da CBA e da Vicar? Cadê o Cacá que tantas vezes reclamou quando os problemas atingiam ele, para meter a boca numa hora dessas?

    Está na hora de os pilotos brasileiros criarem uma entidade que defenda os interesses deles, já que a CBA só quer saber de defender o bolso de seus dirigentes.

    Se não é possível uma entidade nacional, ao menos que os pilotos da Stock se unam, pois esta é a categoria mais maltratada hoje no Brasil.

  29. Luiz Carlos disse:

    Marcelo, qual seu nome?
    Reclamar sem mostrar a cara me parece meio suspeito.
    Tudo está errado no automobilismo Brasileiro e isso já faz tempo. Devemos fazer o que tivermos ao nosso alcance pra tentar melhorar e corrigir os erros. Reclamar por reclamar não leva a nada, cheira a oportunismo barato. Uma vida se foi, é muito triste e hoje família e amigos consternados sentem essa dor profunda e doída. Automobilismo é um esporte de risco, todos os envolvidos sabem disso, os pilotos principalmente. Pergunte a qualquer um (piloto) que lá estava ontem se ele não vai alinhar seu carro na próxima etapa, e não me venha dizer que vão por que, tem contrato e bla. bla……!
    Tenho visto aqui e em outros sites que freqüento, inúmeras queixas e críticas contra a administração da CBA e de outras entidades também, sabemos que a cartolagem nos esportes neste país se espelha no comportamento asqueroso da maioria dos nossos políticos, usufruem dos benefícios e nada fazem.
    Quero lembrar aos colegas (os jornalistas inclusos) que existe um ministério público que recebe, investiga e toma as medidas cabíveis para que nós possamos tirar essas ervas daninhas de suas cômodas poltronas reclináveis e lá colocar gente honesta e disposta a cumprir suas obrigações, faço essa chamada em nome do meu apreço e envolvimento no automobilismo.
    De nada adianta nessas horas de tragédia reclamar por reclamar, precisamos agir de forma legal e organizada contra essa ditadura imposta pela cartolagem, por empresários gananciosos sem comprometimento com o esporte e por emissoras cujo único objetivo é preencher “lacunas” em sua grade de programação e retorno financeiro.
    Se já tínhamos motivos de sobra para reivindicar esses nossos inabaláveis direitos, após mais essa tragédia o que mais falta?
    Luiz Carlos Bundschuh
    De São Paulo, automobilista.

  30. Batista Haddad disse:

    Sabe pq não muda?

    Pq todos são covardes…

    A hora que “honrarem as bolas, machos que são a 250 Km/H”, aí sim…

    Mas…

  31. Nelson Santos Dias disse:

    UM ABSURDO TOTAL, acompanho corridas desde 1975, sou o que dizem fanático, aquele que não entende nada de futebol, não tem time e dorme na copa. Fiquei arrasado ontem, o Sonderman como diversos pilotos pelo mundo alegram meu dia com sua coragem e arrojo nas diversas corridas pelo mundo agora.
    Agora, Automobilismo não é reality show, com prova de sobrevivência.
    A Confederação Brasileira de Automobilismo é séria, seus dirigentes é que são pífios, com sus interesses pessoais.
    Acho certo quando vc fala de um levante dos pilotos, mas sinceramente acho difícil pois tal mordaça pode estar ligada a contratos, e contratos a multas.
    Ontem participei da twitcam do Rodrigo Mattar, e mais de trezenstas pessoas, em pleno domingo de madrugada estavam ligados e interessados na solução deste mal.
    Porque vcs Jornalistas não pensam em criar um local, site, ou blog qua dali nós fans possamos aparecer e quem sabe com isso os dirigentes, equipes, passam a nos respeitar, e não pensar que gostamos de virines de açougues.
    É hora de gritar e respeitar que abastece os cofres destes senhores, com ingressos e patrocínios indiretos.

  32. Paulo Scopa disse:

    Vejo a CBA e lembro da CBT. As coisas não melhoraram muito no tênis, mas só começaram a entrar nos eixos depois que os nossos maiores nomes no esporte tomaram posição. É hora de acontecer o mesmo no automobilismo.

    Rubens, Helio, Tony, Felipe e outros precisam trabalhar. Cacá e Popó não podem falar e por isso tiveram suas preocupações refletidas na fala do pai que, se quisesse, poderia muito bem ser parte fundamental nessa mudança. Mas não quer, porque não interessa a ele e a quem lhe paga (afinal, que entidade forte deixaria seu principal produto – sublocado para a Vicar – ser sucateado na TV aberta?). Só interessa agora porque poderia ter sido um de seus filhos.

    E o resto da Stock? O que vai fazer? Vão ficar quietos, fazer meia dúzia de homenagens para o Sondermann, e…?

    Duvido que vamos ver alguma coisa mudar, exceto talvez por uma área de escape no Café. Mas há muito pra mudar. Só pra ficar no acidente, não se sabe ainda quanto aquele pneu montado errado aumentou o efeito do acidente, mas quais as medidas que equipes e organização tomarão para evitar que ocorra de nova e seja fator num novo acidente? Corridas com chuva são emocionantes, mas qual o limite entre emoção e perigo?

    Infelizmente, a gente tem que refletir sobre tudo isso após mais uma morte. Espero que a gente não tenha que refletir uma próxima…

  33. Andrea Ladeira disse:

    Matéria ótima!!! Os pilotos deveriam se unir mesmo e pedir por melhores condições!!!!

  34. Marcelo disse:

    Era piloto do campeonato paulista e em algumas provas trabalha na organização e equipe médica….qdo somos jovens não observamos coisas importantes da vida, mas depois de alguns anos de experiencia, fico me perguntando de fato se vale a pena o risco de se pagar tão caro e torcer para que nada acontece, não só na pista mas fora dela, pois se repararem qdo acabam as corridas do campeonato paulista, o time medico vai embora em 15 minutos e os mecanicos que ficam la trabalhando estao completamentes desprotegidos, é de se perder a conta da quantidade de queimados, fraturas e cortes que ocorrem apos as corridas…..
    resumindo prefiro ficar em casa…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>