O lucro de ser um porco

O

SÃO PAULO | Dizia a minha bisavó, segundo relatos de minha mãe contados várias vezes no ápice de nossas discussões, que é melhor lidar com porcos do que com humanos. Nada de apologia ao Palmeiras, pelamor. Os porcos dão mais lucro, são mais amáveis, fiéis, dóceis. “Quem com porcos mexe, farelos come”, vociferava a veterana, e naquela época, bem como nos dias de hoje, certas premissas estabelecidas por gente de idade mais avançada e experiente costumam se tornar verdade quase que absoluta, quase um dogma.

Não preciso me apoiar em uma pesquisa, como fala um verso de uma música que durante muito tempo ouvia quase todo dia, “algo está errado com o mundo hoje”. Não só hoje, mas já de um bom tempo, talvez pouco depois dos dinossauros, que predominavam na Terra com sua estirpe devoradora e destruidora, porém possivelmente atávica. Ao longo as extintas criaturas deram lugar para o domínio de uma raça teoricamente mais avançada, proveniente de Adão e Eva segundo alguns, ou simplesmente originária dos macacos, provida de raciocínio, e daí diferenciada diante dos coabitantes.

Hoje se tira uma vida por muito pouco. Sei muito bem que no meu país, no meu estado, na minha cidade e, quem sabe, no meu bairro, tenho a preocupação inconsciente de sair na rua olhando para os dois lados, para trás, para cima, para qualquer merda de buraco que se forma, vendo se nenhum pivete de 12 anos ou marmanjo de 30 não aparece com más intenções, sedento, faminto, cheirado, ou mesmo fazendo aquilo porque é de seu instinto, afinal há um longo tempo venho pensando que gerações do mal vêm sendo criadas geneticamente, como se na cadeia de DNA estivesse instituída uma sequência de guanina, citosina, adenina e timina diabólica.

Até tempos atrás, as cenas de decapitação de um civil americano no Iraque que foram exibidas na internet pareciam as mais chocantes por mostrar uma versão totalmente atualizada e digital do que já pensava Thomas Hobbes em seu ‘Leviatã’. O homem gosta de ser o lobo do homem para mostrar sua força, e erguer a cabeça daquele que considera rival fez dela um troféu para o rebelde iraquiano.

Pois o rebelde iraquiano do Brasil preparou meticulosamente seu crime, e sem antecedentes criminais, vestígios tóxicos ou motivos aparentes, representou esta nova geração demoníaca, usando a internet como forma de aprimorar seu conhecimento para algo que não preste. Pegou a arma, entrou na escola, escolheu as vítimas, meninas, 13 ou 14 anos, crianças que nunca foram suas rivais ou adversárias— diferente até do seu comparsa iraquiano, que via no americano a simbologia da inimizade crônica. Matou por matar, como respiramos, acordamos, comemos, trabalhamos e fazemos nossas atividades. Hobbes não teria argumento para refazer sua tese.

O mundo vai mal há algum tempo, e é tudo culpa nossa. É uma pandemia que nos leva a pensar seriamente no apocalipse previsto para o ano que vem. Os homicidas e os maldosos por natureza se proliferam, e casos como o do iraquiano e deste brasileiro virgem que não quer as mãos dos impuros sobre seu corpo pútrido são vistos em Realengo e nas favelas do Rio, nas principais ruas de São Paulo, na Líbia, na Costa do Marfim, no Congo, e em tantos lugares, e talvez todos os lugares, que me fazem crer que a humanidade precisaria de um recomeço à la tabula rasa, como se o planeta tivesse aquele pino do painel dos carros mais modernos para zerar a contagem do tanque de gasolina.

O homem perdeu completamente a noção, é um bando de Joselitos, se pegarmos o o exemplo daquele personagem do programa da MTV. Gerações que perderam o respeito, que banalizaram a vida em seu sentido natural, que veneram o erro e que pensam na redenção e no perdão no apuro. O homem não é burro porque os burros são animais de serventia, assim como as bestas, as mulas, os cachorros, as vacas, as piranhas, as galinhas, os veados, as lagartixas e todos os outros com quem costumamos fazer metáforas, eles não merecem ser equiparados a uma espécie tão desprezível quanto a nossa.

E os porcos também. Minha bisavó, décadas atrás, já tinha certeza disso.

PS: Adaptado de um texto escrito em 2004, com o mesmo título.

Sobre o Autor

17 Comentários

  • concordo,e digo mais e vai piorar,pois nada para essa raça é tão ruim que não possa ser piorado,també uso os conhecimentos de gerações passadas,ensinamentos dos meus pais,avos e amigos deles para refletir sobre os dias de hoje e digo,quando era criança,pré adolescente acha que minha geração seria uma evolução da deles e assim por diante…puro engano hoje estamos mais selvagens ignorantes do que nunca é com viés de alta.

  • Se não for mais lucrativo, pelo menos deve ser mais fácil. Aliás, até congelar o inferno deve ser mais fácil do que lidar com gente.

  • Joselito é uma figura simpática perto desses aí. O fato é que a população mundial aumentou demais, e junto vem o aumento de casos de idiotas habitando o planeta. Aí soma-se com a total falta de controle, leis e lugar na cadeia em alguns países, como por exemplo o Brasil, e chega-se a essa situação de ver muitos maníacos soltos por aí. E sem medo de ser preso.
    O maluco do colegio ainda fez o favor de se matar.
    André / Piloto no http://www.f1bc.com

    • Se fosse somente um bando de idiotas habitando o planeta, seria o menor dos problemas. O pior é que existe outro bando maior ainda de idiotas influenciando esses idiotas, que fazem questão de serem idiotas maria-vai-com-as-outras.
      Ou seja, nada está tão ruim que não possa piorar.

    • você adorou essa frase, hein?
      Nunca fomos divinos, até por que nunca existiu deus. Somos um acidente, muito bom por sinal. Nos indignamos quando vemos crianças sendo mortas.
      Cachorros tem o hábito de devorar filhotes, as vezes os próprios filhos, e isso é normal.
      Como os cachorros, também somos bichos, tristes são os que vivem com a ilusão de que não somos, que somos especiais, que fomos criados para o bem, etc, nada disso é verdade, e a vida continua sendo um milagre, uma experiência maravilhosa, ainda estamos no lucro.
      Então vamos parar de reclamar!

  • depois de ler seus texto, reflito e penso.
    Quero ter muito um filho, segurá-lo em meus braços, cuidar dele e mostra-lo a maravilha estar vivo. Pois acredito que seja assim a minha maneira de talvés criar um ser humano conciente e com pensamento normal.

    Não podemos culpar a genética, se é que ela pode ser culpada.
    O homem é fruto do meio. Talvez a unoca saída seja mesmo apertar o resete,mas acredito que essa seja uma solução pros descrentes, pros fracos e pros sem esperanças.

    Sou um pessoa que acredita no melhor, que pensa coisas positivas e que acredita que tudo pode melhorar. Espero que o mundo absorva minhas palavras e pense que ainda existe uma chance e que se quisermos tudo pode ser diferente.

    Que as famílias das crianças que morreram se prendam a fé e ao conforto de que suas crianças ao menos estão em um lugar melhor do este onde vivemos. Um lugar onde matar por algum motivo vira motivo para matar, fazendo do matar não mais pecado.

  • Embora muitos não creiam na biblia, ela já profetizou que essas coisas iriam acontecer….
    pai matando filhos, filhos matando pai, atrocidades na humanidade, tremeros de terra assimn vai… cristo disse: quando veres estas coisas, vigiai por que é chegado fim……..

  • De uns tempos pra cá tenho tentado entender melhor a natureza humana com seus defeitos, virtudes e vicissitudes.
    De uns tempos pra cá foi posível sentir que estaria percorrendo um caminho que me permitiria reconhecer a evolução deste entendimento.
    Ontem, retroagi e por mais que tente não encontro a razão ou o sentido que leve alguém a fazer uma coisa inominável dessas.
    Meus piores sentimentos afloraram e desejo profundamente que o inferno seja pequeno e insuficiente para esse monstro.

  • Sempre tive vontade de escrever duas fases e a principal é , vim para Campinas há 40 anos , chegamos com uma mao a frente e outra a traz, provenientes de uma fazenda mais para o interior, lembro me sempre do cobrador de onibus de boné, gravata , em pé , transitando no meio do ônibus com dinheiro no meio dos dedos , fazendo troco , notas dobradas , separadas e dizendo
    com licença, há apenas 40 anos…….e hoje

  • Belo texto o seu e o do Flavio, realmente perdemos os mais importantes valores é o ter a qualquer preço antes do ser do saber do respeitar, saber que o direito próprio termina aonde começa o do outro.

  • Vitor, é impossivel não pensar assim qndo acontecem coisas como essa. Meu unico pensamento durante todo o dia de hj foi: que merda de mundo..deu, chega! Deus erro no plano mesmo. Mas..a verdade é que a gnt ainda ta aqui. 4 milhões de anos (eu acho..sei la) dps de nossa especie surgir, a gnt ainda ta aqui. A gnt teve a incrivel capacidade de não se matar até agora. Sei la pq, por falta de meios, ou pq talvez tivessemos esses meios, como na Guerra Fria, a gnt amarelo, mas a verdade é que a gnt ainda ta aqui. Então..eu ainda tenho esperanças. Esperança de alguma coisa vai ser consertada, e algo de bom vai sair dessa merda que eh a humanidade. Espero, rezo, para não estar errado…

  • Faço 36 anos semana que vem. Me lembro com saudade de vinte anos atrás. As pessoas se respeitavam. A gente falava com os vizinhos. Ninguém jogava o carro nos pedestres na rua. Namorar era dar beijo e amassos. Quem cheirava era exceção. A verdade é que cada dia a coisa está pior. O ser humano parece que está apodrecendo por dentro. As pessoas mais egoístas, mais nervosas e mais gente doida na rua. Mata-se por qualquer motivo, por 10 reais ou porque pisaram no seu pé.

    Queria saber onde está a falada evolução humana: mental, espiritual e tecnológica. Era de aquário é a p* q* p*. No aquário vivo eu, enjaulado para manter a humanidade do lado de fora. Conversei há um mês muito sério com a patroa. Melhor perder financeiramente e procurar qualidade de vida em outro lugar. As grandes cidades viraram um amontoado de gente pronto para explodir. Isso não é vida.

    • Eduardo, como você, também faço 36 daqui a duas semanas e concordo com tudo que você e o Victor Martins escreveram. Que sociedade é essa a que estamos inseridos? O que está passando na cabeça desses jovens?
      Eric Fromm escreveu no seu livro “O coraçao do homem” que nascemos com 50% de bom e 50% de mal dentro de nós e que o contexto social a que estiver-mos inseridos determinará se seremos boas ou más pessoas. Ele tinha razao, somos tao do bem quanto do mal, e o nosso entorno é quem dirá o que seremos. Infelizmente o que se vê hoje é que o mal está crescendo, o mal caratismo, a má educaçao, os maus hábitos, a má índole, o mal em geral.
      Fico triste porque tenho uma filha linda de 1 ano e meio e apesar de todo dia pedir aos deuses para que ela posso ter uma oportunidad de ver um mundo melhor, a humanidade trablha justamente para o contrário.

      Grande abraço.

      Rogerio

Por

O dono da bola


É jornalista, palmeirense, dinamarquês por opção e sempre pensou que ia ter de cobrir futebol antes de chegar ao automobilismo, que acompanha desde os 7 anos. E desde que se formou, está na Agência Warm Up e no Grande Prêmio, isso há mais de 13 anos. Neste tempo, foi colunista do iG, escreveu para 'Folha de S.Paulo', 'Lance!' , 'Quatro Rodas' e 'Revista Audi', foi repórter da edição brasileira da 'F1 Racing', cobriu F1, Stock Car, DTM, a Indy e quatro edições das 500 Milhas de Indianápolis, e outras categorias ‘in loco’. Agora também é comentarista dos canais ESPN. Conheceu cidades como Magdeburgo, São Luís, São Bento do Sul e Nova Santa Rita, traduziu um livro da Ferrari e já plantou um monte de árvores. Tem quem fale que seria um grande ator, mas ter ganhado o Troféu ACEESP 2011 como 'Melhor repórter' da imprensa escrita mostrou a escolha menos errada. Adora comida japonesa, música eletrônica e odeia ovo, ervilha e esperar. “Necessariamente nessa ordem", diz.
ASSINE O RSS

Arquivos

Categorias

Tags

Twitter

Publicidade

Facebook

Publicidade