MENU

3 de junho de 2013 - 11:26A várzea de rodas, Automobilismo brasileiro

A várzea de rodas, 15

SÃO PAULO | Fernando Lopes, 32 anos, morreu no fim de semana em decorrência de um forte acidente sofrido numa, por assim dizer, corrida de kart em Carpina, a 50 km de Recife. O noticiário está no Grande Prêmio. Aqui, a batida:

Não é naturalmente necessário salientar que a pista deste evento não recebe a menor condição para a prática de um esporte que tem risco — já escrevi isso em algum lugar… —, até observando as árvores e o populacho que se deleita com a passagem do kart sobre os pneus que servem de, digamos, proteção.

Liguei há pouco para a gloriosa Federação de Pernambuco para falar com o presidente Waldner Dadai. O zelador do prédio atendeu e respondeu que o douto comandante da entidade só dá expediente a partir das 14h. Começamos bem. Sabe-se, também, que o presidente da CBA, Cleyton Pinteiro, é do estado. Não foi encontrado.

O organizador da tal Carpina Kart Racing é um tal Diego, que aparece em imagens dizendo se tratar de uma “fatalidade” e que “até na F1 acontece isso”. Diego, que não tem sobrenome, não deve ver F1 desde os tempos de Ayrton Senna, presumo. Na página do Facebook deste evento, há uma resposta que, como dizem os gaúchos, é de cair os butiá. Transcrevo-a, em caixa baixa:

“(…) Sei que fizemos o máximo para a realização deste grande evento, mais Deus marcou um encontro com nosso piloto. Só nos resta lembrar que Ele é soberano e faz como quer. O que aconteceu no dia de ontem já estava nas Escrituras Sagradas. E critiquem quem quiser. Não cai uma folha sem a permissão de Deus.”

Eu me pergunto se Deus, considerando que exista, está a cargo da organização de uma corrida de kart na distante Carpina e se não tem coisa mais importante para cuidar, como o conflito que jorra mortos na Síria, a sequência de catástrofes naturais ou casos em que a população clama por sua presença em tragédias que fogem ao controle. Também me pergunto que tipo de pessoa cretina deposita sua culpa apenas num chamado divino, numa cerimônia de lava-mãos em que o que vale, possivelmente, é pensar na próxima corrida de kart, torcendo para o presidente da CMC (Confederação Mundial Celestial) não convocar mais alguém para junto de si.

Outra pergunta que me faço, para qual já tenho a resposta, é se tudo que estamos vendo acontecer no automobilismo não merece uma intervenção. A corrida em si, a reação dos organizadores e até mesmo da prefeitura — de que só emprestou o lugar — são de uma irresponsabilidade que requer medidas severas e criminais. O automobilismo está sob a batuta de gentes que cagam e andam para o esporte, que veem o kart e as esferas acima como objeto de entretenimento, lazer e diversão e não se atentam para a calamidade. E no aperto do rabo, apontam pra cima e chamam um Deus que ou está quieto ou tem mais o que fazer.

Pelamordedeus, dizemos nós todos com um mínimo de sanidade. No dia em que presidentes, organizadores e aqueles que se julgam alguma coisa neste naipe trabalharem em prol do enriquecimento do automobilismo, e não próprio, e começarem a dar expediente antes das 14h, algo sai da moita. Por enquanto, sobram o silêncio dos que choram as perdas e dos que preferem se calar por omissão e vergonha escondidos nas vestes do Pai.

Adendo 1: tirando o poço de anunciantes, notem que imagem é usada para promover este tipo de competição. O 110 é de Sergio Jimenez, em provável atuação em um dos eventos do organizado SKB. Duvido que esta foto tenha sido autorizada por quem quer que seja, seja SKB ou o fotógrafo responsável.

41 comentários

  1. Uma pergunta: Ministério Público, nada? Cabe lembrar que o próprio poder público ignorou o Código de Trânsito Brasileiro.

    Outra pergunta: o que dizem as dezenas de patrocinadores? Eu não gostaria de ter minha marca associada a uma tragédia dessas.

    Mais uma, a última: A CBA disse que vai processar. Quem e por que? Os organizadores, por “sujarem” a imagem da entidade? Tenha paciência…

  2. Cesar disse:

    Meu Deus, quanta porcaria esse camarada falou de Deus, Deus não executou o projeto da pista, muito menos aqueles pneus mau colocado, Deus te deu a inteligência seu jumento, (coitado do jumento), você por acaso percebeu a velocidade que os kart estão passando por este parte do suposto autódromo, sei que nenhum piloto que se preze deveria entrar nesta pista sem exigir mais segurança, mas você, como organizador, não deve nem saber pilotar um kart. Deus não tem nada com isso, nós pilotos e organizadores sim.

  3. Razor disse:

    Acho que o povo está sendo crítico acima da conta.
    Mesmo não sendo um evento “oficial”, foi vendido a diversas empresas anunciantes, foi amplamente divulgado no meio kartístico local e era a quarta etapa de algum torneio por aí.
    E tem inúmeros participantes.
    Gente que quer correr de kart sem ser extorquida pelas federações, clubes e os cambau que sempre aparece para dar sua mordidinha nos bolsos de quem quer correr no brasil-varonil.
    Gente que já correu antes nesse tal torneio e que não foi pega de surpresa pelas condições da “pista”. Aceitou andar ali daquele jeito nas etapas anteriores e nessa também; assumiu os riscos por iniciativa própria (ainda que eu particularmente não acredite em livre arbítrio).
    E um deles se distraiu, bateu e morreu. Igualzinho ao Sondermann, que forçou onde não podia e morreu porque não quis usar o HANS.
    Acabaram com as corridas “oficiais” no Brasil? Sequer pediram isso? Não.
    Portanto, concordo com a pecha de falso moralismo.
    O Sr. Fernando Lopes poderia da mesma forma ter morrido batendo seu carro num poste de uma rua qualquer de Recife. Isso acontece trocentas vezes por dia.
    Morreu fazendo algo que lhe dava prazer e alegria.
    Parem de usá-lo como “isca”. Deixem-no descansar em paz!

  4. roxxon valdez disse:

    de uma coisa tenho certeza, se deus existisse não entraria nessa pista para correr
    nem dentro de um tanque sherman.

  5. Allan disse:

    Triste… muito triste. Nao só o acidente e essa corrida de quinta categoria, que tinha tudo pra dar merda, mas olha o tanto de abutres invadindo a pista depois da batida, dificultando o resgate. Mais uma amostra da nossa (falta de) educaçao são os comentários postados no YouTube onde estao os videos da batida, é um pior q o outro ali.
    Cada vez mais desanimado com a situaçao por aqui viu!

  6. Pedro Jungbluth disse:

    É assustador porque parece que o pneu estava ali de trampolim. O argumento do rapaz de dizer que nada acontece sem a autorização de deus é de uma falácia sem tamanho. Eu sou ateu, entendo pouco, mas acredito que deus deu livre arbítrio aos humanos, o que os permite até mesmo matar, por ação ou omissão. Pelo que entendo, deus permite sim que o sujeito morra, porque permitiu que um idiota tivesse a capacidade de organizar um evento assim.

  7. eduardo disse:

    correr naquela pista ou na rua em que eu morro é a mesma coisa,homicidio culposo para os responsaveis

  8. Pablo disse:

    O que mais me impressiona é que o evento tinha segundo os organizadores uma licença pra ser feito (acho que só da prefeitura), o monte de patrocinadores, numa cidade que fica a meia-hora de Recife e que estava em sua 4ª etapa ser considerado pela federação pernambucana um evento CLANDESTINO.. COMO É QUE NINGUÉM FEZ NADA? Descaso total da FPA, CBA e CBK

  9. Jones M. Vieira disse:

    Srs. Pelo que visualizei nas imagens pude perceber que houve uma desatenção do piloto que ficou olhando para o kart que estava parado na pista a sua esquerda e subiu nos pneus e bateu no poste, logicamente não justifica a falta de proteção para evitar tal fatalidade, mas recai sobre o piloto a responsabilidade do acidente que assumiu o risco quanto a sua falta de atenção ao pilotar em alta velocidade….

    • Felipe Mazorca disse:

      Você está de sacanagem, certo?

    • Jorge Silva disse:

      Esse sr. Jones M. Vieira ou deve ter sido um dos organizadores do tal “evento”, ou é um integrante da Federação Pernambucana de Kart ou ainda um aspone da CBA… Talvez só assim para justificar tanta m(…) escrita em 5 linhas!!!!!!!!

  10. Fernando Sandrini disse:

    Realmente lamentável o ocorrido e mais uma vez o total descaso.

    Victor, sei que o post não é disso, mas no site do Terra diz que a Globo(eca, que nojo escrever esse nome) vai deixar a F1 na mão de novo para passar o amistoso do lixo amarelo que será jogado em mais um elefante branco.

    http://esportes.terra.com.br/automobilismo/formula1/jogo-do-brasil-pode-deixar-fas-de-f1-sem-corrida-ao-vivo-na-tv-aberta,53f7460a7ca0f310VgnVCM20000099cceb0aRCRD.html

  11. Sérgio P. Alves disse:

    Não que eu defenda o modo como o automobilismo nacional vem sendo administrado. Mas não dá p/ culpar Federação ou CBA por um evento clandestino, sem a chancela das entidades. Será que p. ex., a CBF tem condições de cobrir todos os campos de futebol de várzea do país, p/ evitar incidentes?

    • Victor disse:

      VM responde: Dá. Dá porque sabiam do evento.

    • Carlos Eduardo disse:

      Tem um detalhe muito importante que não foi comentado por ninguém aqui, mas vale apena destacar e anexar ao assunto “descaso das federações”.

      Hoje em dia é relativamente comum eventos do tipo “clandestino”, onde um grupo de pilotos apoiados por um grupo de apoiadores fazem um evento fechado, entenda-se, desligado de federações.
      Qual o motivo disto?

      As federações hoje, são movidas a dinheiro, ou seja, para eu correr UMA única corrida no ano, eu preciso sair com R$ 500,00 referente a carteirinha, isso aqui no RS, não sei nos demais estados.
      Alguns KARTÓDROMOS efetuaram este tipo evento durante um tempo aqui no interior do estado, porém, assim que a FGA ficou sabendo, MULTOU a organização/administração do kartódromo em R$ 5.000,00 por evento, por se tratar de corrida “pirata”, ou seja, mesmo que eu tenha uma pista particular, eu não posso organizar um evento sem pagar o “DIZIMO” a federação, que no caso, ainda cobra a inscrição além de uma taxa.

      Portanto, não condenem os organizadores pela corrida “pirata”, mas sim, pela estrutura precária das condições de segurança.

      • Luis disse:

        Engraçado que é a mesma desculpa usada para explicar a pirataria de produtos, e aí a resposta dos fabricantes é “não tem dinheiro, então não compre”.

  12. Luis disse:

    Isso é um absurdo, inadmissível!!! Essa vergonha, esse descaso, esse chute na cara das pessoas. É isso que esses organizadores, patrocinadores, governantes, falam para a família desse rapaz que morreu? E vai ficar tudo por isso mesmo também? Quem que pagou pelo enterro dele? Vai pedir para Deus indenizar? E o que os outros envolvidos vão dizer? Dizer que não tem nada a ver com isso, que nomes, fotos e logotipos foram colocados sem autorização? Vão lavar as mãos sujas de sangue com água Perrier?

  13. Nando Sato disse:

    Nos meus mais de 30 anos trabalhando com esportes a motor não vi coisa parecida nem na “Copa Lenine Severino”, que era um campeonato estadual de Kart disputado em meados das décadas de 1970 e 1980, em pistas de rua de varias cidades do estado de São Paulo. É inadmissível que em pleno século 21 pessoas sem conhecimento e ou interesse por segurança continuem promovendo eventos como este. Sem falar que tudo isto aconteceu na terra do incompetente “seo creyton pinteiro”. É impossível que ninguém da Federação Pernambucana de Automobilismo não tenha visto previamente este cartaz divulgando a tal Copa Interiorana de Kart. É dever das federações fiscalizar as condições destes eventos, e aí autorizar ou não! Mas no mínimo, se tinha alguém da Federação por lá, foi apenas para pegar uma parte polpuda das taxas de inscrições que com certeza todos os pilotos participantes pagaram! Aliás, foi o que o “seo crayton” foi fazer em Brasília ontem naquela vexaminoza Stock Car!

  14. Julio Serra disse:

    Correr de bicicleta numa pista dessa já seria perigoso imagina de kart. Que sejam punidos os culpados. Esse Diego é um cretino. Qaunto ao presidente da federação Waldner Dadai, esqueça. Ele não passa mais nenhum fial de semana em Pernambuco. Vive viajando as custas da cba a titulo de comissariar corridas pela cba do seu compadre clayton. pergunte onde ele estava nesse final de semana: Brasilia. Até pra europa já foi as custas da cba…
    Que descanse em paz o piloto.

  15. Marcelo Goulart disse:

    Eu dei uma porrada bem parecida com a dele num kartódromo daqui do RJ, onde tinha uma pilastra, a diferença era que a barreira de pneus (Acho que era dupla e com 5 pneus de altura) era reforçada na pilastra com um plástico que eles colocaram em volta do pneus o que não permitiu a decolagem do meu kart, só tive o braço machucado mas consegui ainda continuar a correr tranquilamente.

    Isso é algo que tem que ser monitorado pelas confederações, um dia antes do evento verificar esses pontos críticos e sendo o caso proibindo a realização do evento…

    Mas a CBA é um fantasma velho de um passado glorioso…

  16. Guto Atherino disse:

    Sou publicitário, mas tenho uma posição firme de que nesses acidentes/crimes deve-se responsabilizar os patrocinadores (Além dos promotores e tal, claro). Ou seja, que tal ir pra cima da Skol, da VW, da CocaCola e dos demais muitos apoiadores que viabilizaram o evento?

    Realmente é uma vergonha sem tamanho o que acontece em todos os cantos (e grandes centros tbm) do Brasil.

  17. Rodrigo Tomé Santos disse:

    Ao nosso querido organizador Diego e a prefeitura do Carpina, a população tem algumas perguntas em relação a ocorrência desse magnífico evento que tanto contribui na divulgação da cidade de Carpina em nível nacional.
    1º. Houve solicitação à CBA, por escrito, para vistoria prévia da Comissão Nacional de Kart – CNK, apresentando planta, em escala, da pista, boxes e áreas de apoio?
    2º. Havia um comprimento da pista de 800 a 1000 metros?
    3º. Havia largura de pista de 7 metros, mínima e máxima 12 metros?
    4º. Havia distância mínima entre pistas ou qualquer outro obstáculo físico de 8 metros? Ex:(boxes, muros, cercas, construções e outros)
    5º. Havia local adequado para primeiros socorros? Para os senhores que talvez não saibam, isso significa: um local apropriado para o estacionamento de
    pelo menos duas ambulâncias, além de um ambulatório equipado para primeiros socorros, curativos e consultório médico;)
    6º. Havia proteção para os espectadores? O que significa isso? para os senhores que talvez não saibam significa: os espectadores deverão ficar isolados do circuito, por uma
    cerca de tela com pelo menos dois metros de altura, e localizada no mínimo a dez metros da borda da pista.
    Bem se formos listar escreveremos muitas e muitas linhas das normas desrespeitadas nesse grande evento acontecido em nossa cidade.
    Esperamos que as autoridades competentes ou incompetentes dessa vez, como se diz no velho ditado, tentem tampar o sol com a peneira.

    • Mike The bike disse:

      Deixa da ser babaca… vai jogar gamão. Corrida é e sempre foi coisa perigosa, vai quem quer. Essa CBA e suas Federações são todos uma cambada de ladrões. Fatalidade sim, se outros 10 caras capotassem naquele mesmo lugar, ninguém morreria. Se for por isso as corridas de motocicleta teriam de acabar, pois é perigoso pra karai. E aquelas corridas de Moto nas ruas, na Inglaterra, Ilha de Man??? Acontece é que hoje qualquer babaca quer ser piloto e não aceita o risco que existe nesse esporte. Pra terminar, são centenas de corridas como essa em todo o Brasil, a cada fim de semana.

      • Raphael disse:

        Deixa de ser babaca você.

        Essas perguntas dizem respeito ao REGULAMENTO. Mesmo sendo um esporte perigoso, existem certas regras (algo que você deve desconhecer), justamente para que seja possível evitar tragédias ou ao menos agir com eficácia para minimizar o dano pessoal e material em caso de acidente.

        Se você acha mesmo que foi uma simples fatalidade, eu o desafio a dormir de porta aberta. Eu o desafio a dirigir de olhos fechados. Eu o desafio a sair pelado pela rua. Eu o desafio a ingerir veneno de rato com soda cáustica.

        E aí, quando você for assaltado / bater com o carro / for preso por atentado ao pudor / for internado com intoxicação alimentar, podendo morrer – ainda assim são meras ‘fatalidades’ ?

        Toma juízo antes de falar besteira, zé ruela!

  18. Ronaldo disse:

    Faltou segurança, OK. Mas caro editor chefe, observando seus últimos posts me questiono se há no editorial no Grande Prêmio alguma ordem para manter o tom corneteiro que reina há alguns anos, especialmente após a morte do Sonderman. Como foi decidido isso? A audiência umentou tanto assim com a cornetaria que vocês se esqueceram dos fatos e passaram apenas a reclamar? Quero ler relatos do que houve sobre o automobilismo no país, também as mortes e o quanto é prejudicial o tratamento de várzea dado a um esporte de risco – sobre isso, como seria eu tapado a ponto de negar a verdade? – mas existe muito mais no esporte do que problemas. A cobertura da Stock no Grande Prêmio foi minúscula, e a atenção dedicada aos problemas do autódromo confirma meus argumentos.

    Quero um site de notícias, informações, memorabilia. Saudar os grande do passado e torcer para as promessas do futuro. Isso não consigo aqui, pois não há informações do que têm feito, por exemplo, Pietro Fittipaldi, Gustavo Lima, Yan Cunha, Pipo Derani… Tem mais? Não sei, e se depender do seu site, só vou saber quando um deles morrer ou perder o emprego por falta de patrocínio, porque “O que a CBA faz pelo esporte”? “Por que o automobilismo não é valorizado, ao contrário do futebol?”

    Culpa da imprensa? Claro que não. Mas é preciso que todos os atores do processo assumam sua parcela de responsabilidade pela morte lenta do nosso esporte favorito, e a imprensa não reflete. Mas corneta muito. Já tive essa conversa com Rodrigo Mattar, um cara enjoado e que defende com unhas e dentes sua guilda profissional, mas ele foi capaz de enxergar alguma lógica na minha argumentação. Que tal um pouco de positividade na cobertura? Os amantes do automobilismo (os verdadeiros) agradecem.

    • Victor disse:

      VM responde: O site de notícias é o Grande Prêmio. Este é meu blog, prazer.

      • Ronaldo disse:

        Existe uma diferença de canal, mas o conteúdo, estranhamente, é o mesmo…

        • Victor disse:

          VM responde: Não sei o que recomendar a você a não ser aprender a ler/interpretar.

          • Luciano disse:

            Olha, eu concordo com a crítica do Ronaldo. Naturalmente que aqui não está se fazendo uma crítica ao blog, mas ao GP – sendo que você é o Editor-Chefe do veículo.

            Hoje o automobilismo brasileiro é basicamente de turismo, ok. Onde está o GP, que não vai atrás desses novos talentos? Onde estão as entrevistas perfis com os novos campeões de um paulista de marcas, ou de outro piloto muito promissor surgido nos últimos tempos, Marcio Campos (Mercedes Grand Challenge), que ficou em 2º lugar no AMG Winter Contest na Europa?

            Chego à conclusão que vocês são tão ruins quanto aqueles que criticam. Uns pecam de uma forma, vocês de outra. Sãos os chamados “falsos moralistas”.

          • Victor disse:

            VM responde: Eu te respondo, Luciano: não sei se passa pela sua cabeça que toda cobertura ‘in loco’ custa. O custo é caro. As coberturas que fazemos são abrangentes, de F1 a kart. Mesmo não sendo ‘in loco’, você já parou pra pensar que há pelo menos 20 categorias para uma equipe de comunicação cobrir? E que não temos como carro-chefe o automobilismo brasileiro, mas geral? Ou que é difícil agradar os seus anseios? Leia a Revista Warm Up, por exemplo. Já leu? Sempre damos matérias das mais variadas categorias e pilotos, todas as edições temos entrevistas, de um extremo a outro. E fazemos até mais do que podemos para uma equipe enxuta que trabalha praticamente 24 horas por dia.

            Assim, dispenso seu rótulo de “falso moralismo” só porque você não encontrou a entrevista do Márcio Campos, ótimo piloto, que queria ler aqui. Não podemos fazer um jornalismo customizado a seu gosto. E fazemos dentro das condições que temos sendo o mais isento, honesto e amplo possível.

            Pra completar: se fôssemos ter sua mentalidade de que o automobilismo brasileiro é só turismo, não deveríamos nem citar F3 sul-americana, kart, etc., o que seria ridículo.

    • TurcoMaldade disse:

      http://www.grandepremio.com.br online 24hs por dia.

      Por exemplo, la´você pode ler sobre o Pietro:http://www.grandepremio.com.br/outras/noticias/pensando-na-f1-pietro-fittipaldi-se-junta-a-carlos-slim-e-troca-nascar-pelos-monopostos-em-2013

      Sobre Kartismo (de verdade, não essa várzea): http://www.grandepremio.com.br/allkart/ultimas-noticias

      e por ai vai.

      agora vc vem num blog e cobra postura estritamente informativa? acho que vc não conhece o conceito de blog…

      • Ronaldo disse:

        Essa notícia sobre o Pietro é super recente… de abril! Enquanto isso já estreou na F4 e na F Renault, e aí? Sobre kartismo, o allkart é uma excelente fonte, mas quem produz aquele conteúdo não é o GP.

        Estou criticando o editorial do GP, como consumidor, leitor, leigo, cidadão comum, amante do esporte, e não necessariamente discordo com o posicionamento do editor nesse post específico. É algo que me ocorre há tempos, e o canal que escolhi para entrar em contato com editor foi esse, já que o fale conosco do site não funciona.

        Não lembro de ter questionado a integridade profissional de ninguém, a qualidade das matérias (exceto a cobertura da Stock, específicamente em Brasília), mas pelo contrário, sou leitor assíduo por obter grande quantidade de informação. O que estou falando e repetindo é que o tom é de crítica, na maior parte das matérias, me parece exagerado.

        E quando escrevo para o editor, com minha crítica (independente que seja em seu blog, casa, trabalho, academia, escola dos filhos; dane-se o lugar, a pessoa que está recebendo a mensagem é a mesma), de que o conteúdo do site apela para agressividade na maioria das pautas, o que recebo é uma “recomendação” para aprender a ler/interpretar. Acho que posso recomendar o mesmo.

  19. Filipe Calado disse:

    Victor,
    Boa Tarde,

    O fato que aconteceu ontem a tarde foi mais que lamentável e merece toda a nossa indignação. Porém, acho importante salientar que esse evento era totalmente CLANDESTINO. Não havia chancela nem aprovação de nenhuma federação ou clube de automobilismo.

    No contexto da situação, não tem NADA que fosse positivo no evento. A estrutura ridicula, atendimento idem, segurança inexistente total. Um “piloto” que se sujeita a participar desse tipo de coisa, é tão ou mais irresponsável do que quem organiza.

    Hoje, Pernambuco tem um Kartódromo Oficial (Kartodromo Tamboril) com toda a estrutura necessária para esse tipo de evento…mas infelizmente, existem os “espertos” que querem aparecer e ganhar dinheiro (?)…

    Enfim, isso nos envergonha muito. É triste, é revoltante.

  20. É lamentavel,que em um país aonde o automobilismo é uma das maiores paixões ,ainda se veja este tipo de campeonatos promovidos por pessoas não autorizadas em locais não autorizados pelas entidades reguladoras do Esporte.
    - Vc que é piloto,ou quer ser,quando for competir é imprecindível que veja qual a entidade organizadora e se a mesma,possui permissão da CBA para tal evento.
    - O desfecho,está aí.O esporte perdeu um atleta e a família perdeu um ente mui querido.
    - Até quando ???

  21. Rafael disse:

    É uma insanidade esse tipo de corrida de Kart, com motores 125cc, ocorrerem em pistas de rua. Eu, nos idos de 16 e 17 anos de idade, corri várias dessas corridas de rua aqui em Brasília (Copa GDF de Kart) e as condições de segurança eram muito parecidas. Hoje, aos 29 anos, consigo enxergar a insanidade que é andar a 140km/h nessas condições, não faria isso novamente jamais…

  22. Mas nem precisa ser ateu para não engolir essa. Fosse assim, todos as tentativas de suicídio seriam miraculosamente impedidas, uma vez que Deus não quer que as pessoas se matem.

    É de uma tremenda cara de pau essa desculpa esfarrapada, tentar esconder a burrice, o risco que eles criaram culpando Deus. Ao menos dentro da doutrina católica, Deus nos deu o livre arbítrio, o que significa que podemos fazer o que quiser, inclusive se matar, correr riscos ou colocar outros em risco. Ele não irá intervir, pois foi algo que você quis fazer.

    Se o judiciário do país deixar de ser a piada que é, e ao invés de se preocupar com liminares e afins para aparecer e fazer juízes famosos, coloca esse Diego na cadeia por homicídio doloso, uma vez que ele assumiu o risco de matar alguém ao fazer uma corrida de kart naquelas condições.

  23. Luiz Ronaldo disse:

    Mas o mal desse país é justamente largar tudo ao “deus dará”. Quer que a providencia divina tome conta? Nós também temos que ajudar.

    Vergonha também o comportamento do público. Mais vale o registro pro Youtube do que o resgate ao piloto. O bando de abutres simplesmente sufocou o acidente, e deveria sim ter havido uso de truculência pra afastar os curiosos. Assustador uma AMBULÂNCIA ter que abrir caminho em meio à massa.

  24. Thiago disse:

    que Porrada meu!

  25. Thaigo disse:

    Nossa, tem postes ao lado da pista, e uma barreira de pneus com pouco mais de 50cm de altura… nem nos kartódromos amadores nos estacionamentos de shoppings eu vi isso…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>