Filhos da Punta del Este, 4

F

Momumento al Ahogado

PUNTA DEL ESTE | É comum a gente despencar da cama para cobrir um fim de semana de corrida, mas ainda estamos para assimilar essa coisa de fazer tudo em um dia só, como é o caso deste sábado aqui em Punta del Este. O negócio em si parece bacana, apesar da dificuldade de se compreender o som ou qualquer coisa que o carro gere neste sentido. Os treinos livres começaram às 8h15 numa pista que não desperta nenhuma paixão — apesar de falarem que seria a nova Monte Carlo; por enquanto, é só porque é estreita.

O acesso para a pista se dá na avenida beira-mar, de fronte para a rodoviária da cidade, e é obrigatório passar pelo Monumento al Ahogado ou La Mano. Afogados ou mão, é uma escultura feita há 32 anos por um artista chileno, Mario Irrazábal, que simboliza o perigo de afogamento nesta parte da Praia Brava. Naquele 1982, Punta del Este promoveu um concurso para que diversas esculturas fossem feitas para simbolizar a cidade. Só os cinco dedos sobreviveram.

Irrazábal acabou catapultando sua carreira com esta obra e a levou para o Deserto do Atacama, em seu país, e em Veneza, com o significado da presença do homem na natureza. Este blog também é cultura e arte.

A foto é d’hoje de manhã. De uma cidade que não está acostumada a acordar antes das 8 ou 9 nem que o prefeito decrete.

Sobre o Autor

Victor

Jornaleiro, dinamarquês, bebum, calhorda, galhofeiro, mulambo e autor de selfies com urnas. Tô sempre no Grande Prêmio e às vezes na ESPN

1 Comentário

Deixe uma resposta para perna quebrada Cancelar comentário

Por Victor

O dono da bola


É jornalista, palmeirense, dinamarquês por opção e sempre pensou que ia ter de cobrir futebol antes de chegar ao automobilismo, que acompanha desde os 7 anos. E desde que se formou, está na Agência Warm Up e no Grande Prêmio, isso há mais de 13 anos. Neste tempo, foi colunista do iG, escreveu para 'Folha de S.Paulo', 'Lance!' , 'Quatro Rodas' e 'Revista Audi', foi repórter da edição brasileira da 'F1 Racing', cobriu F1, Stock Car, DTM, a Indy e quatro edições das 500 Milhas de Indianápolis, e outras categorias ‘in loco’. Agora também é comentarista dos canais ESPN. Conheceu cidades como Magdeburgo, São Luís, São Bento do Sul e Nova Santa Rita, traduziu um livro da Ferrari e já plantou um monte de árvores. Tem quem fale que seria um grande ator, mas ter ganhado o Troféu ACEESP 2011 como 'Melhor repórter' da imprensa escrita mostrou a escolha menos errada. Adora comida japonesa, música eletrônica e odeia ovo, ervilha e esperar. “Necessariamente nessa ordem", diz.
ASSINE O RSS

Arquivos

Categorias

Tags

Twitter

Publicidade

Facebook

Publicidade