MENU

29 de junho de 2019 - 15:32F1

FIA (da mãe)

Danny

SÃO PAULO | Como diria a solerte Nathalia de Vivo, a FIA e a Fórmula 1 nos dão motivos suficientes para debater e criticar no Paddock GP. Só que não dá para esperar até terça-feira para explicar o sistema de punição que conseguiu fazer a soma mais burra de todos os tempos, em que 2 + 3 não dá 5, mesmo dentro do formato abestalhado que a entidade criou anos atrás.

As penalizações no grid são um porre completo e chegaram a ter aberrações como a de 90 ou 100 lugares nos tempos em que Honda e McLaren fingiam se amar. Tentaram modificar o sistema, só que as quedas de posições seguiam acontecendo a rodo.

Nesta temporada, até que a coisa caminhava sem muitos percalços porque não haviam sido feitas tantas substituições de peças. Chegou na Áustria, e o negócio descambou. Albon e Sainz já sabiam que perderiam a vida e nem teriam por que treinar cônscios de que largariam no fundo do grid. Magnussen ia ganhar um +5 por troca de câmbio; Russell, +3 por atrapalhar Kvyat no Q1; e, por fim, Hamilton um +3 por atrapalhar Räikkönen.

Importante salientar um ponto: o item ‘c’ do artigo 35.2 do Regulamento Esportivo segue estabelecendo que as punições são aplicadas na ordem em que surgem, de modo que a de Hamilton é a última a ser contada no grid.

myWorld

Assim, a de Magnussen vem antes, o que lhe jogaria para 10º, fazendo Vettel subir um posto e indo para 9º. Norris, que subiria para 5º com a punição de Magnussen, passaria a ganhar mais um posto e ir para 4º, já que Hamilton desceria de 2º para 5º.

O próprio rapaz da McLaren chegou a celebrar no Twitter.

Parecia simples este caso, não? Pois é. Não. Porque a FIA divulgou que Hamilton larga em 4º e Norris em 5º.

Há uma nova normativa para esta patacoada. E, acredite, é tosca a ponto de não se conseguir fazer entender por palavras.

Agora, a punição acontece assim — e vou pegar pelos 10 primeiros, o Q3, para que não confunda ainda mais. O grid, em pista, foi assim:

1) LEC
2) HAM
3) VER
4) BOT
5) MAG
6) NOR
7) RAI
8) GIO
9) GAS
10) VET

Magnussen cai cinco posições. Mas os demais nomes não sobem, como seria comum. A posição de Kevin fica VAGA no grid, e ele passa a ficar AO LADO da posição do piloto que está ocupando seu novo lugar. Sim. É isso. Assim:

1) LEC
2) HAM
3) VER
4) BOT
5) 
6) NOR
7) RAI
8) GIO
9) GAS
10) VET | MAG +5

Daí tem a punição de Hamilton, que sai lá de 2º para ir para 5º.  Assim, Hamilton passa ao lugar onde estava Magnussen e não tem ninguém, deixando VAGO seu posto original. Fica:

1) LEC
2) 
3) VER
4) BOT
5) HAM +3
6) NOR
7) RAI
8) GIO
9) GAS
10) VET | MAG +5

Aí as punições são encerradas. Só assim há o ajuste. E, então, a aberração matemática e lógica:

1) LEC
2) VER
3) BOT
4) HAM
5) NOR
6) RAI
7) GIO
8) GAS
9) VET
10) MAG

Se eu bebesse, já teria aberto uma cerveja. Litrão. Pensando em tomar o segundo (não vago).

7 comentários

  1. Cristiano disse:

    Imagina o Galvão explicando…

  2. Helmut disse:

    Mãe da Mercedes só se for
    Incrível como todas as decisões convergem a favor. Mesmo quando tem punição não é tão punido assim, inventam um jeito esquisito de calcular a punição

    • Marlos disse:

      Cara
      Mas essa regra existe
      Não foi inventada pq Lewis foi punido
      É cada uma que chega a ser inacreditável
      Como se larga em quarto ou quinto fosse mudar o campeonato

  3. Felipe disse:

    Por essa explicação, Magnussen tinha que ser 9º.

  4. Leo disse:

    Perai então Victor…..se o piloto é primeiro no grid….e sofre uma penalidade de uma posição….ele continua em primeiro?

  5. Jeferson Araújo Pereira disse:

    Nos anos 60, quando eu fiz o curso primário, eu aprendi que 2 + 3 dá 5.Depois de tanto tempo, acho muito ruim constatar que a FIA também tem poder para mudar as leis da matemática. Terei dificuldade para conviver com o fato de que agora 2 + 3 não dá 5.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *