MENU

8 de julho de 2011 - 11:56F1

Team GB

SÃO PAULO | Choveu à la Inglaterra em Silverstone hoje, e pilotos e equipes ficaram meio acabrunhados e temerosos de andarem a pleno durante os dois treinos livres. Bastou uma melhoradinha, e todo mundo se lançou à pista. No primeiro treino, lá esteve Webber na frente e no segundo, deu Massa, no ciclo das voltas rápidas em sequência com o trilho formado. O australiano acabou o dia como o mais rápido. Mas uma sexta-feira nestas condições adversas pouco vale.

A previsão é sempre imprevisível lá, diria Felipe Paranhos, então é sempre complicado avaliar se as práticas de hoje tiveram, de fato, efeito para o fim de semana. Alguns institutos apontam que a pista deve estar molhada amanhã, mas menos que esta sexta; outros pendem para a melhoria das condições. Num sentido, a chuva vai acabar atrapalhando a análise geral de como os carros vão se comportar sem o difusor aquecido, se realmente a Red Bull vai ser afetada ou se a ordem da F1 tende a dar uma chacoalhada. Por outro lado, aproxima mais quem tem um equipamento mais limitado em mãos, casos da Mercedes e de Kobayashi, o Mito, segundo e terceiro, respectivamente. Schumacher veio bem, tal como fizera no Canadá em condições similares. Vettel fez o basicão. Aí chega amanhã, e todos sabem o que acontece.

Fato é que Silverstone é do tipo de circuitos que dá gosto de ver corrida. Circuito, em sua essência, seja lá qual for a condição climática. E agora com suas novas instalações, mudaram a reta de largada/chegada. Meio estranho ver os pilotos contornando a Woodcote e não completando a volta ou a Copse sem abri-la. Nada que vá mudar o rumo da vida, mas imaginem a reta oposta de Interlagos passando a ser a principal. É como mexer com nossos mitos.

9 comentários

  1. Anchor disse:

    Siverstone, Hockenheim, Spa, Suzuka, Monza sao a F1 assim como a Ferrari, Mclaren. Mudar para se atualizar e nescessario, mas nao demais. Interlagos tambem entra na lista, nao tem a estrutura das pistas novas mas o que importa sao corridas, o publico. Esta na hora de uma reforma de verdade como fizeram quando incluiram o S do Senna.

  2. Anderson disse:

    As corridas em Silverstone são quase invariavelmente chatas. Circuito estilo F1, onde todo mundo admira o traçado e a procissão, a competição que é bom mesmo fica às paradas de troca de pneus, quando tem competição.

    Provavelmente não assistirei a corrida. F1 já deu.

  3. André disse:

    No Autosport estão dizendo que limitaram o blown diffuser a apenas 50% da abertura, e que a Red Bull usava apenas 45%, e poderá ter um ganho de 5%, ao invés de perder. Será?
    André / Piloto no http://www.f1bc.com

    • highdownforce disse:

      É mais complexo que isso, e a decisão só será tomada amanhã de manhã.

      O motor Renault soprava altos percentuais SEM precisar queimar combustível. E isso já era feito lá em 2009 pois foi uma das soluções encontradas para ajudar a resfriar o equipamento e ajudar com alterações nas rpm’s nas trocas de marchas.

      Há quem diga que o percentual de gases variava de 20% à 68% ou mais. Daí um certo gênio na RBR decidiu que poderia aproveitar esses gases para soprar o difusor. Nasceu o EBD da equipe, e este truque agora apelidado de Cold Blow (sopro frio).

      Já os clientes dos motores Mercedes perceberam o truque da Renault e desenvolveram uma versão levemente diferente do princípio, já que o freio-motor dos Mercedes exigia que 4 cilindros executassem um ciclo a mais de forma retardada, com combustível sendo queimado já na fase de exaustão. Por falta de nome melhor, apelidou-se esse efeito de Hot Blow.

      Ambos os fabricantes de motores começaram a exagerar e os difusores aquecidos, soprados ou seja lá como queiram chamar se tornaram, digamos, abusivos do ponto de vista da aerodinâmica. A FIA inventou um número qualquer 10% a 12k RPM e 28% a 18k RPM.

      Isto porque a Mercedes (não o time, a fornecedora de motores) alegou que precisava de pelo menos 10% de hot blow para fazer o motor funcionar direito. A Renault (motores) foi até a FIA e disse que precisava de uma dispensa para soprar 50% de cold blow. Além da confiabilidade do motor a FIA deixou pois entendeu-se que a Mercedes estaria tendo uma certa vantagem, já que os Renault não poderiam realizar o hot blow.

      Porém, a dispensa aos motores Renault só foi anunciada hoje, no início dos primeiros treinos. E uma regra que era para ser de 10% para todos virou 50% para Renault e 10% para o resto. A divisão de motores da Renault porém argumenta que os 50% dela equivalem aos 10% da Mercedes, pois o hot blow seria mais eficiente. Algo que os clientes Mercedes repatem dizendo não ser verdade. E copmo vc mesmo disse, 50% era um valor que a os Renaults só usariam eventualmente e não sempre.

      Amanhã cedo possivelmente ouviremos que tudo volta a sercomo em Valência e que esta regra não poderá ser aplicada de forma justa.

      Isso ou o couro come.

  4. highdownforce disse:

    Ô seu Martins, a redação está ocupada preparando o texto ou assim como os resto da mídia brasileira vocês não pescaram a confusão ente Christian Horner e Martin Whitmarsh na conferência de imprensa hoje?!

    A FIA fez uma cagada na delimitação do gases sobre os difusores e os motores Mercedes ficaram com uma permissão de 10% para gases aquecidos e os Renault com 50% para gases frios. Sendo que a permissão à Renault chegou com 17 minutos de treino rolando.

  5. Antonio Eduardo Gomes disse:

    … e em falar de mitos, Koba-mito, é mito até nas pancadas!!!!! Ele deve ser da mesma linhagem de pilotos que, para o carro andar melhor e mais rápido, precisa levar umas pancadas…. tipo aquelas Brasilias velhas que só pegam no tranco. Em épocas de Vettel, Viva Kobayashi!!!

  6. marcão disse:

    Vc tem razão !!
    Eu temo muito !!!
    Quando vc fala em mitos…
    Tem até um “””esboço””” de projeto pro Templo em que os cartólas sugerem exatamente isso..
    Boxes, largada e tudo mais na reta oposta….
    Mas lá a coisa é diferente, é realmente pensado planejado, quando mudam fica bom, fica melhor, mais seguro… Lá é Silvastone…
    Aqui não, quanto mais fuçam mais estragam…

    • Zé Henrique disse:

      Marcão, não tinha pensado nisso, mas é uma idéia pra resolverem o problema de Interlagos em relação à área para o paddock,

      Turma do G vai ver a largada!!!

  7. João (Portugal) disse:

    Confesso que ao ver o treino livre de hoje, o segundo, mesmo depois de saber que a configuração do circuito tinha sido mudada e já depois de ter “aprendido” a pista, fiquei sempre confuso ao ver os carros passarem na antiga recta da meta e não acabarem a volta :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>