MENU

9 de fevereiro de 2012 - 14:16F1

A estreia de Bruno

SÃO PAULO | 126 voltas, e Senna foi quem mais andou no terceiro dia de testes da F1 em Jerez. Foi a primeira vez de Bruno com um carro da Williams. Ficou com o oitavo tempo, 3s6 atrás da Mercedes véia de Rosberg. As primeiras reações do brasileiro — a equipe já falou em “dia muito produtivo”, diferente da Ferrari, que parece estar no limbo — foram positivas. “Foi um bom dia, que representou não apenas o primeiro teste pela Williams como também a primeira chance de iniciar uma temporada completa na F1. Tínhamos uma agenda de trabalho bastante extensa e conseguimos realizá-la inteiramente”, disse.

Senna também se mostrou feliz pela “prova da resistência do FW34″, uma quase vencedora da prova do líder do BBB, que “deu a chance de entender melhor o seu comportamento, avaliar todos os seus sistemas e também o novo motor Renault”. Vejamos daqui pra frente. Como diria um mestre, “não dá pra acreditar 100% em ninguém na pré-temporada da F1″.

Eis algumas fotos do debute, cortesia da equipe e da MF2.

60 comentários

  1. Jorge Valenzuela disse:

    Desejo toda sorte ao Brunno Eike $enna.

  2. Com o resultado final dos testes desta semana, deu pra ver que a Willians parece que não está bem, e está tão mau quanto no ano passado. Mas com é começo de temporada, vamos esperar que as coisas mudem. Só pra não deixar de falar dele, o Rubens é claro,, pelo jeito não perdeu muita coisa saindo da willians. E a formula um é assim, o Bruno terá que se conformar com a capacidade do carro,, se o máximo do carro for um 10 lugar, ele com o maior talento que possa ter, e com algum milagre, chega em 8 ou 9, porque tem sempre alguma possibilidade de quebra dos ponteiros,, ra ra ra… Mesmo que tudo seja muito bom pra Willians, não acredito que supere as 3 melhores, ferrari, red bull e macLarem , então com muita sorte é carro pra 7 pra traz.. infelizmente. abraços a todos..

  3. Fabrizio Petecof disse:

    Claro que todos vamos torcer, uns mais outros menos. E claro que a tendência é que nada de empolgante aconteça com o Bruno! O cara tem 10 anos a menos de experiência que a maioria que está lá, e não tem nenhum talento nato como o tio.

    Portanto, o melhor é não criar expectativa mesmo. O que vier é lucro…

    E torcer pro segundo piloto vermelho garantir alguns Domingos pelo menos…

  4. Will Mesquita disse:

    É falar de Bruno, Felipe e de Rubens é difícil demais por aqui. Não vou nem tentar. Só desejo sorte aos 3. e que venha o Nasr.

  5. Carlos Eduardo disse:

    O fato é que a Williams pôs o primeiro sobrinho para rodar…

  6. Marco Viana disse:

    Vamos torcer para o Bruno na F1 e o Rubens na Formula Indy. Acima de tudo, somos brasileiros campeões como Emerson, Senna, Piquet. Gil de Ferran, Cristiano da Mata. Vamos acelerar juntos

  7. Joao disse:

    Pura matemática!

  8. Joao disse:

    Sebastian Vettel + Karun Chandhok / 2 = Bruno Senna

  9. MotorBR.com disse:

    na boa, nada contra o Rubens…mas por que temos que falar dele em todos comentarios?

    • Henrique Galleazzi disse:

      Pq querendo ou n todos torcem pra ele, as vitórias dele sempre foram mais “emocionantes” do que as do Massa, etc. A F1 vai sentir falta dele, e até os criticos vão sentir falta dele… eh por isso que colocam sempre ele no meio.

    • Maxwell B. Medeiros disse:

      Inevitável, já que o Bruno ficou na vaga dele(eu disse “ficou”, e não “tomou”, antes que apareça algum chato). Se o bruno andar mal, vão dizer que o barrica era melhor. Se andar bem, vão xingar o rubens.

      Sempre vai aparecer alguém para falar do Rubens. Bem ou mal.

    • Joel Teixeira disse:

      As Barricheletes estão em polvorosa com o pé no toba do ídolo….

  10. Jacaré e Capivara do Tietê disse:

    O rubinho não é maior nem que a Serena (1,78) e nem que a Venus Williams (1,85). Da pra comparar com o Robin Williams que tem 1,72 m. Diferente de mim que nem tenho, o que ele tem de maior é bunda, aquela que apaga a estrela!!

  11. Ricardo Arcuri disse:

    Pelo menos o carro tem confiabilidade. Nao da pra esperar nada ainda, mas andar sem quebrar logo de cara é bom sinal. Esperar pra ver!

    • Maxwell B. Medeiros disse:

      Concordo. E o fato deste primeiro treino priorizar o equipamento, deixando em segundo plano o tempo, podemos levar em conta de que o carro parece confiável. Em Jeréz é poderemos ter uma idéia melhor.

      Outro ponto positivo é o Bruno ter sido o piloto que mais andou na quinta e na sexta. Precisa de quilometragem(o máximo que puder) para se acostumar com o carro.

  12. Erick disse:

    Como tem gente que consegue falar que prefere o “Rubinho” que o “sobrinho”??? Barrichello é muito maior que a Williams… se fosse para continuar ele merecia uma Macllaren no mínimo… quanto ao Bruno, está no lugar certo… pilotos estreantes e com expectativa com uma gigante falida que tenta reeguer seu império com sangue novo… acho otimo o caminho que Rubens está tomando(indy) e, cá entre nós… o automobilismo é o esporte mais imprevisível do mundo, e a F1 está no topo… quem diria a seis anos atrás que a Red Bull seria uma dominante? Tudo pode acontecer e como disseram ai pra cima, vamos apoiar e torcer tanto pro RB na indy quanto pro bruno na Williams…

  13. felipe disse:

    quanto ao bruno torço mto por ele mais nao vejo num piloto pagante grandes pespectivas tomara q eu esteja errado boa sorte senna

  14. felipe disse:

    quanto ao massa em especifico oq posso dizer de um cara q toma 200 pontos de desvantagem para o seu companheiro em uma só temporada ridículo nao???????????????? nao merece a vaga q tem na ferrari no maximo uma force india quem sabe

  15. felipe disse:

    todo mundo detonava o barrichello mais já ouvirao aquela historia só quando c perde é q damos valor sem ele na f1 é q vamos saber valorizalo pq massa e bruno hummmmmmmmmmmmmmm fala serio né

  16. Marcelo disse:

    Bruno Senna só fica na F1, até o dinheiro acabar! Sua grande chance de mostrar algum talento estava em uma equipe média em 2011, se fosse um piloto diferenciado dava para bater Petrov, nem isso conseguiu. Não vai ser na Williams que vai conseguir impressionar, não se iludam com a rasgação de seda do trio global, que acha que Bruno pode impressionar, isso só aconteceu(algumas vezes) na classificação em 2011, e isso não basta!

    No geral, o sobrinho foi um fiasco nas oitos corridas na Renault, por isso perdeu a vaga, nem mesmo Petrov que foi melhor conseguiu ficar, mostrando que as equipes do meio do pelotão daqui pra frente, só querem saber de pilotos acima da média, só trazer dinheiro não basta, Senna e Petrov ficaram longe das ambições da equipe, tanto que contrataram o suposto “enferrujado” Kimi , e deram nova chance a Grosjean, agora pronto pra F1.

    GP Bélgica:
    Bruno largou em 7º com pneus soft, manteve a posição até a primeira curva, mas jogou a corrida fora em uma pixotada tirando Alguersuari da prova, com a “asa” danificada foi para os boxes, voltou em 22º, depois foi punido pela batida com Jaime. Petrov em corrida sem afobação, largou em 10º e chegou em 9º, marcando 2 pontos.

    Comparação Melhor volta na corrida:
    Petrov 1’52”432
    B.Senna 1’53”585

    Não adianta nada Bruno ser rápido em treino e jogar a corrida fora, na exigente F1 ser rápido é obrigação, pra equipe o que vale mesmo é velocidade e precisão durante a prova.

    GP da Itália:
    Largou em 10º com pneus médios, perdeu 2 posições na largada, mas com esse jogo de pneus é até normal acontecer isso na largada-primeira volta. Na confusão feita por Liuzzi na chicane(tirou Nico e Petrov da corrida), Senna deu azar e perdeu mais posições. Safet-car na pista, era a chance que Bruno apostava antes da corrida. Ele não foi ao Q3 para economizar um jogo de pneus macios. Na corrida precisava trocar os médios o mais rápido possivel, Senna foi para os boxes, colocou pneus macios e voltou a corrida em 18º. Pode parecer grande prejuízo pra quem largou em 10º, mas com Safet-car Senna saiu na vantagem, só usaria pneus moles até o final da prova, a maioria dos rivais teriam que usar pneus médios em algum momento da corrida. E é isso que acontece faltando 9 voltas para o fim, Bruno ataca Buemi que estava mais lento com os pneus médios,já gastos. Na volta 45 Bruno quase joga a corrida fora batendo na traseira de Buemi na 1º Di Lesmo(causando susto em Alesi nos boxes e um infarte no Galvão), Senna estava prudente, mas ansioso na pista. Na volta 46 a equipe pede para ele forçar em Buemi(Bruno tinha chance de buscar Di Resta, também com pneus médios). Na volta 48 Bruno passa Buemi, e o trio parada dura da Globo vai ao delírio de forma exagerada. R.Leme dispara: “Tá como se andasse na F1 a muito tempo”.

    Oras, era obrigação Bruno passar Buemi e ir atrás de Di Resta! Para se ter uma idéia, na volta 51, Buemi e Senna fizeram suas melhores volta na corrida.

    Senna 1’26”895
    Buemi 1’28”202

    Para ter uma base, a melhor volta do vencedor(Vettel) foi 1’26”557 na volta 49. Bruno e a equipe acertaram na estratégia, mas também deram sorte da prova ser interrompida logo no início com safet-car, mas era isso que eles apostavam no Q3(chicane em Monza sempre acontece trapalhadas). Outra sorte foi Petrov, Rosberg e Webber abandonarem, mas isso é corrida, azar de uns sorte de outros. Bruno dessa vez não errou na corrida e chegou aos pontos.

    Melhor volta na corrida:
    Petrov- Liuzzi o tirou na 1º volta.
    B.Senna 1’26”895

    GP Cingapura:
    Largou em 15º com pneus super-soft, ganhou 1 posição na primeira volta, mas terminou em 15º. Petrov largou em 18º e terminou em 17º, péssima corrida da Renault, muito por culpa do carro que não rendeu nada nessa pista, Bruno novamente não errou na pista chegando a frente do russo. É nessas horas que a equipe esperar muito de pelo menos um dos pilotos, nada aconteceu.

    Melhor volta na corrida:
    B.Senna 1’53”774
    Petrov 1’54”204

    GP Japão:
    Largou em 9º com pneus médios, mas errou na saída da 1º curva caindo para 13º na primeira volta, acabou em um péssimo 16º. Petrov que largou em 10º, superou Senna na corrida chegando em 9º, marcando 2 pontos.

    Melhor volta na corrida:
    Petrov 1’37”053
    B.Senna 1’38”407

    GP Coréia:
    Largou em 15º com pneus soft, mas com uma péssima largada caiu para 19º na primeira volta, na corrida ficou boa parte do tempo em 16º, chegou em 13º muito graças ao abandono de Schumacher e Petrov. Outra corrida ruim da Renault, mas ao contrário de Cingapura, dessa vez pelo menos um carro estava bem no final de semana. Caso de Petrov, que foi bem na classificação, na corrida estava em 8º, mas em disputa com Alonso acabou batendo em Schumacher, pelo menos o russo arriscou, ele tinha que mostrar algo mais. Bruno não conseguiu tirar nada do carro na classificação ou corrida, Petrov ia muito bem até bater e abandonar. Fiasco total da Renault no final de semana…

    Melhor volta na corrida:
    B.Senna 1’42”549
    Petrov 1’45”469

    GP da Índia:
    Largou em 14º com pneus soft, e finalmente ganha muitas posições na primeira volta(4), na bandeirada Senna chegou em 12º(Petrov superou Senna no treino de classificação, mas perdeu 5 posições no grid). O problema é que, o russo largou em 16º e chegou a frente do sobrinho na corrida, foi 11º. Petrov fez o mesmo que Senna na ITA, largou com pneus médios para se recuperar no final da prova. Senna fez o contrário, e nas voltas finais era 9º, mas teve que para para colocar os pneus médios voltando atrás do russo.

    Melhor volta na corrida:
    Petrov 1’29”289
    B.Senna 1’29”310

    Abu Dhabi:
    Largou em 14º com pneus médios, mas fez uma primeira volta muito ruim caindo para 18º(o sobrinho é fraco de primeira volta), na corrida tomou punição por atrapalhar carro mais rápido na pista, na bandeirada chegou em um péssimo 16º, Petrov novamente foi melhor que Bruno, largou em 12º e chegou em 13º.

    Melhor volta na corrida:
    Petrov 1’43”673
    B.Senna 1’46”150

    Brasil:
    Largou em 9º, manteve a posição na primeira volta, mas foi afobado na disputa com Schumacher(foram 2 toques, o primeiro ainda passa como disputa por posição, mas depois Bruno fura o pneu do carro do alemão, esse segundo toque dava para evitar). Senna acaba punido, chegando em um péssimo 17º lugar!!! Pra piorar, Petrov fez boa corrida, largou em 15º chegando em 10º. Em confrontro direto com Senna, era a terceira vez que o russo marcava pontos em GPs, Senna só marcou pontos em uma corrida, GP da Itália. Schumacher estava mais rápido que Bruno, ia passar de qualquer jeito, o sobrinho quis fazer um bonito pra torcida em cima do alemão e jogou a corrida fora, sua briga era com Petrov que estava atrás, faltou inteligência ao sobrinho no GP Brasil.

    Melhor volta na corrida:
    Petrov 1’17”011
    B.Senna 1’18”274

    Galvão e a pachecada se deslumbravam com as melhores colocações de Senna nas classificações: 07º,09º,09º,10º. Só que, Petrov não ficou devendo foi: 07º,08º,10º,10º. O russo também cometeu erros, mas no geral bateu o sobrinho, até de forma fácil.

    Bruno não foi bem, errou muito, teve batidas em treinos, fez largadas ruins, teve 3 penalizações em 8 provas o que é muita coisa. Em alguns GPs era nítido a falta de ritmo com pneus soft, Bruno ainda não tem a corrida na “mão”, foram as primeiras provas pilotando no meio do pelotão, o que não é fácil, mas a pachecada esperava muito mais. Em 2012 Bruno vai ter que optar por fazer corridas mais pela inteligencia que raça, prova disso foi o GP da Itália onde era 18º, e chegou em 10º. No GP Brasil tentou tentou ir pela raça e jogou a corrida fora.

    Em disputa direta com o sobrinho, o russo teve 3 péssimos resultados nas últimas 8 provas, um 17º e dois abandonos, mas um deles não teve culpa, GP da ITA. Senna foi até pior que o russo, teve 4 péssimos resultados: 15º,16º,16º,17º. De bom, Petrov pontuou em 3 corridas: 9º,9º,10º, Senna só teve um resultado positivo, um 9º lugar.

    Bruno vs Petrov:

    Batalha no Q3:
    Senna 4 x 4 Petrov

    Batalha de Grid:
    Senna 5 x 3 Petrov

    Batalha em corridas:
    Petrov 5 x 3 Senna

    Pontuação no mundial:
    Petrov 5 x 2 Senna

    Corridas pontuando:
    Petrov 3 x 1 Senna

    Em treinos ficou 5 x 3 para Senna, mas isso só foi possível porque Petrov tomou punição na IND(perdeu 5 posições), nessa classificação Petrov foi 11º(melhor que o brasileiro), mas teve que largar atrás no grid. Sem essa punição a batalha de grid ficaria 4×4, mas se teve que pagar punição, paciência, mas na pista Pet ganhou. Outro dado(dessa vez estranho) contra o russo! Na classificação no Japão, os dois pilotos decidiram não participar do Q3, para economizar pneus. No Q2 Petrov foi melhor que Senna, fez 1:32.245, enquanto que o brasileiro fez 1:32.297, mas Petrov teve que largar atrás porque os carros foram classificados de acordo com o número do carro. O mais justo então nessa batalha de Grid seria mesmo 4×4.

    Se Bruno não deu conta de bater Petrov, vai superar quem na F1? O sobrinho já tinha tomado sufoco do Chandok e Klien em 2010! Superar Maldonado em 2012 será pura obrigação!

    Injustiça é o Petrov ficar sem carro em 2012, o russo botou pressão no Heidfeld(foi ao pódio primeiro), e depois bateu o sobrinho! Pagante por pagante, o russo mostrou algo…

    Maldonado que não é bobo, pelo jeito já exigiu posição de líder na Williams, o venezuelano bateu o pé e exigiu participar de todos os testes possíveis, já Bruno teve que aceitar restrições no contrato. Maldonado treinou terça e quarta, Bruno só treinou quinta. E durante a temporada, em todos os treinos de sextas-feiras Bruno vai ter que ceder seu carro ao reserva Bottas. Em época de poucos testes Maldonado já vai levar boa vantagem, vai ter 2 dias para acertar o carro para a classificação, Bruno só vai ter um dia. Pagante por pagante, Maldonado “mão de ferro” pelo jeito, começou jogando duro no contrato!

    • Marcelo Uchoa disse:

      Esses comparogramas gigantescos dao uma preguiça de ler…ainda mais quando é feito por alguem sem embasmento tecnico nenhum….

    • Maurício disse:

      Nossa, quanto tempo sobrando!

    • Fernando Cruz disse:

      Você esqueceu que Petrov fez duas temporadas completas com a Renault enquanto o Bruno fez apenas os últimos 8 GP do ano passado, entrando a meio numa altura em que não há testes durante a época. O russo merecia continuar na F1? Merecia, tal como Buemi e Alguersuari, tudo pilotos que tiveram dois ou mais anos para se desenvolverem nas melhores condições. Mas o Bruno ainda não teve a oportunidade que Petrov, Buemi ou Alguersuari tiveram e merecia tanto ou mais do que eles. Por mérito o Bruno teria entrado com a Honda ou Brawn em 2009. Tinha resultados nas categorias de acesso idênticos ou até melhores do que esses jovens que agora ficaram de fora, mas tiveram a sorte de desenvolver-se antes do Bruno. Com um carro ganhador o Bruno tinha condições para ganhar corridas e lutar pelo título. Merecia mais entrar na Honda ou na Brawn do que o Damon Hill mereceu entrar na Williams como titular em 1993, pois fez muito mais do que o inglês nas categorias de acesso.

      O Bruno tem obrigação de superar Maldonado em 2012? Eu diria que tem pelo menos a obrigação de andar ao mesmo nível do venezuelano. Não esquecer que Maldonado foi campeão de GP2 em 2010 e fez jogo igual com Barrichello o ano passado, apesar de ser estreante. Só Maldonado levou o fraco Williams ao Q3 das qualificações e só ele foi capaz de andar em quinto lugar no Mónaco com um carro tão limitado. Sem o toque de Hamilton teria marcado muitos pontos nessa corrida e terminaria o campeonato na frente do piloto mais experiente da história da F1. Este ano Maldonado já tem mais experiência e portanto vai previsivelmente dar muito que fazer a um piloto que vem de outra equipa. Mesmo Sutil iria ter problemas para o superar.

      Quanto ao fato do Bottas fazer a maior parte dos treinos livres sempre no lugar do piloto que fosse colega do Maldonado, isso já estava decidido. Quer Barrichello, quer Sutil teriam o mesmo problema que Senna vai enfrentar, ou seja, perderiam também a maior parte dos treinos livres para dar lugar ao Bottas. Será que o fato do Maldonado levar tanto dinheiro para a equipa pesou nessa decisão? Acredito que o contrato com a PDVSA do Chavez estipula que Maldonado tem direito a estar sempre no carro, mesmo em todos os treinos livres. De outra forma seria difícil entender que seja sempre o piloto do outro carro a ter de ceder o volante ao piloto de reserva, pois isso nunca se tinha visto até hoje na F1.

      • Fernando Cruz disse:

        Bem, por acaso viu-se que em 2010 só o di Grassi deu o volante ao d’ Ambrosio em 4 treinos livres no final da época, mas nesse caso compreendia-se melhor, pois a experiência do Timo Glock poderia ser mais valiosa para a equipa. Neste caso da Williams de 2012 é mais difícil entender, até porque Barrichello estaria na sua 20.ª temporada de F1 e teria de ser sempre ele a ceder o volante ao Bottas nos treinos livres, caso tivesse sido escolhido para fazer mais uma época com a equipa.

      • Diego Queiroz disse:

        Bruno Senna tá comendo esse Fernando Cruz MESMO

      • Fernando disse:

        Se o B. Senna tivesse entrado na Brawn em 2009 teria feito nada. Aquele carro era um avião, Button continuaria voando com ele e continuaria campeão, mas ao sobrinho sobrariam sextos, sétimos lugares…

        • Fernando Cruz disse:

          O Brawn do início da época era um carro tão bom e equilibrado que qualquer estreante com um mínimo de talento poderia ganhar corridas com ele. Até o Damon Hill ganhou corridas na sua época (completa) de estreia e Bruno Senna fez muito mais do que Hill nas categorias de acesso. Vinha de uma temporada competitiva na GP2 e ganhou no Mónaco e em Silverstone à chuva. Com um carro superior à concorrência teria ainda mais facilidade em ganhar, até porque o Button no início ainda não tinha a confiança que depois foi ganhando. Poderia não ser campeão mas ficaria perto, disso não tenho dúvidas. Um carro dominador facilita muito a vida de um estreante.

          É certo que o Bruno está longe de ter o talento de um Hamilton (que quase foi campeão na estreia) mas tem mais talento natural do que um Damon Hill. A diferença é que o Hill entrou com o melhor carro numa altura de testes quase ilimitados e conseguiu desenvolver-se à custa disso. Nas mesmas circunstâncias o Bruno faria melhor do que o Hill também na F1, tal como fez nas fórmulas de promoção. Não esquecer também que o Hill chegou à F1 com 32 anos enquanto o Bruno ainda só tem 28. Se o Williams for mais competitivo do que foi o ano passado, o Bruno vai poder mostrar o que vale e ainda pode ter uma boa e longa carreira na F1.

    • Marcelo disse:

      Xará você é um mala sem alça!
      Da mesma maneira que você coloca baboseiras no blog do Gomes escreve também no do Victor?
      Você compromete a classe do Marcelos!
      Idiota! Vai dormir filho!

    • Claudio disse:

      Isso te incomoda mais do que as greves das policias militares ? Nossa, que noção da realidade…
      Em tempo, o Bruno Senna não é pago com dinheiro público.

  17. Anderson disse:

    2 pilotos razoáveis e pagantes… Tomara q a grana dê pra melhorar um pouquinho o carro e que o motor Renault se mostre decente.

  18. Julio Lima disse:

    Curiosidade: o tio Ayrton já usou o número 19 na F-1, quando estreou na categoria pela equipe Toleman…

    Que traga boa sorte ao sobrinha e que este faça um trabalho decente na categoria.

  19. Edgard disse:

    Capacidade técnica à parte (que na minha modesta opinião não existe no caso) o primeiro-sobrinho pelo menos em um quesito sempre tem um diferencial, ele é otimista (até demais). Mesmo quando andava na draga da HRT ele saia elogiando a tudo, dizendo que foi maravilhoso e etc. Isso pode ser positivo, no campeonato.
    Agora, sinceramente falando? Dois pilotos ‘braço-duro’, sem muito feed-back, em uma equipe sem grana, com motor novo e diferente e um carro a ser desenvolvido do zero, vai ser difícil arrancar alguma coisa. Nem os platinados mais eufóricos vão conseguir levantar essa draga…

    • Andre L disse:

      e sendo pessimista tu vais a algum lugar cabeçao?
      sendo pessismista tua chance de se dar mau beira 100%
      sendo otimista tu sempre arranca um melhor resultado, capiche ?
      gera uma melhor energia e ajuda a todos e tudo ao teu redor

      • Edgard disse:

        ô guru, eu falei que o cara é meio otimista de mais ou então aspira oxigênio demais.
        Pessimista é quem escreve um comentário pra arrazar a manifestação dos outros.
        Pelo jeito você faz parte daquela turma que entende que só um sobrenome já é sinal de competência…

  20. André Almeida disse:

    Bruno Senna e Maldonado estão para a Williams quase como Philippe Adams esteve para a Lotus, em 1994.

    • Danilo Candido disse:

      Você pegou pesado, André, kkk…talvez estejam mais como Piercarlo Ghinzani e Huub Rothengatter para a Osella…kkk, piorou !

      • André Almeida disse:

        Não, cara. Não dá pra comparar a Williams com uma Osella. A Osella (que tinha o curioso nome para seu carro de “FA1L”, em 1988), teve como maior mérito ter sido vendida para a Fondmetal, e depois essa se ligou à Minardi, que hoje se chama “Toro Rosso.”

        Se é pra comparar uma equipe que foi várias vezes campeã de construtores e de pilotos, e teve lendas no cockpit como Prost, Piquet, Senna, só com outra que teve um fim melancólico – a Lotus (verdadeira), e que também teve lendas no cockpit, como Clark, Andretti, Fittipaldi, Senna (também), Piquet (também).

        Essa que tá aí é a Toleman (Benetton, Renault) repaginada com o nome de “Lotus”, mas sem pedigree nenhum.

        É baseada em Enstone, sem nenhuma ligação com Hethel, sede original da Lotus.

        • André Almeida disse:

          Não esquecendo que a Osella tem o garboso resultado de retumbantes CINCO pontos em toda sua história.

          Bom, melhor que a HRT e Marussia eles foram…

          ;D

          • Kiko Prada disse:

            Cinco pontos quando pontuação ia até o sexto colocado. Seria legal se alguém que tivesse tempo e habilidade com planilhas refizesse as tabelas de classificação com as diversas regras de pontuação da F1. Aí sim poderíamos fazer comparações de pontos.

    • Andre L disse:

      hummmmmmm…..

    • Fernando Cruz disse:

      Esse comentário só pode ser brincadeira.

      Damon Hill entrou na Williams como titular em 1993 com muito piores resultados do que Bruno Senna e Maldonado nas categorias de acesso. Mas com um carro dominador ganhou corridas e chegou a ser campeão três anos mais tarde. B. Senna e até Maldonado são mais talentosos do que o Hill, a diferença é que não terão um carro ganhador. Brincando também, se Senna ou Maldonado estão para a Williams quase como Philippe Adams esteve para a Lotus, Damon Hill então era pouco melhor do que um tal Tom Jones, um canadiano que ficou a mais de 30 segundos do tempo de Pole do Jim Clark (GP da Àfrica do Sul de 1967) e por isso não foi autorizado a participar na corrida, por constitiur um perigo para os outros pilotos, de tão lento que era!

      • Fernando Cruz disse:

        Bem, talvez eu não tenha entendido o sentido do que escreveu. Você queria dizer que a Williams está perto do fim, tal como a Lotus em 1994? Esperemos bem que não, aliás este ano as coisas só podem melhorar, com a chegada dos motores Renault, técnicos competentes como Mark Gillan e um Maldonado já um pouco mais experiente do que o ano passado. Isto sem falar no potencial de desenvolvimento do Bruno, que também dá um bom feedback técnico e está super-motivado, pelo que a ausência de Barrichello, com todo o seu capital de experiência, não deverá ser muito sentida.

  21. Leandro Moura disse:

    Bruno queria esta chance, agora está em uma equipe com total suporte e acho, como diz o Abner, que devemos dar esse voto de confiança a ele. Quantos outros Brasileiros (Zonta, Burti, Pizzonia) não tiveram as suas? Espero que o Bruno seja rapido e não deixe a F1 ficar sem pilotos brasileiros pelos proximos 10anos. Abraço a todos.

  22. Renato F1 disse:

    Caraca Victor Martins! Mercedes véia??? Não esculacha!!! Quisera eu ter um Mercedes-Benz na minha garagem! Seja o novo Classe A ou o velho Classe S!!!

    • Mario Sérgio disse:

      Ele falou sendo sarcartico Renato, no sentido de que a Mercedes estava utilizando o carro do ano passado, o fez apenas para testar os pneus novos da Pirelli, além dela a HRT fez o mesmo, a Marussia nem isso.

      Ele não esculachou, apenas enfatizou que a Mercedes fez o tempo mais rápido pro que correu com carro do ano passado, que teve uma temporada inteira de desenvolvimento, que eles conhecem bem, e que não precisava de ajustes ou mesmo testes, pois, como falei antes, eles testaram apenas o comportamento dos pneus, assim sendo, é fácil sentar o pé nos pneus super-macios.

      Sem mais…

  23. Maxwell B. Medeiros disse:

    Ainda preferia o Rubinho no lugar dele, ou do Maldonado. Mas mesmo assim, espero que ele faça uma grande temporada e que possa achar seu lugar na F1.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>