MENU

27 de outubro de 2013 - 17:25F1

Índia seus cabelos, 4

SÃO PAULO | O GP de Cubatão na Índia tendia algum interesse por conta da estratégia diferenciada dos quatro caras que largaram com os pneus médios. Mas o principal deles, Alonso, se estrepou logo na primeira curva, junto com outro desta laia, Webber. A parte direita de sua asa dianteira ficou em lascas, e um novo encontrão segundos depois, com Button – terceiro da lista outrista –, pôs fim a qualquer chance do espanhol na corrida. Tanto que nem na zona de pontos terminou aquele que precisava vencer e esperar uma combinação de joana-a-louca para evitar o título de Vettel.

Com duas voltas, Vettel foi jogar fora seus macios, e na parada de Webber, bem mais tarde, verificou-se que o discurso de que tais pneus simplesmente não funcionavam no carro da Red Bull. Aliás, a dança das táticas estava em ver o quanto o australiano teria de defasagem para tentar uma aproximação no trecho final da prova. Mas Webber não tem sorte nem padrinho forte, e justo quando completou 2/3 de prova, premiou o também problemático companheiro com uma conquista perfeita.

Chega de Vettel.

Massa fez uma primeira volta homérica. Passou Webber, como esperado, e entrou embutido nas Mercedes lá no retão do fim do mundo. Hamilton, segundo, chegou a cometer um errinho, que atrapalhou Rosberg e permitiu com que Felipe fizesse um duplo passão para entrar nos melhores momentos do ano. O brasileiro liderou as voltas após Vettel ir aos pits até sua parada. Acabou voltando atrás de Nico, que foi chamado antes e pôde fazer melhores voltas com os pneus novos. Mas conseguiu manter Hamilton atrás de si a prova inteira. O lugar no pódio era bem possível, sobretudo com o abandono de Webber, só que ninguém contava com a perspicácia da tática de Grosjean, que saiu de 17º para ser terceiro. A segunda metade da temporada do Pica-Pau de Polainas merece aplausos. Com pneus mais gastos, conseguiu andar até melhor que Massa – que, com o passar da corrida, tem uma queda acentuada.

De qualquer forma, uma prova que dá uma empolgaçãozinha a Felipe para as provas finais. Vamovê.

Tal como Massa, Pérez chegou em quinto graças a uma ultrapassagem em dois, tendo Hamilton de novo no cenário mais Räikkönen, que se arrastou para chegar ao fim, com direito a uma linda e educada discussão com o engenheiro Alan Permane via rádio. A Lotus ficou putita demais que Kimi atrapalhou Grosjean. As coisas mudam rápido. Kimi é praticamente um segundão lá. E, enfim, o Ligeirinho faz uma prova para tentar se garantir no ano que vem.

Di Resta e Sutil, em estratégias totalmente opostas, ficaram em oitavo e nono: o primeiro parou logo no comecinho enquanto o segundo demorou a vida toda para ir aos pits. Ricciardo, outro que seguiu o esquema Sutil de correr, foi décimo. O GP foi melhorzinho que os últimos, mas também nada que fizesse esfregar as mãos.

O campeonato se resume, nas últimas três corridas, a ver quem é o vice de Pilotos e de Construtores. Alonso, Hamilton e Räikkonen brigam entre si e representam suas equipes na luta para ser a melhor do resto. A Mercedes passou a Ferrari, e a Lotus está bem perto. O próximo circuito é Abu Dhabi, que deve ser de chorar; Austin e Interlagos hão de salvar o fim de feira.

8 comentários

  1. Eric disse:

    Massa nunca se adaptou aos pneus farofa, assim como Schumacher. Basta ver que ele arrebenta no começo do stint e depois sofre.

    Diz a Pirelli que será conservadora ano que vem por causa dos turbos e da falta de testes. Seria a chance para ele?

  2. Essa arenga entre Kimi e seu engenheiro já é uma boa prévia do que veremos ano que vem na Ferrari.

  3. eduardo disse:

    O Massa fez talvez sua melhor corrida no ano mas ficou claro que a Ferrari com pneus macio era uma e com pneus medios era outra muinto inferior,sobre a extrategia a vantaguem de largar com pneus macios é poder largar bem e evitar problemas como Vettel e Massa fizeram,o Perez apesar de insuportavel é um bom piloto e muinta gente mistura a simpatia pessoal com a competencia para comentar sobre o piloto e ele ma minha opinião é o responsavel pela motivação e gara que o Button demostra nesta temporada perdida

  4. José Carso disse:

    Bom Victor, nada em relação ao grande piloto que é Sebastian, mais no entanto não entendo você no post anterior sem nenhuma necessidade de citar Ayrton, afinal o mesmo já se foi a um bom tempo, realizou o que podia em seu tempo, grande campeão como muitos outros,
    um jornalista correto não deveria se pautar por provocações a pessoas que muitas vezes não entendem muito do assunto, e se tornam passionais de mais em relação a determinado fato, se atente a notícia e não a provocações tolas, quanto ao Ayrton ser um espécie de herói fabricado pela Globo insinuado no post anterior parece um tanto quanto ridículo basta apenas olhar neste vídeo nem mesmo produzido no Brasil. http://www.youtube.com/watch?v=fTrcQ6xB5uc, BBC,RAI,SKY SPORTS,FUJI TV já fizeram documentários sobre Ayrton, quantos a Globo fez neste mesmo tempo.

    • Victor disse:

      VM responde: Espero que você não seja uma destas pessoas que não entendem muito do assunto…

      • José Carso disse:

        Na realidade sempre conhecemos muito pouco, mesmo conhecendo algo, no entanto é irrelevante discutir essa questão com relação ao Ayrton o Michael ou o Sebastian, enquanto Michael e Sebastian triunfaram e quase que apenas só triunfaram, Senna fracassou muitas vezes apesar de um significativo sucesso, basta lembrar de Mônaco 1988, Monza 1988, Estoril 1989, Suzuka 1989, Brasil 1990, e difícil achar por exemplo em Sebastian esse número de fracassos, ou em Michael, no entanto essa realidade do “não” ao fracasso, não faz parte da vida de nós meros mortais, talvez ai a empatia do publico, por Ayrton ou Gilles, a forma como corriam apesar do fracasso, Como disse Prost certa vez “Senna não teve muita sorte neste esporte.”, seu ultimo fracasso foi na Tamburello em 1994, também o seu maior.

  5. Treta com 26 anos de idade. Nessa idade ganhar um ou dois já é de bom tamanho, imagine quatro! Christian Horner, Adrian Newey e o Vettel formam uma trinca perfeita nas conquistas da Red Bull que cinco anos atrás era uma novata que não tinha nada nas mãos! O Fernando Alonso acabou ficando fora de combate logo no início da corrida numa derrota menos dolorida para o Vettel esse ano. O Massa acabou fazendo uma corrida cada vez mais rara na sua atual fase na F1 chegando em quarto. O Romain Grosjean vem com força jogando o Massa para oitavo na classificação, e até o Kimi Räikkönen ele está encarando nesse momento do campeonato. A FIA hoje está seguindo os moldes da Ditadura Nazista proibindo o piloto de comemorar um campeonato e uma vitória que ele tem todo direito!

  6. ba disse:

    Massa fez uma corrida com a serenidade de quem está garantido no ano que vem…
    E, justiça seja feita, Galvão narrou a chegada do Vettel de forma bem legal, gritando “é tetra” de forma efusiva, sim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>