MENU

11 de novembro de 2013 - 23:58F1

O acordo


SÃO PAULO | Bingo!, e o primeiro dos furos de nosso Snowdinho Teixeira se confirma: Massa na Williams. Um beijo pro Ameriquinho, que saiu sapateando pelas ruas de Vinhedo — há quem diga que arrancou aplausos das senhouras sentadas no banco da praça principal. A confirmação partiu da equipe.

Massa vai fazer, oficialmente, o papel de líder da equipe que vai tentar colocar a Williams no rumo com sua experiência. É bom ter sempre um pouco de calma. Faz cinco anos que Felipe não conquista uma vitória na F1 com um carro que, mal ou bem, era vencedor. Depois de sua belíssima temporada em que quase foi campeão e da mola que quase o tirou as chances de correr, o piloto não se achou — muito por culpa da pressão exercida por Alonso na Ferrari. A mudança, ainda que tardia, vem em boa hora. Da Williams, não se pode esperar grande coisa, como já dito: há um passado que indica que os câmbios de regulamento não trazem bons carros ao time de Grove. E o pacote que se soma à chegada de Massa só vai surtir efeito do meio da temporada em diante, quiçá em 2015.

Assim, desconfie quando se propala que é o melhor dos cenários, que não havia melhor equipe, etc.. Para quem negociava com McLaren e Force India, por exemplo, torna-se uma inverdade ampliada por ecos suspeitos.

Felipe se garante na F1 por alguns mais anos e vai saber, já nos primeiros momentos com o carro da Williams, que dificuldades terá a curto e longo prazo. Livre das amarras da Ferrari, depois de uma bela festa organizada em Mugello, é de se esperar que respire, pense e viva melhor, sabendo exatamente o que deve fazer e como agir. Nunca é tarde para um renascimento, ainda mais para quem merece. Acima de tudo, Massa é uma pessoa do bem.

10 comentários

  1. pc disse:

    Piloto em fim de linha em equipe em fim de linha. Quando perceber que vai ter que andar no limite para chegar em décimo segundo vai tirar o pé e pensar nos dois filhos e na conta na Suíça. Bananeira que já deu cacho.

  2. Pedro disse:

    Teria sido melhor assinar com a McLaren que vai ter motor Honda.

  3. Israel Cesar Ribeiro disse:

    TODOS os carros vencedores da Willians sempre se destacaram pelo excelente conjunto chassi/suspensões, quesito que eu acho que perderam muiiiito apos a saída de Newey do time (final de 1997). O que a Willians precisa é uma “revolução” no departamento de engenharia pra criar um carro a altura de seu passado e dos “bons” (apenas bons mesmo) motores Mercedes. Acho que essa revolução já está sendo feita visando o novo regulamento 2014. Acredito que toda essa mudança de postura da Willians será recompensada e que 2014 vai trazer um carro bem melhor que 2013. Acho que para os planos que a equipe tem, “Felipe Passa” não foi uma escolha ruim, afinal, deve trazer algum dinheiro para a equipe e é um piloto mediano ( mas sem potencial para comandar uma equipe para leva-lo ao titulo).

  4. Alexandre disse:

    Mudanças radicais fazem bem sim ao time de Grove, em 2009 a Williams foi, junto com a Brawn e a Toyota, uma das únicas a ter o revolucionários difusor duplo….

    E só não foi melhor porque o motor Toyota era uma piada.

    A bem da verdade os únicos anos realmente ruins (dos últimos tempos) da Williams foram com o motor Cosworth, 2010 e 2011, e agora, que tb tendo o Pastor para ser líder era difícil melhorar. 2012 tinha carro vencedor.

  5. Junior disse:

    O discurso é otimista. Mas precisamos ser realistas. O Massa ganhou uma despedida bonita da Ferrari e etc? Sim. Foi um piloto e pessoa queridos por lá? Também. Mas voltemos a realidade. Foi demitido por falta de resultados. Fez quatro temporadas terríveis. A realidade é essa. E não, o Massa nunca foi um super piloto. E não será a partir de agora.

    Não se trata de perseguição ou brasileiro desmerecer brasileiro e torcer contra, como alguns dirão. Não é isso. Só me incomoda o fato que, de repente, estarem tratando a ida do Massa à Williams como uma revolução. Não, não será. É preciso lembrar que a Williams é a atual nona das onze equipes do grid e, apesar do passado glorioso, hoje é apenas uma equipe pequena.

    Por mais radical que seja a mudança no regulamento do próximo ano, ela não terá nem recursos nem um staff técnico suficientes pra enfrentar Red Bull, Ferrari, Mercedes, Lotus e McLaren. Por melhor que seja o progresso do carro, ele lutará por alguns pontos e com muita sorte e uma revolução do piloto, um pódio.

    Não. Nem Williams nem o Massa serão campeões e farão uma revolução em 2014 como alguns comentários jornalísticos, colunas e títulos de matérias dão a entender. Pode ser um recomeço pro piloto do ponto de vista de se correr livre sem ter que trabalhar sempre pro companheiro. Mas será apenas isso. É só lembrar das duas últimas temporadas do Barrichello por lá. A diversão do piloto será correr solto pra marcar uns pontinhos e só. E não há nada de errado nisso. Só não “vendam” (equipe, piloto e imprensa) a ilusão que de uma hora pra outra o Felipe vai se tornar um super piloto e lutar por vitórias e títulos. Torcedor pode até ser cego e idiota. Quem gosta de verdade de Fórmula 1 e entende como as coisas funcionam, não.

    • PedroL disse:

      Discordo em alguns pontos de você caro amigo: A Williams não pode ser considerada equipe pequena. É verdade que de 2006 pra cá vem amargando resultados abaixo de sua gloriosa história, mas é uma equipe tradicional que pode voltar a ser protagonista.
      Os problemas da Williams começaram com a entrada das montadoras na F1, como consequência houve o rompimento com a BMW. Frank Williams considerado “mão de vaca” no circo, optou pelo barato. Para termos ideia, Rubinho foi o único piloto experiente que passou por lá nesse período, porém com os fraquíssimos propulsores Cosworth, nada pode fazer.
      Tradicionalmente a equipe Williams sempre encontra boas soluções quando há alterações no regulamento, foi assim em 2009 por exemplo. Com motores e ERS Mercedes em 2014, Pet Symonds e Felipe Massa, eles esperam dar o “pulo do gato”. Obviamente que não será uma tarefa fácil, mas estão parecendo animados demais.

  6. Marco Antônio disse:

    Realmente o Massa é gente boa , não temos como negar .

    Acho que vai ser o melhor momento do Massa na categoria por “N” razões .

    Apesar de não torcer pra ninguém na F1 pois eu gosto mesmo é de de ver as corridas , fico aqui na torcida para que o Massa , de certo na Williams , e cala a boca de muito neguinho bom por ai .

  7. Adriano disse:

    Victor,

    Vejo semelhanças entre o Massa de hoje e o Barrichello do passado. Ambos chegaram a Williams oriundos da Ferrari, tendo a experiência como apelo principal. O Barrica ainda tinha a fama de um ótimo acertador de carros, mas acabou dominado pelo companheiro de equipe Button. Tomara que o Massa tenha mais sorte.

    • Felipe S. disse:

      Correções:

      RB não foi da Ferrari para a Williams, mas da Ferrari para a Honda.

      RB não foi parceiro do Button na Williams, mas na Honda e na Brawn GP. Na Williams, foi parceiro de Maldonado e, no geral, foi melhor que o venezuelano.

      RB não foi dominado por Button. Na Honda, foi melhor em uma temporada (2008) e pior na outra (2007). Na Brawn (2009), também perdeu. No total, 2-1 para o inglês (longe, portanto, de “dominação”).

  8. Everton Rupel disse:

    imaginei o carro da Williams do ano que vem, com o layout do carro do Piquet em 1987

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>