MENU

21 de julho de 2014 - 12:27F1

Hoje é dia de Hockenheim, bebê, 3



SÃO PAULO | O editorial do Grande Prêmio também tratou da cretina opção da FIA em não soltar o safety-car no momento em que Sutil, sei lá por que cargas d’água, resolveu fazer da reta principal um vallet para que três corajosos fiscais se arriscassem e empurrassem a Sauber lá para o canto interno da pista de Hockenheim. Os pilotos também se mostraram bastante surpresos com a decisão – Alonso falou até mesmo que a entrada do SC prejudicaria sua corrida, mas que era necessário.

Mas aí já tem quem diga que foi uma medida clara e evidente de que há todo um complô e um esforço para que Rosberg vencesse a prova tranquilamente e que, com Hamilton perto, isso não aconteceria. “Ain, o inglês ia ganhar fácil, ele tava de pneus mais novos, mimimi”. Bem, já que é para entrar no terreno da suposição, mesmo, OK, vamos lá.

Se Charlie Whiting tivesse acionado o safety-car, assim como Hamilton fora chamado para os boxes e colocar pneus novos enquanto a corrida transcorria normalmente (volta 51, 1s2 atrás do segundo colocado), a Mercedes chamaria Rosberg e a Williams, Bottas, para trocá-los também já em período de bandeira amarela. Lewis teria de andar limitado pela velocidade determinada da ECU, portanto sem desenvolver a velocidade suficiente para passar o finlandês e fazer o melhor uso de seus pneus.

Assim, voltariam ambos à frente do inglês. E a situação ficaria da mesma forma. “Como?”. Ora, com pneus mais novos, voltando à realidade dos fatos, Hamilton encostou em Bottas como que atraído por ímã, rapidíssimo. Mas lá ficou, sem ao mesmo conseguir atacá-lo, até o fim da prova. Imaginem, então, se Valtteri tivesse calçados mais recentes…

A presença do carro de segurança só promoveria o ajuntamento do pelotão e, de quarto em diante, poderia teria alguma ação e emoção. O resultado entre os três primeiros não mudaria em absolutamente nada.

21 comentários

  1. Mario disse:

    SE você nao tivesse escrito esse texto, você nao precisaria estar tentando defender um cenário que nem você mesmo acredita mais =) brincadeiras a parte. O problema nao é o quê iriar acontecer. O problema é: Rosberg na frente e SC que já foi chamado em horas bem menos perigosas que essa nao entrou na pista. Devemos discutir, na minha opiniao, o porquê do SC nao ter entrado, e nao o que iria ou nao acontecer!

  2. Paulo Pinto disse:

    Hamilton apostou na entrada do SC e perdeu. As estratégias, erradas ou acertadas, também fazem parte da disputa.

  3. Roberto disse:

    Então se não iria mudar o resultado da corrida (coisa que discordo, pois pelo menos em segundo o Hamilton iria chegar), por que o SC não entrou?
    Não acha que no mínimo a direção da prova teria que dar uma resposta coerente de quais são as regras e motivos para a não entrada do SC?

  4. Leandro disse:

    Não concordo, VM porque ao juntar o pelotão, poderia acontecer qualquer coisa, seja pneu mais frio de um, uma vacilada na relargada. Fora os problemas de pit stop que sempre acontecem nessas situações, vide caso Massa x Mangueira x Cingapura 2008.. Enfim, achei muito estranha a decisão da direção de prova, contando que era um piloto alemão, GP alemão, levantasse mais suspeita ainda…
    O que vc disse é que ele não passaria nos pits, nas CNTps rsrsrs, mas teríamos um quadro mais suscetível a mudanças, principalmente na relargarda.

  5. Douglas Arruda disse:

    A entrada do Safety Car ia mudar muito a corrida e imagino que teríamos sim trocas de posição. Se estamos falando da Formula-1 atual, não ignore o DRS.

  6. Nathany disse:

    Só que mesmo com ambos com pneus novos, você esqueceu o quanto a Mercedes é superior então acho que o Hamilton teria sim ultrapassado o Bottas. E sobre o que realmente aconteceu na corrida, os pneus supermacios se desgastam mais rápidos e o Hamilton estava com o pé fundo, ele começou tirando mais de 2s por volta e depois foi caindo pra 1s e 0.7, quando ele chegou no Bottas o pneu já não era grandes coisa e como a Williams também não estava devagar ainda mais nas retas, ficou mais difícil pro Hamilton passar!

  7. AGS disse:

    O que não vai ser mostrado pela TV ESGOTO;;
    O radio do eng do amassa barro(zacarias)
    Filipinho…listen dear queer: Bottas is the driver numero uno, and you…go back to the car wash,,,,scan ass..

  8. Mauricio MCJ disse:

    Se, se , se, bem, na minha opinião, “se” houvesse safety car, o Bottas ia se jogar pra tentar vencer, seria divertido, mas “se” não altera nada. Gostei da corrida

  9. Rafael disse:

    Tambem acho que passaria Vitonez…. Além do mais, a Williams “abriria as pernas” e, em nome de um pódio, iria pedir pro Bottas “cuidar do consumo, não se arriscar” e todos os eufemismos possiveis para a frase “abre e deixa o cara passar”…

    Aliás, já era isso que eles estavam falando pro Bottas quando notaram a aproximação do Hamilton…

    Agora, em relação ao Rosberg, acho que não passava não… A Mercedes iria sutilmente intervir no assunto… rsss

    Abraços

  10. Boca disse:

    Não concordo. Lewis passaria SIM o Bottas se estivessem com Pneus iguais. Ele não passou quando encostou pq os pneus acabaram.

  11. Marques disse:

    Hamilton antecipou a parada, é bem possível que se Bottas parasse Hamilton estaria na frente. Aí era briga até o fim. Poderia sim ter mudado o GP.

    • Victor disse:

      VM responde: Está explicado no texto: se tivesse o safety-car, Hamilton reduziria a velocidade por conta das regras e da centralina padrão. Bottas faria seu pit tranquilamente. Não mudaria nada.

      • Zétros disse:

        Se tivesse SC, todos andariam em velocidade reduzida por conta das regras o que faria juntar todos.

        Além disso, o Hamilton foi chamado logo quando o Sutil rodou, o que provavelmente, faria ele ficar à frente de Rosberg e do Bottas, ou pelo menos do Bottas.

        Quando Hamilton trocou os pneus ele caiu pra quinto, Ele teve que forçar mais pra recuperar esss duas posições perdidas, o que o fez desgastar mais os pneus. Por isso, ele alcançou o Bottas e não consegiuu passá-lo.

        • Victor disse:

          VM responde: Não é verdade. Ele caiu para quarto, atrás de Alonso, e Alonso parou voltas depois, sem atrapalhá-lo. Voltas de Hamilton na casa de 1min20s. Está aqui o histórico da corrida: http://184.106.145.74/f1-championship/f1-2014/f1-2014-10/2014_10_GER_F1_R0_Timing_RaceHistoryChart_V01.pdf

          • Zétros disse:

            Sim, realmente ele voltou em quarto. Ele parou na volta 51 e voltou atrás de Alonso de novo.

            Alonso não atrapalhou óbvio, pq Alonso estava distante dele. E o foco de ambos eram distintos.

            Na volta 53, ele foi 2,396 s mais rápido que Bottas. Na 54 2,636 s, na 55 2,297 s e na 56 1,483 s.

            Quando ele chegou, os pneus estavam muito desgastados, além disso, teve o problema da asa quebrada que o atrapalhou.

            E ele só fez essa última parada contando exatamente com a entrada o SC, que não ocorreu.

          • luiz alberto disse:

            Nossa!!!! Esse povo esta assistindo muita corrida americana e etão achando que os pilotos top times da F1 gostam de um muro como os da Indy.Preferem corridas lotéricas do que técnicas.Que pobreza!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>