Parlatório

P

SÃO PAULO | Os brasileiros na F1 começaram a temporada em busca — claro, não fizeram disso suas metas, evidentemente — da centésima vitória brasileira na categoria. Valentino Rossi está atrás do triunfo 100 no motociclismo.

Quem consegue antes a meta: os brasileiros — que levam, agora, desvantagem e só vão poder alcançá-la no GP da Alemanha em 12 de julho — ou Rossi — que pode comemorá-la amanhã na Holanda saindo da pole?

Sobre o Autor

13 Comentários

  • Bem lembrado pelo Antônio Pessoa, os pilotos brasileiros da F-INDY já alcançaram as 100 vitórias na categoria.

    Se é pra comparar categorias diferentes, então a F-Indy também tá valendo…

  • Sem sombra de dúvidas que o Rossi atinge a meta antes. Mesmo que não seja nesse final de semana, pois nosso bravos brazucas não o farão tão cedo. Barrichelo não consegue andar em 1º, seu máximo é o 2º posto e olha lá. O Massa está a pé e o Nelsinho não ganha nem em corrida de autorama. Forza Rossi. Abraços

  • Mas o problema é justamente que ele vai sair na pole. Se pelo menoso Rossi saísse em terceiro …eu teria mais certeza de sua vitoria amanhã. Mas quem sabe ele não cai para 5º na largada, aí sim, é vitoria certa!

  • Quem vai chegar nas 100 vitórias primeiro? Valentino Rossi ou os pilotos brasileiros da F-1?

    Resposta: OS PILOTOS BRASILEIROS DA FÓRMULA INDY!

    Pois somando CART e IRL a vitória do Helio Castroneves no Texas, há 3 semanas atrás, foi a 100ª de um brazuca na categoria máxima do automobilismo de origem norte-americana.

    Está resolvido.

  • Eu já tinha pensado nisso, o que zica é o pessoal da globo lembrar isso todo começo de corrida. Igual ao cara gritar gol antes no estádio, pelo menos a torcida do Corinthians fica louca com isso.

    Aogra, vai ser o Rossi, nesse fim de semana!!!

  • A Ferrari não ajuda o Massa, o Barrichello não se ajuda e o Nelson Ângelo não tem braço nem carro… Rossi, fácil. Pode chegar a 110 antes dos 100 brazucas.

Por

O dono da bola


É jornalista, palmeirense, dinamarquês por opção e sempre pensou que ia ter de cobrir futebol antes de chegar ao automobilismo, que acompanha desde os 7 anos. E desde que se formou, está na Agência Warm Up e no Grande Prêmio, isso há mais de 13 anos. Neste tempo, foi colunista do iG, escreveu para 'Folha de S.Paulo', 'Lance!' , 'Quatro Rodas' e 'Revista Audi', foi repórter da edição brasileira da 'F1 Racing', cobriu F1, Stock Car, DTM, a Indy e quatro edições das 500 Milhas de Indianápolis, e outras categorias ‘in loco’. Agora também é comentarista dos canais ESPN. Conheceu cidades como Magdeburgo, São Luís, São Bento do Sul e Nova Santa Rita, traduziu um livro da Ferrari e já plantou um monte de árvores. Tem quem fale que seria um grande ator, mas ter ganhado o Troféu ACEESP 2011 como 'Melhor repórter' da imprensa escrita mostrou a escolha menos errada. Adora comida japonesa, música eletrônica e odeia ovo, ervilha e esperar. “Necessariamente nessa ordem", diz.
ASSINE O RSS

Arquivos

Categorias

Tags

Twitter

Publicidade

Facebook

Publicidade