MENU

14 de setembro de 2011 - 11:44F1

Sem liga

SÃO PAULO | Notícia de Felipe Paranhos hoje no Grande Prêmio dá conta do que já era óbvio: a Superliga não vem mais ao Brasil, principalmente pela absoluta falta de condições do autódromo de Goiânia.

Sério: o que faz a Confederação Brasileira de Automobilismo? A pergunta é em torno de sua função. Existe uma cartilha das funções e obrigações da douta entidade? Por exemplo, que palha ela move para que uma categoria — seja ela do peso da Superliga ou ainda de um GT1, chancela FIA no peito — repense e não saia simplesmente cancelando provas que estão marcadas há um bom tempo? O quanto a CBA trabalha, se é que o faz, para a realização das corridas?

Não tem GT1 e não tem Superliga mais. A Argentina tem Dacar e vai voltar a ter a MotoGP a partir de 2013. Aqui, nada. O GP do Brasil só está aqui pela relação de Bernie Ecclestone com Tamas Rohonyi e a Globo (e as partes estão em cisão com a CBA) e a Indy é meramente um interesse direto dos organizadores locais e de uma empresa, a Apex, ligados ao fornecimento de etanol. O Brasil, enquanto praça automobilística, é um zero à esquerda, é quase uma nação africana, inexpressiva para o mundo.

Vejo o caríssimo amigo Bruno Mantovani falar que a razão está no fato de que brasileiro não gosta de automobilismo e só gosta de F1. Não é verdade. Brasileiro, como qualquer outro povo no mundo, gosta de coisa bem feita e organizada. Como é que as provas da F-Truck estão sempre cheias? Há um trabalho de promoção e cuidado — até mesmo com as pistas — feito pela entidade. O resto é meramente um espetáculo de desfiles de patrocinadores com fundo automotivo. 

Um país com mais de 40 montadoras no território não pode ser simplesmente chacota para a Argentina, onde a situação é inviável economicamente e o esporte é fortíssimo. Quem é o nego que não goste de carro e de competição? É que aqui a coisa descamba e desvia, em todos os sentidos e bolsos, e nisso se incluem alguns tão caros colegas, mais preocupados com troca de favores do que cobertura em si.

É engraçado como na maioria das vezes, a gente se vê obrigado a olhar para a Argentina para descobrir qual é o caminho certo do esporte. O basquete só vai voltar a uma Olimpíada graças a um técnico de lá, Ruben Magnano. Seria a solução trazer algum dirigente de lá para comandar o automobilismo brasileiro? Não seria de todo mal. Porque por estes lados, o presidente pensa na reeleição de um poder tão valoroso quanto uma peso argentino.

72 comentários

  1. Flavio Tozzo Jr disse:

    infelizmente o automobilismo brasileiro virou sinônimo de picaretagem! é quase inexplicável o fato de ainda contarmos com o gp brasil(ameaçado), com a corrida da indy (sem graça) e com pilotos que ainda coseguem aparecer como promessas no cenário internacional(como é o caso do nasr).

  2. do amaral disse:

    Há quem diga na imprensa especializada estrangeira que um forte motivo para a F1 não retornar à Argentina é a também cultural mania dos hermanos de cobrarem propina dos promotores (estrangeiros) do evento, em todos os aspectos da organização e promoção..

  3. Rodrigo Mota disse:

    Nossos governantes precisam entender que ministério dos esportes deve cuidar dos ESPORTES e não somente de um esporte…

    Automobilismo/Motociclismo sim é esporte, e dos bons, quando levado a sério por gente séria com estrutura descente e promoção eficiente até corrida de patinete lota arquibancada…

    o negócio é que os Argentinos sabem promover eventos, transformam qualquer categoria de base em evento de público, dane-se se não é categoria internacional, é o que eles gostam, é nacional e o público se identifica e torce…

    estou nos EUA fazendo um curso e dá inveja dos caras, até corrida de oval de terra com fuscas competindo vira atração (imagina a NASCAR então) , os caras promovem, colocam os carros nas ruas (literalmente), passam na TV, nos jornais, internet, rádio etc…

    os autódromos nos EUA são verdadeiros templos, quem passa em frente do Daytona Speedway sente o tamanho e grandesa daquilo, sente quem foi Dale Earnhart entre outras lendas, os americanos gostam e se orgulham daquilo, os Canadenses preferem a Formula-1 e F-INDY, os Europeus tem suas categorias, os Australianos tem a V8 supercars, os Japoneses lotam seus autódromos…

    e o Brasil? só temos um autódromo top? porque somente Interlagos? Curitiba não tem um bom autódromo também?

    porque só a F-1 passa na TV brasileira (TV aberta), a F-INDY merece mais cobertura, a F-TRUCK também, e cadê as categorias de base do tipo que o povo vê e pensa “caramba. eu também posso correr aí pagando pouco”?

    cadê o “ministério dos esportes”?

    futebol/soccer é legal. mas o futebol amador ou semi-profissional, aquele futebol que é jogado por quem realmente gosta e tratado como um esporte de verdade e não somente como um comércio ou ferramenta de alienação das massas…

    no Brasil ou você gosta de futebol ou você é visto como imbecíl…

    eu odeio futebol brasileiro, é um saco, é cai-cai do caramba, é Neymar se achando a última bolacha do pacote e cada vez mais se veste feito um Pokemon ao invés de fazer algo que preste na seleção brasileira. não por mim, mas por quem gosta de futebol no Brasil…

    eu gosto de Hoquei, de NHL, é esporte do bom, divertido, veloz e sem frescura, tem briga sim e dane-se.

    em vários países do mundo não tem problema nenhum, muda só o nome da liga de Hoquei.

    Mas no Brasil eu sofro preconceito porque não torço pra nenhum time de futebol…

    Tá na hora do Brasileiro conhecer outros esportes…

  4. marcão disse:

    Acho sim que Brasileiro gosta de corridas, é entendido no assunto quando quem tem a obrigação de divulgar explica direito as regras e os detalhes dos carros…
    Nas décadas de 70/80, os detalhes eram importantes, os cuidados com o equipamento também eram cruciais e determinantes para o exito nas corridas…
    Hoje? Não! Os assuntos são outros, estão sempre falando alguma coisa fora do contexto do momento de uma competição…
    Domingo mesmo, no GP de Monza, falavam em futebol na quarta, quando o Hamilton e o Schumi davam um dos maiores espetáculos do ano, de repente aparece o Button dando um até mais pros dois e de quebra no Alonso… Isso é se importar com o que está se fazendo? Cade a obrigação de um bom trabalho?
    Esse descalabro que é pra mim falta de interesse no que está se fazendo.. Por essas e outras no começo de novas temporadas o pessoal de marketing demora mais e discute mais para conseguir fechar as cotas de patrocinios das transmissões.. O descaso começa bem aí…
    Quem assiste acaba desestimulado…
    No nosso território, vemos a cada dia uma confederação fazendo de tudo só pra levar o dinheiro, pois de esporte e para o esporte os dirigentes já provaram que não entendem das suas minucias, alem da incompêtencia genralizada lá.. Não tem mesmo capacidade nem técnica, adminstrativa, e muito menos politica para administrar um carrinho de pipocas da praça.. Quanto mais um esporte tão complexo como o automobilismo…
    E tem um e outro que tem a coragem de dizer que automobilismo não é esporte!
    Claro que é!!
    Qualquer um que se interesse um pouco por automobilismo digo o seguinte, fazer uma volta boa é fácil.. Fazer várias voltar boas é dificil, mais dificil ainda é ir melhorando volta a volta o seu tempo…Sabem como é feito isso? Primeiro vem a preparação do carro, e do piloto, depois vem os treinos e mais treinos e depois masi treinos.. Estes servem para definir algo que precisa ser melhorado no equipamento e para que o piloto saiba onde colocar o carro, que marcha deve usar para fazer tal curva, pensar antes de fazer na hora que tem que fazer a curva a sua tomada e saida, como deve se comportar nas retas, e depois, só depois escolher como e onde pode fazer as suas possíveis ultrapassagens, na corrida tem que pensar em tudo isso, escutar os seus técnicos com suas estratégias, cuidar dos pneus da temperatura do motor, dos freios, e ainda passar os concorrentes…Entre mais um montão de coisas que a gente nem sonha que eles tem que fazer… De repente uma pequena batida, um defeito nos freios ou na caixa de direção, e os parametros mudam, tudo o que foi pensado tem que ser revisto e tem que ser lá na hora na tomada de curva, com os adverssários no encalço… O Piloto tem que ter um preparo de atléta, mais uma boa cabeça, alem dos reflexos apuradissimos…
    Ainda tem que pensar no patrocinio, e depois no marketing pessoal…
    Aí vem um e fala que corridas de automóveis não é esporte!! Depois, vamos falar das grandes marcas, como a Ferrari a Alfa Romeu, Lambo, BMW, e mais um montão por esse mundão a fora!!
    Essas se não fosse o esporte nem sairiam do papel, e vieram a se tornar grandes fabricantes depois dele…
    E em se tratando de esporte, é preciso se impor regras, normas de conduta, e principalmente a equiparação de um produto com o outro para que se tenha a competição entre os modelos…Alem de outras coisas.
    Essa “”seria uma obrigação”” da CBA, que faz toda a questão de se omitir nisso e não se aprofunda nas regras.. Pra depois no meio de um ou outro campeonato aparece com uma definição dubia do que é certo ou errado em determinado equipamento…
    Esses dái, o Reizinho e sua corte criaram tantos problemas para as categorias e autodromos que como disse aqui está matéria há um problema grave entre as partes organizadoras da F-1 e a CBA… Essa “”cizão”” parece ser definitiva, sem retorno por parte dos organizadores da F-1 no Brasil… E é lógico isso, uma categoria que é o máximo em competições, e tecnologia de ponta, não pode ter o nome vinculado nem de longe com a incapacidade, ainda mais quando essa é crônica, como a dos mandantes cbanos.. Que me perdoem… Mas a ignorancia não está na falta de conhecimento de qualquer que seja o assunto, está sim em se dizer o que deve ou não ser feito a despeito de qualquer laudo o conhecimento técnico se sobrepondo as fatos e a realidade das situações………………
    Quanto a perda da categoria super ligue, foi importante, como foi a GT1 ou outras antes dessas… Qual foi a reação dos nossos mandantes confederados?? O bico fechado!! E em outras ? Também o bico fechado!!! Só falaram mesmo quando o assunto era ligado a Vicar e seus pares.. Só se preocuparam com o oba oba que a categoria oferecia a eles, só a festinha… A CBA acabou sendo o cão vira latas que abana o rabo pra qualquer gesto de quem possa oferecer uma migalha… Se apequenou tanto diante dos fatos que perdeu o rumo, a base e sem planejamento fica pra lá e pra cá sem ter pra onde ir… Se perdeu, e o nosso automobilismo está perdendo com isso, pois que tinha a obrigação de pilotar os meandros de uma categoria internacional nas negociações eram eles junto com os organizadores e patrocinadores… E Quando ainda tentavam fazer o seu trabalho, a primeira coisa que faziam era apresentar suas tabelas de custos lunares… Com isso foram afastando os patrocinadores, os organizadores e afins…
    Deixaram destruir várias praças esportivas importantes, e cada uma dessas praças tem em sua história muita luta travada para a sua construção.. Um autodromo perdido hoje representa mais ou menos uns cinco anos para ser reposto e isso com muita vontade politica….E sem autodromos não tem corrida internacional…Circuitos de rua não oferecem tantos atrativos assim para patrocinadores, uma ou duas em cada temporada já é muito…
    O que chama mesmo o povo é um “tripublicitário”, organização, divulgação, e nome… Como temos hoje o exemplos das F-Truck, da Stock, e Da GTBR… cada um deles teve em seu nascimento muita determinação dos criadores e organizadores… Provavelmente nenhuma delas recebeu apoio da confederação na sua criação, como acontece com muitas outras..
    Mas na hora da festinha do pódium tem sempre um cara vestido com a camisa da entidade dando tchauzinho e sorrindo pra todo mundo….
    Um automobilsmo sério competente e esportivo, precisa sim da confederação e das federações muita seriedade no trato da coisa…É um espelho, que deixa trasnparecer o que tem por tráz dele…
    Alem do que aqueles que realmente tem a obrigação de divulgar o esporte não o fazem..
    Quem quer fazer divulgação séria e fiel dos acontecimentos por politicagem não recebe o credenciamento para tal….
    E quem recebe esse credenciamento, já sai a procura de um “””jabázinho””, sem se preocupar muito com o que vai dizer.. Sem ter se preocupado com os acontecimentos acaba dando noticia social do acontecimento, um galã da novela foi lá, uma garota da revista tal, esteve lá, o governador, o prefeito, e por ai vai… Agora a equipe que pagou pra estar lá, investiu no equipamento e o piloto que se preparou até as últimas possibildades, nem é citado, se ganhar ainda pode aparecer numa foto ou outra, mas aquele que ficou em segundo terceiro ou quarto, nem é lembrado..
    Coisas assim é desestimulam, coisas assim que precisam ser mudadas…
    E sem os Blogs hoje, certamente o automobilsmo já estaria, na UTI de verdade….
    É por isso que tanto falamos em nomes conhecidos e repeitados para a entidade!!
    É preciso udar as normas, aplicar-se a máxima de quem é do ramo mesmo e que tem que tomar conta da coisa… Como o taxixta tem que conhecer as ruas de seu bairro, o pintor de casa tem que conhecer as tintas, e o esportista tem que conhecer o esporte…
    Tudo o que está acontecendo nesses últimos tempos está sim mercendo uma reflexão profunda e uma mudança de principios, ética e delegação de poderes….

  5. Luis Vieira disse:

    Felipe, não concordo com seu artigo.

    Até concordo que a CBA poderia fazer mais, MUITO mais… Porém dizer que o Brasil não é NADA no mundo do automobilismo é falar besteira. E se ficar procurando desculpas pra justificar porque o Brasil tem F1, Indy, WTTC e F3 enquanto TODOS os outros paises da Am. Latina não tem é ser tendencioso.

    Todo e qualquer evento desse temanho tem de ter interesse de empresas, governos, etc… Senão não rola! Simples assim. Achar que se tiver uma confederação de gente trabalhardora e honesta basta pra fazer um pais ser uma potencia no automobilismo mundial é ser muito inocente. Pense nisso!

    Abraços,

    Luis.

  6. Helio disse:

    Amigo,

    Depois que o Rubinho e o Massa se aposentarem, qual será o brasileiro na F1, Le Mans ou qualquer outra categoria? Se liga: a questão primordial aqui é de estrutura do esporte e como essa estrutura pode vir a formar talentos para o automobilismo! Se voce não gosta, não assista, mas, deixe que aqueles que se interessam possam participar ou sugerir. Muitos de nós que acompanhamos esse esporte (ou seja lá o que for que voce acha que é…) se divertiram, ou se frustaram, mas viram vários títulos mundiais. Viram pilotos que abriram caminho para outros em uma época em que o automobilismo estava estruturado para formar campeões. E eles foram campeões! Mas, e agora? Não há categorias para que os talentos surjam. Se voce pode ajudar, por favor ajude. Mas não atrapalhe…

  7. Gustavo Fernandes disse:

    O Brasil é um país muito grande e muito populoso. Todos os esportes podem conviver numa boa. O que falta é respeito com os vários tipos de esportes que existem. Os canais esportivos tem a capacidade de transmitir até campeonato de “pôquer”…falta respeito. A Globo sempre deteve os direitos de transmissão da MotoGP e da Stock Car. A Moto GP nunca transmitiu em TV aberta e a Stock…outro dia acordei pra assistir uma corrida (e olha que eu tenho Tv à cabo) e a Globo preferiu transmitir um jogo de quartas de final da liga feminina de vôlei. Eu gosto de vôlei, como gosto muito de futebol, mas também gosto de basquete, de automobilismo. Estamos em coma em alguns esportes no Brasil. No futebol. as coisas só começaram a dá certo depois que os clubes se rebelaram, primeiro contra a CBF, e agora por último, contra o clube dos 13. Será que não está na hora dos nossos ex pilotos se unirem e criar uma liga independente ?. Criar uma instituição que administre os autódromos ?, desvinculando diretamente dos políticos, como por exemplo, as rodovias paulistas ?

  8. Ronald disse:

    Caro Antonio Neto, vc tem o direito de opinar é claro, mas pq não procura algum fórum relacionado a assuntos que tenha interesse como futebol, vôlei, ou ginástica artística e evita falar besteiras? é claro que o automobilismo é esporte, é claro que o arrojo dos pilotos a forma de conduzir e de frear mais próximo do limite na curva faz a diferença. e por pensamentos assim que o esporte no Brasil deixa tanto a desejar, pessoas que acreditam que o único esporte é o futebol e no seu caso tbm o nado sincronizado. Na Argentina o automobilismo tem muito mais profissionalismo, e isso se reflete com provas como o Dakar e o WRC. Acredito sim que precisaremos trazer isso para o Brasil mesmo que da Argentina e fazer assim nosso dirigentes mostrar trabalho que ainda q manter seus cargos. ah…Antonio Neto, o IG tem uma pagina chamada “Delas”, lá deve ter fóruns mais interessantes para vc! Passa outra hora que o automobilismo não esta com tempo p vc não!

  9. Ricardo disse:

    Corrida de carros não é esporte, é apenas um laboratório para as montadoras.
    Esporte é aquilo que trás benefícios ao corpo humano e mente.
    Especialmente as corridas internacionais corre muito dinheiro de certos milionários
    que tem uma vida não muito exemplar e também disputa de poder.

  10. Marcus Vinicius disse:

    A diferença é que na Argentina tem argentinos e no Brasil, temos brasileiros…

  11. Ricardo Arcuri disse:

    Victor, permita-me discordar em dizer que o brasileiro curte evento bem organizado. A F-1 nao é bem organizada, é chata de dar gosto, mas ta la cheia todo ano. A Truck so enche pq tem ingresso barato, assim como a Stock. Brasileiro so gosta da F-1 mesmo e so o faz pq tivemos campeoes no passado.

    Vivemos no país do futebol e como tal so querem saber de bola rolando nos pés. O resto é dispensavel. Mas concordo em relaçao a CBA. Essa “confederaçao” nao faz NADA para fazer o automobilismo crescer. Ou, mais importante, nao faz nada para fazer crescer o interesse do povo no esporte.

  12. Rober disse:

    Automobilismo não é esporte? Então senta em um carro de corrida e fica uma hora uma hora e meia pilotando no limite máximo do carro e ve se aguenta cara. Aposto em em no máximo 30 minutos tu desiste, todo dolorido.

  13. Adriano disse:

    Vi alguns comentários ai em cima e fiquei muito triste com estes brasileiros que, na verdade são falsos brasileiros, pois não torcem para o nosso crescimento no esporte, sim esporte, já que o automobilismo é um esporte, onde o brasil tem somente 8 titulos na maior categoria que é a F1. Infelismente não estamos tendo uma boa safra de pilotos na formula 1 já que como não apoiamos estes esportistas e apenas cobramo-os, agente só vê estas vergonhas, que na verdade é falta de apoio nosso para o crescimento deste esporte que tanto nos orgulhou.

  14. Luis Macedo disse:

    São raras as criticas feitas a CBA. Quero dizer, as que são publicadas. Pq como todo brasileiro sei da dificuldade de expor uma agencia de controle como essa.
    Eu concordo plenamente com nosso amigo, no entanto venho acrescentar algo.
    Alguém já se perguntou onde a Rede GLOBO enfiou o respeito pelos telespectadores?
    Ela só televisiona corrida quando lhe é interessante. Se o horário da corrida ultrapassar os limites de qualquer mer dinha de novela, ou mesmo um joginho de futebol, a corrida já é cortada e fod a-s e as pessoas que gostam. O Brasil é o pais do futebol e da bunda. É só isso que é interessante mostrar.
    A CBA “coitada”, deveria ser chamada de ( Corrida Breve Auto-lucrativa ) pq é só isso que ela visa. Dinheiro e de preferencia que venha com “Poucas voltas”.
    Não estou pregando que as pessoas devem trabalhar de graça, mas deixar com que um piloto de base gaste 800 mil reais por ano pra correr em uma formula São Paulo da vida é um absurdo!
    Cade a organização do famoso automobilismo brasileiro?
    Até quando vamos estar formando os melhores pilotos (milionários) brasileiros?
    Até quando vamos ver nossos pilotos morrerem em autodromos sem gerenciamento e sem infra-estrutura?
    Até quando vamos ficar vendo os Itaquerões serem construidos com nossos impostos e depois pagar 2000 mil reais pra ver a F1 no S do Senna?

  15. Francisco disse:

    A parte importante do seu comentário foi a que fala da grande quantidade de montadoras e da grande quantidade de consumidores de carros aqui no Brasil. Essa é a chave. Do ponto de vista da montadora, corrida automobilística é como desfile de moda: mostrar, num contexto ideal, o produto para o futuro consumidor ver.

    Quanto à critica às oligarquias, bem vindo ao time!

  16. claudio disse:

    BEM PESSOAL A FORMULA UM PODE SER QUE ESTE ANO SEJA O ULTIMO AQUI NO BRASIL,QUEREM SABER PORQUE,A GLOBO COM PROU O EVENTO;NINGUEM QUE FAZ SINALIZAÇAO DE SAO PAULO IRA TRABALHAR NELA,NAO SEI QUEM IRAO CHAMAR,QUERO VER SE ELES TERAO COMPETENCIA DE REALIZAR UMA COMPETIÇAO SEM A NOSSA AJUDA.E A CBA NAO FEZ NADA DEVE TER ENCHIDO OS BOLSOS DE DINHEIRO,PARA FICAR CALADA.

  17. Marcel Reikdal disse:

    Caro Victor.

    Talvez isso se reflita no fato de o nosso último campeonato mundial autêntico tenha sido conquistado 20 anos atrás, por um fora de série que passou metade de sua vida correndo campeontaos europeus.

    Essa é, invariavelmente, a data (duas décadas) do atraso no nosso automobilismo nacional.

    Nada mais claro para expor ao mundo nosso atraso em infraestrutura geral….saúde, segurança, estradas, hidrovias, portos, aeroportos, política e tuso mais.

    CBA é só um reflexo da nossa mentalidade atrasada. Stock car? Fórmula Truck? Kart? Motovelocidade?
    Que adianta isso se não temos nenhuma montadora de veículos em série genuinamente nacional … china, índia, russia, … todas tem marcas nacionais … conhecemos alguma brasileira?

    CBA, acorda . Victor … parabéns pela matéria.

  18. xiku disse:

    COLOQUE O RICARDO TEXEIRA PARA COMANDAR ESSE ESPORTE QUE O
    TEXEIRA DA UM JEITO, COM ELE VAI OU RACHA…

  19. Marcelo disse:

    Amigo, voce ate tem razao em alguns pontos. Agora, dizer que a F1 so esta no Brasil so por causa da relacao globo, etc…. ? Desculpe, mas isso esta errado. Seu conceito sobre Interlagos e a historia que isso representa no cenario mundial e muito maior do que voce conhece.

    • Victor disse:

      VM responde: Marcelo, não seja tolo. Dinheiro é que move o mundo. A prefeitura de SP paga R$ 30 milhões pela corrida. Spa-Francorchamps, melhor pista do mundo, vai deixar de estar no calendário todos os anos. A França, país com mais tradição na F1 do que o Brasil, perdeu seu GP. História de circuito nenhum garante permanência no calendário.

  20. Nildo Júnior disse:

    Vitor, eu não bateria apenas na CBA. Há falta de interesse de todas as áreas. Aqui no RS, nenhum jornal abre espaço para colocar automobilismo. Só falam de dupla Gre-Nal e de futebol nacional e internacional. Isso vale para ZH, CP, O Sul, Diário Gaúcho e Jornal do Comércio, que são os jornais da cidade. Na TV, só uma emissora coloca algo de automobilismo, que é a Ulbra, mas porque a iniciativa é do dono do programa Veículos e Velocidades, que é ex-piloto, o Celso Ferlauto. Com muito custo consegui abrir um espaço no Correio do Povo, mas já saí do Esporte porque acabei tirando espaço de outros esportes. O editor diz que se não tem anúncio, por que dar espaço? E olha que o RS é considerado um dos estados que mais ama o automobilismo. O pessoal do Velopark ainda não entende como o autódromo não enche em dia de corrida se eles colocam anúncio nas ruas. Só que não tem mídia em jornais, ou só tem em um. Se não houver investimento publicitário, o automobilismo morre.

  21. Alex disse:

    A Argentina ainda tem o WRC e a GT1, além dos mais de 40 autodromos espalhados pelo país. Uma vergonha para o Brasil, dito 3º maior mercado de veículos do mundo

    • Nando Sato disse:

      Pera aí! Quarenta autodromos que se juntar todos não dá um. O melhorzinho é o de Buenos Aires e mesmo assim está mais para DACO do para BRASTEMP!

  22. Marcelo disse:

    Sou brasileiro e realmente gosto de quem ganha, pois ganhar não acontece da noite pro dia, é necessário todo um percursso até lá.

  23. Júlio César Carvalho disse:

    Bom comentário Victor, eu como telespectador de corridas(qualquer categoria), concordo com você, em 1987 fui a Goiania assistir uma etapa da moto gp (Eddie Lawson, Mamola, Wayne Gardner etc) e na minha opinião foi um belo evento realizado no Brasil.É uma pena que hoje o automobilismo internacional no Brasil se resuma em uma etapa da f1 e uma etapa da indy.Aqui em São José do Rio Preto, há alguns anos atrás um vereador propôs a construção de um autódromo, já tinha até projeto e um nome para a pista, seria construido por uma empresa particular, mas a prefeitura rejeitou.É uma pena pois o país carece de pistas novas e competições internacionais.

  24. Evanilton Antonio disse:

    Victor,

    Coaduno inteiramente à tua riquíssima análise. E pelas relações espúrias de dirigentes de outros esportes no país, parece o prenúncio de que o automobilismo é apenas o precursor.

  25. Gustavo disse:

    E desde qdo jogador de futebol tem de ter alguma inteligencia???
    Ele tem de ter é coordenação motora e uma BAITA falta do que fazer pra ficar jogando futebol desde os 3 anos de idade em algum campo de futebol de várzea de alguma quebrada da periferia pra depois ser um dos “espermatozóides” que conseguem chegar ao santo graal.
    Jogar por um time profissional e tirar a família da merda!!!
    O que me incomoda é ser obrigado a saber noticias desse inferno em TODO telejornal pois a lavagem cerebral imposta é terrível.
    Dizer q automobilismo não é esporte é simplesmente ter tido seu cérebro realmente “lavado” pela midia. ….. um equívoco , no mínimo.

  26. felipe figueira gonçalo disse:

    Lendo este comentário,me dei conta de que o automobilismo Brasileiro esta bem de fachada pois, tantos campeonatos pelo mundo a fora de qualidade porque não etapas no Brasil. Estamos dependentes de Interlagos pois não temos Autodromos de qualidade no nosso Pais. Como eu queria ver uma etapa de moto GP aqui no meu país com Valentino rossi,sou muito fã de velocidade e me divirto com Stock,GT3,Formula Truck e com Arrancadas pois é muito bacana e deveria se ter mais carinho com essa modalidade.

  27. patafoh disse:

    Nao e’ so automobilismo. Eh o esporte em geral, aqui temos um ministerio para cuidar do esporte e so’ o que se ve e’ futebol. Futebol pode andar sozinho, cade o espaco do handeball, basquete, polo, tenis, rugby, etc …

  28. roberto disse:

    SE A CBA /FEDERAÇÕES ESTADUAIS PROCURASSEM UMA PARCERIA COM AS FABRICAS /MONTADORAS E COMERCIO LOCAL E PRINCIPALMENTE COM MIDIA NO SENTIDO RATEAR CUSTOS E MANUTENÇÃO DOS AUTÓDROMOS ,PARA OFERECER MELHORES CONDIÇÕES PARA A POPULAÇÃO, PERGUNTA QUE FAZ NECESSÁRIA ? SE VOCE PASSAR MAL ……NÃO EXISTE ATENDIMENTO MEDICO,SE VOCE QUER IR AO BANHEIRO ? QUANDO TEM SÃO PÉSSIMOS , BAR/REFEIÇÃO SÃO CARISSIMOS ,PREÇO DO INGRESSO SÃO MUITOS CAROS ,MINHA OPINIÃO E DEVIDO ESSES PROCEDIMENTOS QUE O POVO FOGE . VOCE PAGA PARA ASSISTIR UM EVENTO UM P´REÇO ALTO E SAI CHATEADO . SENDO QUE VOCE PODE ASSISTIR DE GRAÇA OUTROS EVENTOS ,ACHO QUE DEVERIA HAVER MAIOR ROTATIVIDADE DA PRESIDENCIA DA CBA E FEDERAÇÕES ………………………..FUY

  29. DIOGENES disse:

    SOA-ME ESTRANHO O SEU APELO PLATINO.O SENHOR QUER FAZER PROMOÇÃO DA ARGENTINA.O QUE A ARGENTINA PROMOVE DE CORRIDAS IMPORTANTES PARA O MUNDO, QUE UMA ÁFRICA NÃO FAZIA, O DACAR !É ISSO?O SENHOR QUER EMPREGO, TEM UMA IDÉIA E QUER JUSTIFICAR PARA PROMOVE-LA? QUEM SABE NÉ…

  30. Arthur Branco disse:

    Perdeu a Graça coisa nenhuma Mauricio, se você acha que perdeu a graça é porque nunca entrou em um autodrómo na sua vida SEM GRAÇA. Diferente do futebol, quem gosta de automobilismo e de boas corridas não torce apenas para uma equipe ou participante(corinthians, Palmeiras,Ferrari, McLaren, Rubinho, Schumacher, Zézinho das Couves),e sim por um bom espetaculo. Vá assistir futebol entao, vá aos estadios, passar apertos sem estrutura e ainda correr risco de ser assaltado pela propria torcida e espancado pela policia.Pouco me importa os PLAYBOYS que estão pilotando, o que interessa é carros potentes na pista e o ronco dos motores.

  31. Daniel disse:

    Me desculpe Sr. Victor Martins, o Sr. deve estar me confundindo com outra pessoa, pois, esta é a primeira vez que opino em seu blog.grato.

  32. Daniel disse:

    Vamos por partes, não creio que a Argentina tenha eventos automobilisticos a altura dos que temos aqui, Formula 1, Formula Indy, Formula Track, Stock Car Brasil…, segundo, Falar mal de paises africanos é falacia de mal gosto, ja que a África do sul provou e comprovou que é forte o bastante para sediar uma copa do mundo e muito bem. Se o Sr. Victor Martins gosta tanto da Argentina, sugiro que se mude para lá. Adios Muchacho.

    • Victor disse:

      VM responde: Usem nas escolas e instituições devidas o comentário acima como “analfabetismo funcional”.

      Adendo: Ô “Daniel”, há 3 meses você deixou este comentário aqui no meu blog: “(…) mas espero que possam ser uma categoria que iguale as marcas e assim possamos competir igualmente…mas se são praticamente um TC2000 Brasileiro, poderiam juntar com os argentinos então….além de marcas, poderia ser uma competição com os hermanos….seria bacana…” Curioso, não?

  33. JULIANA disse:

    NA ARGENTINA TEM AINDA O RALLY MUNDIAL
    TIVE OPORTUNIDADE DE VER ANOS ATRAS, É MUITO ORGANIZADO E DEIXA MAIS
    DINHEIRO PARA A PROVINCIA DE CÓRDOBA DO QUE TODO TURISMO DE FLORIPA.
    NO BRASIL TODOS QUEREM LEVAR O SEU E NAO PENSAM NOS OUTROS.
    O BRASILEIRO TEM QUE COMEÇAR A PROTESTAR MAIS, É MUITA ROBALHEIRA EM TUDO
    ATÉ NA ALEGRIA DO POVO, COMO O FUTEBOL.

  34. Antonio Neto disse:

    Caro amigo, automobilismo não é esporte, me desculpe.
    É um lance que não depende somente da inteligência do esportista. São tantos fatores extra e intra equipe que sempre ganha quem interessa.
    Na F1 os brasileiros nos envergonham todas as corridas. O antipático do alemão bateu o quanto quis no coitado do Rubinho. Agora, o antipático espanhol bate o quanto quer no infeliz do Massa.
    Você chama isso de esporte???
    Caríssimo e quem quer ver ao vivo não vê nada, só barulho.
    Quem gosta disso que você rotula como esporte deve ver pela TV e olha que já cansa.
    É minha opinião.

    Neto

    • João disse:

      E que diabos faz você nesse Blog então, caro corintiano?

    • Ricardo disse:

      Antônio,

      É por causa de visões como a sua que o automobilismo está agonizando no Brasil. O maior mal disso tudo é achar que o brasileiro só gosta de futebol.

      Amigão, eu e milhões de pessoas neste país não trocaríamos um dia num autódromo por um campeonato inteiro de futebol.

      Portanto, não generalize, e quando você realmente entender de automobilismo, você será muito bem vindo a este espaço.

    • flávio disse:

      Amigão……..
      Creio que está redondamente enganado….igual ao tamanho de um pneu…………
      Qual o formato do pneu de seu carro????? Quadrado???????? Deve ser para não achar que automobilismo é um esporte……..pesquise, leia, releia……. aí poderá falar conosco no mesmo patamar………Abraços

    • Valmir Machado disse:

      “ANTONIO NETO” mas que comentário sem futuro este teu hein!!!!!! Então na tua visão e opinião AUTOMOBILISMO não é esporte!?!?!?! Cara tu tens que reavaliar tuas opiniões, para mim tu nunca dirigiu, pilotou ou fez algo semelhante ao volante de um carro, ou melhor, nunca sentou esta bunda quadrada num kart!!!! meu amigo sou motociclista e sempre que posso estou nos autódromos pilotando, se tu soubesse o quanto é bom….acredito que tu não teria coragem de postar este teu comentário absurdo, mas infelizmente para o brasileiro esporte é futebol, imagino que tu é a favor de paragarem 1 milhão de salário para Ronaldinho Gaúcho e ver aquele futebol mediocre que estamos cansados de ver, cai na real meu amigo, a tempo que futebol no brasil é motivo sono na frente da TV, desculpe é minha OPINIÃO, abaços.

    • do amaral disse:

      caro Neto

      se você pensa que automobilismo é só F1, e que F1 só importa se tiver brasileiro simpático-sorridente-engraçadinho-pai-de-família dando sova nos ‘estrangeiros’, então você tem a noção mais equivocada no planeta do que é automobilismo esportivo.
      não por acaso é a mesma noção veiculada pela emissora retransmissora da F1 em território brasileiro.

  35. JK disse:

    Um grande exemplo do “fazer acontecer” é a CBV. O voleibol era considerado um jogo de maricas no país do futebol.
    Hoje, a seleção masculina é só … eneacampeã da Liga Mundial. A feminina é octacampeã do Grand Prix.
    Brasileiro não é apaixonado por carros?! Dizem que o maior patrimônio do brasileiro é o carro, depois vem a família e a geladeira (onde estão as cervejas) !!!
    Se não tem dirigente competente = troca-se; se não tem patrocínio = busca-se; se não tem piloto = forma-se; se não tem público = divulga-se; se o público não prestigia = incentiva-se!!!
    CBA : põe a mão na graxa, tira o pé do freio, engata a sexta e olha pra frente !!!

  36. mauricio disse:

    Automobilismo perdeu a graça .
    Resultados combinados, armações e jogos de equipe transformaram o automobilismo em pura diversão que alguns playboys usaram para se divertirem.
    Infelizemente se quisermos emoção precismos ver futebol !!!

  37. Pezao disse:

    Só o ganho em turismo que a F1 leva para São Paulo justifica a existência de Interlagos.
    Porque o Rio não entra nessa?

    • Nando Sato disse:

      Por que a fome de roubar no RJ é maior do que em Sampa. Tentaram estorquir o “seo” Bernie Ecclestone em 1989 e ele, raposão que é, se aliou ao então CBA/Piero Gancia e Prefeita/Luiza Erundina e em menos de quatro meses refizeram o então abandonado Interlagos e voltaram o GP para Sampa de onde se sair um dia vai para outro país das arabias! Vale lembrar ainda que a relação do senhor Tamas com o Bernie é de empregado/patrão, pois o verdadeiro dono da Internatinal Promotion é o Ecclestone! Só não sai daqui porque a Prefeitura paga todas a contas e o Pequeno Notavel leva toda a grana das arquibancadas, marketing e paddocks. Ou seja: Não põe nenhum e sai com tudo!

  38. Pezao disse:

    Onde está o autódromo do Rio de Janeiro? Está sumindo aos poucos e depois da Copa e olimpíadas vai virar condomínios de apartamentos.
    É o interesse de alguns prevalecendo.
    Pergunte a qualquer piloto internacional se ele preferia uma corrida em São Paulo ou no Rio ?(Se tivéssemos onde correr).

  39. kdoce disse:

    A diferença entre eles e a gente é que a nossa cultura é a de “levar vantagem”. Vemos esta atitude na maioria dos esportes brasileiros que envolvem dinheiro. Temos 8.000 km de litoral: pois bem, nossa indústria naval foi praticamente sucateada, nossa indústria nautica engatinhando, com meia dúzia de estaleiros projetando e construindo embarcações que custam os “olhos da cara”. Não vai demorar muito e as indústrias estrangeiras estarão aqui para fabricar e vender barcos. Temos muitos campeões na vela, mas se resumem a algumas famílias de velejadores. O conhecimento fica restrito à elas. Os organizadores montam torneios para ganhar dinheiro e não para promover o esporte. Tivemos crise no Tenis, no basquete…Praças públicas não tem uma quadra de tenis, uma pista de atletismo com instrutores: somente o futebol. Que também só se move ao sabor dos interesses de uma emissora e do presidente da CBF, e as demais emissoras e os clubes passeiam com eles na coleira como poodles. No automobilismo a mesma coisa. Movido por familias…

  40. Reinaldo Rena disse:

    Ola sou piloto da Stock Paulista e vivemos essa realidade… infelizmente… pior… é ver até o canal SPEED transmitindo futebol…. dá pra acreditar?

  41. Leonardo disse:

    Chama a turma da F-Truck pra comandar a CBA. O evento deles dão sempre dá certo pq eles não se misturam com a gentalha.

  42. Renato disse:

    Parabéns pelo comentário. Concordo com tudo, sem tirar nem pôr.

  43. Cadu Lemos disse:

    Um comentário adicional. “Brasileiro não gosta de automobilismo. Brasileiro gosta de quem ganha!…

  44. Acácio disse:

    Victor, respondendo sua pergunta sobre o que faz a CBA, o site oficial da entidade diz o seguinte:

    “Entre os principais objetivos da CBA está o compromisso de dirigir, difundir e incentivar no País a prática de todas as modalidades desportivas automobilísticas e, desde que credenciada, desenvolver as atividades ligadas ao turismo, trânsito e transportes. Cabe à CBA coordenar o complexo técnico desportivo do automobilismo brasileiro, que é regulado pro normas nacionais e internacionais e pelas regras de prática desportiva que deverão ser aceitas por todos que façam parte do sistema desportivo nacional do automobilismo, na forma da Lei 9.615 de 24 de março de 1998.”

    Confrontando esse texto com a atual situação do autmobilismo brasileiro, chega-se à conclusão de que ele é uma piada de fazer chorar. Por seu mau gosto, claro.

  45. Gustavo disse:

    Olha. Muito desconfio que o motivo(além dos estúpido que dirigem a CBA) seja um outro esporte que muito mais oferece circo. O MALDITO e INÚTIL FUTEBOL.
    Como vc quer que o automobilismo se sobressaia num país onde duas redes de TV abertas passam exatamente o MESMO jogo de futebol enquanto poderia estar sendo transmitido ao VIVO uma prova de Formula INDY por uma dessas redes???
    Acho que o problema é cultural , o que reflete diretamente no COMERCIAL.
    Não acha?

    • Luis Silva disse:

      Maldito e inútil futebol, VIRGULA!!! Se você não gosta de futebol é opinião sua, mas não banque o ditador de meia tigela quereno IMPOR SEU MINUSCULO PENSAENTO!

    • Gustavo disse:

      Maldito e inútil SIM. Graças a esse LIXO chamado futebol outros esportes muito mais interessantes e completos são relegados ao ostracismo por não haver apoio comercial de redes de Tv , patrocinadores , e por fim do estado(que é outro LIXO)
      O futebol é como um câncer que consome toda energia boa que existe. O problema é que isso só acontece para o ganho de meia duzia de cartolas e empresários , além de uma duzia de ex moradores da periferia , e pessoas que o defendem são apenas pecinhas manobradas pela midia que empurra esse LIXO goela abaixo.
      Fora o uso político de manobra…Isso já é outro assunto. Nem vou me alongar.

    • do amaral disse:

      o futebol que se dane.

  46. Conrado Andrade disse:

    Por tudo que leio por aqui, fica claro que a CBA é a sintese da politicagem aqui no Brasil. Vi o Marcelo Freixó no plenário falando justamente isso: “não é investimento que falta, é vergonha na cara” – referindo-se ao caso do bondinho de Santa Teresa (vale a pena ver no Youtube, o que ele fala mal do Julio Lopes, “secretario de transporte” não é pouco não…) . Outro deputado, José Antonio Reguffe… limou seu salário pela metade, exonerou 50% das pessoas que trabalhavam para aquele cargo: diz que “não preciso de tudo isso pra fazer um trabalho bem feito”.
    -
    Ele está COBERTO de razão. Pq o dinheiro está aí!!!!! As pessoas é que estão ausentes com as outras. Para os “sem noção” que tem dinheiro, vide uma porção de dirigentes, donos de empresas, cartórios, juizes, deputados, ministros… o dinheiro vale mais que as pessoas. Essas pessoas são um dos cânceres desta nação. Pq o exemplo tem que vir de cima!!!!!!!
    -
    E é por isso que tenho vergonha de ser brasileiro. Essa imagem de “sorrimos na tristeza, na alegria, somos acolhedores…” poha nenhuma. Isso não passa de propaganda, assim como o “american way of life”.
    -
    Sem brincadeira… tanto na CBA como no governo, isso aqui só vai dar jeito quando houver uma baita revolução.

  47. Daniel Betting disse:

    Caro Victor,

    Estive na Argentina na semana passada para acompanhar a Fórmula Truck e pude ver de perto, a verdadeira paixão que o argentino tem pelo Automobilismo e o envolvimento das marcas nas categorias de lá.

    Para se ter uma ideia, na Top Race, categoria que dividiu o final de semana com a Truck, há seis montadoras envolvidas, isso mesmo SEIS. E para 2012 está prevista a entrada de mais três montadoras, totalizando nove fabricantes envolvidos.

    Enquanto isso, na terra dos Macaquitos…

  48. Cadu Lemos disse:

    Caro Vitor, ótima análise dos problemas que (há muito) enfrentamos no automobilsimo brasileiro. Não vou aqui discorrer sobre as (in)competências da CBA, todo mundo vê isso. Quando se fala na Argentina, é impressionante a diferença e a distância que temos entre nossos mundos do esporte motor. A questão da superioridade dos caras em eventos não está apenas relacionada às pessoas e sim, ah claro, ao dinheiro. Desde os anos 50, nos tempos de Peron, uma alíquota (não sei precisar o percentual) dos impostos sobre vendas de automóveis é destinada a um fundo ligado ao automobilismo. Também não sei quem administra, se a federação ou o próprio governo, é o caso de se pesquisar. Com isso, fica garantido um montante expressivo de verba para apoiar o esporte lá. Portanto, não são as pessoas e sim a política…
    abraços
    Cadu Lemos

  49. Alê disse:

    Victor,

    excelente análise, mas fica uma dúvida: lá são os dirigentes ou os promotores que fazem a coisa acontecer?

    Abs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>